terça-feira, 31 de maio de 2016

Cruzeiro x Botafogo



Carlos Henrique

CAMPEONATO BRASILEIRO
14/05/1967 - Cruzeiro 2 x 1 Botafogo (Mineirão)
15/11/1968 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Mineirão)
23/08/1969 - Cruzeiro 0 x 1 Botafogo (Mineirão)
27/08/1969 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Maracanã)
14/09/1969 - Cruzeiro 0 x 1 Botafogo (Mineirão)
30/11/1969 - Cruzeiro 2 x 2 Botafogo (Maracanã)
23/09/1970 - Cruzeiro 1 x 0 Botafogo (Mineirão)
14/11/1971 - Cruzeiro 2 x 2 Botafogo (Maracanã)
01/11/1972 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Maracanã)
24/10/1973 - Cruzeiro 1 x 2 Botafogo (Maracanã)
13/12/1973 - Cruzeiro 2 x 1 Botafogo (Mineirão)
23/01/1974 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Mineirão)
31/08/1975 - Cruzeiro 2 x 0 Botafogo (Maracanã)
26/11/1975 - Cruzeiro 2 x 0 Botafogo (Mineirão)
04/09/1976 - Cruzeiro 0 x 0 Botafogo (Mineirão)
19/02/1978 - Cruzeiro 0 x 3 Botafogo (Mineirão)
23/03/1980 - Cruzeiro 2 x 1 Botafogo (Mineirão)
28/02/1985 - Cruzeiro 3 x 1 Botafogo (Maracanã)
07/04/1985 - Cruzeiro 3 x 0 Botafogo (Mineirão)
27/09/1987 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Mineirão)
04/12/1988 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Caio Martins, Niterói, RJ)
28/10/1989 - Cruzeiro 2 x 1 Botafogo (Maracanã)
19/08/1990 - Cruzeiro 1 x 0 Botafogo (Mineirão)
01/04/1991 - Cruzeiro 2 x 3 Botafogo (Caio Martins, Niterói, RJ)
09/03/1992 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Mineirão)
06/06/1992 - Cruzeiro 1 x 2 Botafogo (Maracanã)
04/07/1992 - Cruzeiro 1 x 2 Botafogo (Municipal, Juiz de Fora, MG)
09/10/1993 - Cruzeiro 3 x 0 Botafogo (Mineirão)
17/10/1993 - Cruzeiro 1 x 0 Botafogo (Caio Martins, Niterói, RJ)
01/10/1995 - Cruzeiro 5 x 3 Botafogo (Mineirão)
07/12/1995 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Mineirão)
10/12/1995 - Cruzeiro 0 x 0 Botafogo (Maracanã)
10/11/1996 - Cruzeiro 0 x 0 Botafogo (Nogueirão, Mossoró, RN)
01/11/1997 - Cruzeiro 2 x 3 Botafogo (Mineirão)
23/08/1998 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Caio Martins, Niterói, RJ)
28/07/1999 - Cruzeiro 4 x 1 Botafogo (Mineirão)
13/09/2000 - Cruzeiro 4 x 0 Botafogo (Lamegão, Ipatinga, MG)
28/10/2001 - Cruzeiro 0 x 3 Botafogo (Boca do Jacaré, Taguatinga, DF)
18/08/2002 - Cruzeiro 0 x 0 Botafogo (Mineirão)
17/07/2004 - Cruzeiro 3 x 2 Botafogo (Mineirão)
30/10/2004 - Cruzeiro 1 x 2 Botafogo (Caio Martins, Niterói, RJ)
12/10/2005 - Cruzeiro 2 x 2 Botafogo (Mineirão)
20/11/2005 - Cruzeiro 1 x 2 Botafogo (Luso Brasileiro,Rio de Janeiro)
23/08/2006 - Cruzeiro 0 x 1 Botafogo (Maracanã)
03/12/2006 - Cruzeiro 3 x 1 Botafogo (Mineirão)
29/07/2007 - Cruzeiro 3 x 2 Botafogo (Mineirão)
01/11/2007 - Cruzeiro 1 x 4 Botafogo (Engenhão, Rio de Janeiro)
17/05/2008 - Cruzeiro 1 x 0 Botafogo (Mineirão)
20/08/2008 - Cruzeiro 0 x 1 Botafogo (Engenhão, Rio de Janeiro)
27/08/2009 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Engenhão, Rio de Janeiro)
18/10/2009 - Cruzeiro 1 x 0 Botafogo (Mineirão)
26/05/2010 - Cruzeiro 1 x 0 Botafogo (Mineirão)
18/09/2010 - Cruzeiro 2 x 2 Botafogo (Engenhão, Rio de Janeiro)
30/07/2011 - Cruzeiro 0 x 1 Botafogo (Arena do Jacaré, Sete Lagoas, MG)
29/10/2011 - Cruzeiro 0 x 1 Botafogo (Engenhão, Rio de Janeiro)
07/06/2012 - Cruzeiro 3 x 2 Botafogo (Engenhão, Rio de Janeiro)
05/09/2012 - Cruzeiro 1 x 3 Botafogo (Independência)
01/06/2013 - Botafogo 1 x 2 Botafogo (Cidadania, Volta Redonda, RJ)
18/09/2013 - Cruzeiro 3 x 0 Botafogo (Mineirão)
02/08/2014 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Maracanã)
02/11/2014 - Cruzeiro 2 x 1 Botafogo (Mineirão)

Total de Jogos pelo Campeonato Brasileiro: 61
Vitórias do Cruzeiro: 24
Empates: 19
Vitórias do Botafogo: 18
Total de Gols: 161
Gols do Cruzeiro: 88
Gols do Botafogo: 73

Quadro de goleadores do confronto (pelo Campeonato Brasileiro):
5 gols: Marcelo Ramos, Seixas (Cruzeiro)
4 gols: Guilherme (Cruzeiro)
3 gols: Fábio Júnior, Palhinha, Thiago Ribeiro (Cruzeiro)
3 gols: Carlos Alberto Dias, Loco Abreu, Lúcio Flávio, Roberto, Túlio (Botafogo)
2 gols: Alex Alves, Anselmo Ramon, Dirceu Lopes, Eduardo, Kulio Baptista, Montillo, Nelinho, Nonato, Paulinho MacLaren, Ronaldo (Cruzeiro)
2 gols: Chicão, Ferreti, Juninho, Lodeiro, Narcísio, Seedorf, Valdeir (Botafogo)
1 gol: Adriano, Alecsandro, Cândido, Careca, Carlinhos, Charles, Darci, Diego, Edson, Egídio, Elivelton, Espínola, Evaldo, Everton, Ferreira, Francismar, Heider, Jésum, Joãozinho, Jussiê, Leo, Leo Silva, Marquinhos, Lima, Luiz Carlos Oliveira, Luiz Fernando, Macalé, Macedo, Martinez, Natal, Nilton, Oséas, Palacios, Paulinho, Régis, Ricardinho, Robson, Tapia, Tinga, Tostão, Wagner, Wellington Paulista, Wilson Almeida, Zé Carlos (Cruzeiro)
1 gol: Afonsinho, Alessandro, Andre Lima, Andrei, Artur, Caio, Claiton, Dirceu, Dodô, Edilson, Fischer, França, Gil, Gilmar, Gustavo, Helinho, Herrera, Humberto, Jadson, Jailson, Jairzinho, Jeferson, Jorge Luís, Leonardo Inácio, Marcelo Alves, Mendonça, Mongol, Nilson, Nilson Dias, Perivaldo, Rafael Marques, Reinaldo, Renato Gaúcho, Renato Silva, Ricardinho, Rogerio, Scheidt, Têti, Tulio, Zequinha, Zé Roberto (Botafogo)
Gol contra: Amaral, Eduardo, Leo e Zé Carlos (a favor do Botafogo); Israel (a favor do Cruzeiro)

COPA DO BRASIL
15/06/2000 - Cruzeiro 3 x 2 Botafogo (Mineirão)
22/06/2000 - Cruzeiro 0 x 0 Botafogo (Maracanã)

AMISTOSOS
15/11/1936 - Cruzeiro 3 x 3 Botafogo (Barro Preto, Belo Horizonte)
15/09/1940 - Cruzeiro 4 x 3 Botafogo (Barro Preto, Belo Horizonte)
01/07/1945 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Barro Preto, Belo Horizonte)
04/07/1945 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Lourdes, Belo Horizonte)
26/01/1947 - Cruzeiro 0 x 3 Botafogo (Barro Preto, Belo Horizonte)
17/03/1948 - Cruzeiro 2 x 1 Botafogo (Barro Preto, Belo Horizonte)
04/02/1957 - Cruzeiro 2 x 1 Botafogo (Barro Preto, Belo Horizonte)
26/06/1960 - Cruzeiro 0 x 3 Botafogo (Independência)
23/06/1968 - Cruzeiro 0 x 0 Botafogo (Mineirão)
28/10/1970 - Cruzeiro 1 x 0 Botafogo (Trapichão, Maceió, AL)
12/05/1971 - Cruzeiro 3 x 0 Botafogo (Mineirão)
12/08/1981 - Cruzeiro 0 x 1 Botafogo (Mineirão)
22/04/1984 - Cruzeiro 0 x 0 Botafogo (Mineirão)
20/08/1987 - Cruzeiro 1 x 3 Botafogo (Mineirão)
03/09/1992 - Cruzeiro 2 x 1 Botafogo (Mineirão)
07/08/1994 - Cruzeiro 1 x 1 Botafogo (Mineirão)
06/08/1995 - Cruzeiro 1 x 0 Botafogo (Independência)
19/07/1998 - Cruzeiro 2 x 1 Botafogo (Municipal, Pouso Alegre, MG)
10/08/2005 - Cruzeiro 4 x 1 Botafogo (Mineirão)

Total de Jogos: 82
Vitórias do Cruzeiro: 34
Empates: 26
Vitórias do Botafogo: 22
Total de Gols: 218
Gols do Cruzeiro: 119
Gols do Botafogo: 99

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Jogos do Cruzeiro em Brasília

Para poupar os titulares para o jogo contra o San Lorenzo, pelas quartas de final da Libertadores, o Cruzeiro escalou o quadro reserva para o confronto contra o Atlético Paranaense, pelo turno do Campeonato Brasileiro de 2014. O time paranaense cumpria suspensão de cinco perdas de mando de campo e agendou o jogo para o estádio Mané Garrincha. Foi a estreia das equipes no estádio, após a reforma para a disputa da Copa do Mundo de 2014. A torcida cruzeirense foi maioria no estádio.

Carlos Henrique

Total de Jogos do Cruzeiro em Brasília: 18 (10 vitórias, 5 empates e 3 derrotas)

JOGOS EM BRASÍLIA

CAMPEONATO BRASILEIRO
05/09/1973 - Cruzeiro 0 x 2 CEUB - Pelezão
13/10/1996 - Cruzeiro 1 x 0 Vasco - Mané Garrincha
28/08/1999 - Cruzeiro 3 x 2 Gama - Mané Garrincha
22/09/2001 - Cruzeiro 1 x 1 Gama - Mané Garrincha
28/10/2001 - Cruzeiro 0 x 3 Botafogo - Boca do Jacaré (Taguatinga)
06/11/2002 - Cruzeiro 3 x 2 Gama - Mané GarrinchA
03/08/2005 - Cruzeiro 2 x 1 Brasiliense - Boca do Jacaré (Taguatinga)
03/05/2014 - Cruzeiro 3 x 2 Atlético-PR - Mané Garrincha

COPA DO BRASIL
14/03/2000 - Cruzeiro 1 x 1 Gama - Mané Garrincha
06/02/2002 - Cruzeiro 4 x 1 Bandeirante - Boca do Jacaré (Taguatinga)
25/04/2007 - Cruzeiro 1 x 1 Brasiliense - Boca do Jacaré (Taguatinga)

AMISTOSOS
16/06/1960 - Cruzeiro 2 x 2 Atlético/MG – Pelezão (1)
03/05/1964 - Cruzeiro 1 x 0 Rabelo - Ciro Machado
08/06/1966 - Cruzeiro 1 x 2 Belenenses/POR - Pelezão
04/06/1972 - Cruzeiro 0 x 0 CEUB - Pelezão
31/03/1976 - Cruzeiro 4 x 3 Grêmio Brasiliense - Pelezão
01/05/1977 - Cruzeiro 1 x 0 Brasília - Pelezão
13/05/1984 - Cruzeiro 2 x 0 Sobradinho - Augustinho Lima (Sobradinho)

JOGOS TREINO
*07/05/1964 - Cruzeiro 4 x 1 Defelê - Ciro Machado
*01/05/1966 - Cruzeiro 7 x 0 Defelê - Pelezão
*25/01/2015 - Cruzeiro 1 x 1 Shakhtar Donetsk-UCR - Mané Garrincha
*jogos com número de substituições maior que o permitido pela FIFA

(1) O primeiro jogo do Cruzeiro, em Brasília, contra o atletico mineiro, foi disputado no extinto estádio Israel Pinheiro, que daria lugar a construção do Pelezão, inaugurado em 31 de março de 1966.

domingo, 29 de maio de 2016

VALDO

Carlos Henrique

31/01/1966 Valdo Cândido Filho nasce em Siderópolis, SC.

10/06/1990 Como atleta do Benfica, Valdo estreia no Mundial, na vitória por 2 a 1 sobre a Seleção da Suecia, em Turim, na Italia. Foi titular em todos os 4 jogos da campanha da Seleção Brasileira na Copa de 90.

26/06/1998 Aos 34 anos, Valdo é anunciado como um dos reforços do Cruzeiro para a disputa do Campeonato Brasileiro, junto com o atacante Muller. O meiocampista alugou os seus direitos econômicos por um ano.  

29/06/1998 É apresentado oficialmente na sede do Barro Preto, junto com o atacante Muller. O jogador retornou ao Brasil, após 10 anos no exterior, onde se destacou no Benfica e no Paris Saint Germain. Nos últimos dois anos estava no Cerezo Osaka, do Japão.

19/07/1998 Estreia com a camisa cruzeirense na vitória por 2 a 1 sobre o Botafogo, em jogo amistoso, em Pouso Alegre-MG.

26/07/1998 Faz seu primeiro jogo oficial pelo Cruzeiro no empate em 1 a 1, contra o atlético, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro. Marcou o seu primeiro gol com a camisa cruzeirense.

26/11/1998 Leva o primeiro cartão vermelho na vitória por 3 a 2 sobre o Palmeiras, no Palestra Italia, pelas quartas-de-final do Campeonato Brasileiro.

09/12/1998 Com a vitória por 1 a 0 sobre a Portuguesa, no Canindé, o Cruzeiro se classifica para a final do Campeonato Brasileiro, após 23 anos. Valdo é considerado o maestro do time na campanha.

08/01/1999 Rejeitou as propostas para retornar ao Paris Saint Germain e ao Grêmio e acertou a sua permanência no Cruzeiro por mais dois anos. Declarou que tinha o desejo de encerrar a carreira no time estrelado.

31/03/1999 Marca dois gols de falta no empate em 3 a 3 contra o Atletico Paranaense, no Mineirão, pela Copa do Brasil.

04/04/1999 Conquista o primeiro título pelo Cruzeiro. Com a goleada por 5 a 1 sobre o atletico, no Mineirão, o Cruzeiro sagrou-se campeão da Copa dos Campeões Mineiros. Valdo foi o destaque da goleada ao marcar dois gols de falta. 

12/05/1999 Com o empate sem gols contra o Vila Nova-GO, em Goiânia, o Cruzeiro conquista a Copa Centro-Oeste. Foi o segundo título de Valdo com a camisa cruzeirense.

16/05/1999 Marca o gol do empate em 1 a 1 contra o atlético, no Mineirão, pelo Campeonato Mineiro. Foi o quarto gol que marcou em clássicos, sendo o terceiro em cobrança de falta.

23/09/1999 Cruzeiro goleia o River Plate por 3 a 0, em Buenos Aires, e conquista a Recopa de 1998. Lesionado, Valdo não jogou. Foi um dos destaques do primeiro jogo, em 3 de agosto, no Mineirão, ao comandar a vitória por 2 a 0.

01/12/1999 Marca seu último gol de falta pelo Cruzeiro na goleada de 3 a 0, sobre o Guarani, no Mineirão, pelo Seletivo da Libertadores.

01/03/2000 Disputa seu último jogo pelo Cruzeiro, na derrota por 2 a 1, para o America, pela decisão da Copa Sul Minas. Ao todo disputou 111 jogos e marcou 26 gols com a camisa azul estrelada, sendo 10 em cobranças de falta e 8 de pênalti.

08/03/2000 Teve o seu pedido de liberação aceito pela diretoria e se transferiu para o Santos. Tinha contrato até 2001.

sábado, 28 de maio de 2016

Campeonato Mineiro 1981

Carlos Henrique

CAMPEONATO MINEIRO 1981

Primeira Fase
31/05/1981 - Cruzeiro 3 x 0 Esportiva Guaxupé (Mineirão)
07/06/1981 - Cruzeiro 1 x 0 Guarani (Farião/Divinópolis)
14/06/1981 - Cruzeiro 1 x 2 América (Mineirão)
17/06/1981 - Cruzeiro 2 x 0 Democrata (Mineirão)
21/06/1981 - Cruzeiro 0 x 1 Uberlândia (Juca Ribeiro/Uberlândia)
28/06/1981 - Cruzeiro 0 x 0 C.a.m. (Mineirão)
01/07/1981 - Cruzeiro 2 x 0 Uberaba (Uberabão)
05/07/1981 - Cruzeiro 1 x 1 Valério (Mineirão)
12/07/1981 - Cruzeiro 1 x 1 Caldense (Ronaldão, Poços de Caldas)
23/07/1981 - Cruzeiro 2 x 0 Villa Nova (Mineirão)
26/07/1981 - Cruzeiro 4 x 1 Tupi (Mineirão)
06/09/1981 - Cruzeiro 2 x 0 Esportiva (Carlos Costa Monteiro/Guaxupé)
13/09/1981 - Cruzeiro 2 x 1 Guarani (Mineirão)
20/09/1981 - Cruzeiro 1 x 1 América (Mineirão)
24/09/1981 - Cruzeiro 1 x 1 Democrata (Mamudão/Gov. Valadares)
27/09/1981 - Cruzeiro 1 x 1 Uberlândia (Mineirão)
30/09/1981 - Cruzeiro 1 x 0 Uberaba (Mineirão)
04/10/1981 - Cruzeiro 2 x 0 Valério (Israel Pinheiro/Itabira)
07/10/1981 - Cruzeiro 2 x 0 Caldense (Mineirão)
11/10/1981 - Cruzeiro 1 x 0 C.a.m. (Mineirão)
14/10/1981 - Cruzeiro 0 x 0 Villa Nova (Mineirão)
18/10/1981 - Cruzeiro 1 x 0 Tupi (Salles de Oliveira/Juiz de Fora)
Classificação: 1º Cruzeiro, 2º C.a.m., 3º America, 4º Uberaba, 5º Villa Nova, 6º Caldense, 7º Valerio, 8º Democrata, 9º Uberlândia, 10º Tupi, 11º Guarani, 12º Esportiva Guaxupé

Fase Final
25/10/1981 - Cruzeiro 2 x 0 América (Mineirão)
31/10/1981 - Cruzeiro 3 x 1 Uberaba (Mineirão)
05/11/1981 - Cruzeiro 4 x 2 Villa Nova (Mineirão)
08/11/1981 - Cruzeiro 1 x 1 C.a.m. (Mineirão)
12/11/1981 - Cruzeiro 1 x 0 Caldense (Mineirão)
15/11/1981 - Cruzeiro 3 x 3 América (Mineirão)
18/11/1981 - Cruzeiro 0 x 1 Villa Nova (Mineirão)
22/11/1981 - Cruzeiro 1 x 1 Uberaba (Uberabão)
25/11/1981 - Cruzeiro 3 x 0 Caldense (Ronaldão)
29/11/1981 - Cruzeiro 0 x 2 C.a.m. (Mineirão)
Classificação Final: 1º C.a.m. (Campeão), 2º Cruzeiro, 3º America, 4º Uberaba, 5º Villa Nova, 6º Caldense, 7º Valerio, 8º Democrata, 9º Uberlândia, 10º Tupi, 11º Guarani; rebaixado: 12º Esportiva Guaxupé
*Cam e Cruzeiro classificados para o Campeonato Brasileiro de 1982; America e Uberaba classificados para o módulo Taça de Prata do Campeonato Brasileiro de 1982
Artilheiro Máximo: Wagner (America) com 16 gols

Critérios de participação:
Os 8 primeiros colocados do Estadual de 1980 mais os quatro classificados pelo Torneio Seletivo: Caldense, Tupi, Uberlândia e Villa Nova

Sistema de disputa:
Duas fases: na primeira, os 12 participantes se enfrentaram em turno e returno. A fase final foi disputada pelas 6 melhores equipes da primeira fase em turno e returno. O vencedor da Fase Final foi o “Campeão Mineiro”. O campeão e o vice garantiram a participação no Campeonato Brasileiro de 1982.

Sistema 4-3-3:
Gasperin, Nelinho, Luiz Carlos Teixeira (Abel), Wagner, Claudio Mineiro; Toninho, Jair (Remi), Eudes; Carlinhos (Zé Henrique), Edmar, Macedo. Técnicos: Procópio (9), Cento e Nove (3), Didi (20)

Quem jogou:
Wagner 30
Macedo 29
Edmar, Eudes 28
Claudio Mineiro, Gasperin 27
Carlinhos 24
Nelinho 23
Jair, Toninho 21
Luiz Carlos Teixeira 20
Remi 18
Zé Henrique 17
Abel 14
Mundinho 13
Luiz Carlos Oliveira 12
Carioca, Joãozinho 9
Jacinto 8
Ilton Brunis 7
Luiz Antônio 5
Eduardo, Marquinhos 4
Adam Machado, Calu 2
Douglas, Edu Lima, Salomão 1

Quem marcou gols:
Edmar 14
Eudes 8
Nelinho 6
Vagner 5
Carlinhos, Luiz Carlos Oliveira 3
Macedo 2
Abel, Jacinto, Jair, Joãozinho, Remi, Zé Henrique 1
Gols contra: Carlos Alberto (Valerio) e Deco (Caldense) 1

Legião Estrangeira:
"O Cruzeiro virou time de estrangeiros. Vem um jogador lá do Ceará, outro do Sul, outro de Recife, se juntam mas não se entendem. Os costumes, a alimentação, a maneira de jogar, tudo é diferente. E todos, logo ao chegarem, são obrigados a resolver os problemas do Cruzeiro" (Piazza - revista Placar de 1981). Foi o primeiro time formado pelo Cruzeiro com a maioria do plantel titular sem origem no futebol mineiro. Uma ruptura de 60 anos da história do clube. O clube aderiu a política de contratações marcando o fim da filosofia da “escola cruzeirense de futebol”, que sempre o caracterizou. Atletas como Gasperin, Remi e Wagner (Internacional), Jair (ex-Internacional), Abel (ex-Vasco), Eudes (Portuguesa), Zé Henrique (Vila Nova-GO), Carioca (River-PI), Jacinto (Ferroviário-CE), Adam Machado (ex-Penarol), dentre outros, foram contratados e levaram o time a ser chamado de “legião estrangeira”.

Rendas do mandante
Na reunião do Conselho arbitral ficou definido que as rendas dos jogos seriam do mandante. No clássico de 28 de junho, o Cruzeiro foi o mandante e para prejudicar a renda, o galo escalou um time reserva. Assim pouco mais de 38 mil ingressos foram vendidos. O Cruzeiro deu o troco no clássico de 30 de outubro em que o galo foi o mandante. Surpreendentemente os reservas do Cruzeiro venceram o jogo por 1 a 0. Pouco mais de 30 mil ingressos foram vendidos.

Vitória do time do povo no desafio das torcidas
No primeiro clássico da fase final, em 8 de novembro, os clubes revogaram a medida que destinava a renda ao mandante. O presidente da Ademg (Administração de Estádios de Minas Gerais), Afonso Celso Raso, lançou o “desafio das torcidas” e mandou confeccionar ingressos diferenciados para atleticanos e cruzeirenses para saber quem seria maioria no clássico. Na apuração a nação cruzeirense venceu a torcida do galo por uma diferença de 2.245 ingressos. A vitória foi definida no setor de geral, de valores mais baixos, que teve uma diferença de 3.254 ingressos a favor dos cruzeirenses. Isto levou o diretor da ademg a concluir que o Cruzeiro é que tinha a verdadeira torcida do povão na cidade.

Exportação cancelada

O Cruzeiro pretendia estender a sua excursão pelas Americas em setembro, mas foi obrigado a retornar ao Brasil, porque a Esportiva Guaxupé recusou-se a aceitar o remanejamento da data do confronto entre as equipes pelo Estadual. Assim, o Cruzeiro adiou o amistoso contra o Cobreloa, em 3 de setembro, e demais jogos em El Salvador, Honduras, Haiti e Guatemala. Desde 1970, o clube havia adotado a política do "Cruzeiro Exportação". Uma alusão ao fajuto modelo econômico da ditadura militar que tentava motivar as exportações, como uma forma de atrair dinheiro para o país e, consequentemente, o desenvolvimento. Assim, durante duas décadas, o Cruzeiro exportou seu futebol disputando amistosos pelo exterior em troca de cachês em dólares, que serviam para tampar o rombo nos cofres provocado pelo deficitário campeonato mineiro.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Cruzeiro x Londrina

O meia Vander disputa uma bola na grande área do Londrina, no Estádio do Café, em partida válida pela Copa do Brasil de 2002

Carlos Henrique

CAMPEONATO BRASILEIRO
16/09/1976 - Cruzeiro 1 x 1 Londrina (Café, Londrina)
27/10/1976 - Cruzeiro 1 x 0 Londrina (Mineirão)

COPA DO BRASIL
27/02/2002 - Cruzeiro 0 x 1 Londrina (Café, Londrina)
06/03/2002 - Cruzeiro 2 x 0 Londrina (Mineirão)
10/05/2016 - Cruzeiro 2 x 0 Londrina (Café, Londrina)

AMISTOSOS
28/05/1959 - Cruzeiro 2 x 1 Londrina (Barro Preto, Belo Horizonte)
31/05/1959 - Cruzeiro 1 x 1 Londrina (Barro Preto, Belo Horizonte)
14/04/1960 - Cruzeiro 3 x 1 Londrina (VGD, Londrina)
17/04/1960 - Cruzeiro 0 x 1 Londrina (VGD, Londrina)
11/10/1970 - Cruzeiro 4 x 2 Londrina (VGD, Londrina)
Jogo treino
18/01/2015 - Cruzeiro 0 x 1 Londrina (café, londrina) - as equipes processaram mais de 5 substituições - limite permitido pela FIFA

MULLER

Carlos Henrique

31/01/1966 Luís Antônio Correia da Costa, o Muller, nasce em Campo Grande, MS.

01/06/1986 Como atleta do São Paulo, Muller estreia no Mundial, na vitória por 1 a 0 sobre a Seleção da Espanha, em Guadalajara, no México. Ele substituiu Casagrande no decorrer do jogo. Participou de todos os 5 jogos da campanha. Voltou a disputar a Copa em 1990, na Itália, desta vez, como titular em todos os 4 jogos da campanha e marcou dois gols. Participou da campanha do título mundial de 1994, nos Estados Unidos, como reserva.

26/06/1998 Aos 32 anos, Muller é anunciado como um dos reforços do Cruzeiro para a disputa do Campeonato Brasileiro, junto com o meia Valdo. Os direitos econômicos do atacante, junto ao Santos, custaram R$ 3,5 milhões. Muller assinou contrato de quatro anos e a empresa parceira do Cruzeiro, Energil C, arcaria com a metade dos salários.

29/06/1998 É apresentado oficialmente na sede do Barro Preto e revelou que a diferença das propostas do Cruzeiro e do Santos foram determinantes para a sua transferência. Seu contrato com o Santos terminaria no final de 1999 em que se tornaria dono dos próprios direitos.

19/07/1998 Estreia com a camisa cruzeirense na vitória por 2 a 1 sobre o Botafogo, em jogo amistoso, em Pouso Alegre.

26/07/1998 Faz seu primeiro jogo oficial pelo Cruzeiro no empate em 1 a 1, contra o atlético, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro.

02/08/1998 Marca o seu primeiro gol com a camisa azul na derrota por 2 a 1 para o Santos, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro

07/08/1998 Primeira contusão muscular na temporada deixa o atacante de fora de três jogos consecutivos pelo Campeonato Brasileiro. Foi a primeira de uma série de contusões.

09/09/1998 Leva o primeiro cartão vermelho no empate em 1 a 1 contra o Flamengo, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro.

09/12/1998 Com a vitória por 1 a 0 sobre a Portuguesa, no Canindé, o Cruzeiro se classifica para a final do Campeonato Brasileiro, após 23 anos, com Muller sendo um dos destaques da competição.

19/12/1998 Investe R$ 200 mil na compra dos direitos econômicos do companheiro de time, Vagner. Havia pago R$ 415 mil, em outubro, por parte dos direitos. "Estava precisando de dinheiro, e como o Muller é meu amigo há muitos anos, ele tem me ajudado", revelou o volante de 24 anos. Os dois se conheceram no São Paulo, quando Vagner era do Sub-20. Muller descartou ser empresário. "Nasci para jogar, não para ficar discutindo contrato."

04/04/1999 Conquista o título da Copa dos Campeões Mineiros com a goleada por 5 a 1 sobre o atlético, no Mineirão. Foi o primeiro caneco como jogador do Cruzeiro.

08/04/1999 É consagrado pastor da igreja pentecostal Portas Abertas em Belo Horizonte. "Estou cansado da rotina do futebol. Tenho mais dois anos de contrato com o Cruzeiro, depois eu paro. Vou ser pastor, pois meu destino é pregar", declarou a revista Istoé. O líder do templo, Alexandre Ribeiro, revelou que o jogador pagou a troca do piso de cimento do templo por um de granito, que custou R$ 16 mil.

12/05/1999 Com o empate sem gols contra o Vila Nova-GO, em Goiânia, o Cruzeiro conquista a Copa Centro-Oeste. Lesionado, Muller não participou do jogo. Foi o segundo título com a camisa cruzeirense.

23/09/1999 Cruzeiro goleia o River Plate por 3 a 0, em Buenos Aires, e conquista a Recopa de 1998. Lesionado, Muller não jogou. Foi destaque do primeiro jogo, em 3 de agosto, no Mineirão, ao marcar o primeiro gol da vitória por 2 a 0.

09/07/2000 Conquista o quarto título pelo Cruzeiro. Com a vitória por 2 a 1 sobre o São Paulo, no Mineirão, o Cruzeiro conquista a Copa do Brasil de forma invicta. Muller entrou aos 65’ de jogo. Foi dele o passe para o gol de Fábio Júnior aos 79’. Ele também orientou o atacante Geovanni na cobrança de falta, que resultou no gol do título, no último minuto do jogo.

01/09/2000 É emprestado ao Corinthians, até o final do ano, sem custos. O jogador vinha sofrendo seguidas contusões musculares. Desde a chegada de Felipão havia disputado apenas 3 dos 9 jogos sob o comando do treinador.

06/11/2000 Com a eliminação precoce do Campeonato Brasileiro, Muller é devolvido ao Cruzeiro. No time paulista, o atacante seguiu sofrendo consecutivas lesões musculares. Disputou apenas 6 jogos e marcou um gol.

02/01/2001 Muller inaugura a igreja pentecostal vida com deus, no bairro dona clara, em Belo Horizonte, num terreno de 470 metros quadrados. Declarou a revista placar, em maio de 2000, que assim que encerrasse o contrato com o Cruzeiro em 2002, se dedicaria exclusivamente a igreja.

17/01/2001 Faz a sua reestreia com a camisa do Cruzeiro na vitória por 2 a 0 sobre o Internacional, no Beira-Rio, pela Copa Sul Minas.

31/03/2001 Disputa o seu último jogo pelo Cruzeiro na derrota por 1 a 0 para o Uberlândia, no Parque do Sabiá, pelo Campeonato Mineiro. Ao todo disputou 121 jogos e marcou 24 gols.

21/03/2001 Com a vitória por 3 a 0 sobre o Coritiba, no Mineirão, o Cruzeiro conquista o título invicto da Copa Sul Minas. Foi o quinto e último título de Muller com a camisa do Cruzeiro. O atacante disputou quatro jogos da primeira fase.

04/04/2001 Seu contrato, que terminaria no dia 24 de junho de 2002, é rescindido pelo clube. Em 21 jogos na temporada, Müller participou de apenas cinco. “Entendemos que ele está rendendo pouco para o que ganha", justificou o vice-presidente Alvimar de Oliveira Costa. Muller recebia salários de R$ 120 mil. Reivindicou R$ 1,5 milhão para assinar a rescisão, mas aceitou a proposta do superintendente jurídico, Gilvan Pinho Tavares, de receber R$ 660 mil.


quarta-feira, 25 de maio de 2016

Campeonato Mineiro 1980

No Campeonato Mineiro de 1980, o Cruzeiro aplicou a maior goleada do Mineirão. O placar de 11 a 0 sobre o Flamengo de Varginha, é o maior até hoje no estádio da Pampulha. Na foto o atacante Mauro (à esquerda), Roberto César (ao centro) e Alexandre (com a camisa 10) pressionaram o gol defendido pelo goleiro Pascoal.

Carlos Henrique

CAMPEONATO MINEIRO 1980

Campanha do Cruzeiro

Primeira Fase
18/09 - Cruzeiro 6 x 0 Araguari (Mineirão)
21/09 - Cruzeiro 2 x 0 Sport (Procópio Teixeira, Juiz de Fora)
28/09 - Cruzeiro 2 x 0 Democrata (Mamudão, Gov. Valadares)
01/10 - Cruzeiro 5 x 1 Esportiva Guaxupé (Mineirão)
05/10 - Cruzeiro 1 x 1 Uberlândia (Juca Ribeiro, Uberlândia)
09/10 - Cruzeiro 11 x 0 Flamengo, de Varginha (Mineirão)
Classificação (Grupo A): 1º America; 2º Guarani; 3º Uberaba; 4º Villa Nova; 5º Atletico TC; 6º Ateneu; 7º Tupi
Classificação (Grupo B): 1º atletico; 2º Valerio; 3º Alfenense; 4º Nacional-M; 5º Caldense; 6º Araxá; 7º Nacional-U
Classificação (Grupo C): 1º Cruzeiro; 2º Democrata-GV; 3º Esportiva; 4º Araguari; 5º Sport; 6º Uberlândia; 7º Flamengo
*america, atletico e Cruzeiro garantiram um ponto de bônus cada, para a Fase Final.

Fase Final
15/10 - Cruzeiro 2 x 0 Guarani (Mineirão)
18/10 - Cruzeiro 4 x 0 Esportiva Guaxupé (Mineirão)
23/10 - Cruzeiro 2 x 0 Democrata (Mineirão)
26/10 - Cruzeiro 0 x 1 Atlético (Mineirão)
29/10 - Cruzeiro 1 x 1 Valério (Mineirão)
02/11 - Cruzeiro 2 x 2 América (Mineirão)
05/11 - Cruzeiro 4 x 1 Uberaba (Mineirão)
09/11 - Cruzeiro 1 x 0 Guarani (Mineirão)
12/11 - Cruzeiro 1 x 0 Valério (Mineirão)
16/11 - Cruzeiro 1 x 1 América (Mineirão)
19/11 - Cruzeiro 4 x 0 Esportiva (Mineirão)
23/11 - Cruzeiro 0 x 0 Uberaba (Uberabão)
26/11 - Cruzeiro 2 x 1 Democrata (Mineirão)
30/11 - Cruzeiro 0 x 2 Atlético (Mineirão)
*O regulamento determinava que os jogos da fase final fossem disputados em estádios com capacidade mínima para 15 mil torcedores.

Classificação Geral: 1º Cam (Campeão); 2º Cruzeiro; 3º America; 4º Uberaba; 5º Valerio; 6º Democrata-GV; 7º Guarani; 8º Esportiva; 9º Alfenense; 10º Villa Nova; 11º Atletico TC; 12º Nacional-M; 13º Ateneu; 14º Araguari; 15º Caldense; 16º Araxá; 17º Sport; 18º Uberlândia; 19º Tupi; 20º Flamengo; 21º Nacional-U
*Cam e Cruzeiro classificados para o Campeonato Brasileiro de 1981; America e Uberaba classificados para o módulo Taça de Prata do Campeonato Brasileiro de 1981
Artilheiro Máximo: Mauro (Cruzeiro) com 18 gols

Fórmula de disputa
Campeonato dividido em duas fases. Os 21 clubes participantes foram divididos em três grupos com 7 clubes cada na primeira fase e se enfrentaram dentro de suas chaves em turno único. Os primeiros colocados de cada chave se classificaram para a Fase Final e receberam um ponto de bônus na tabela. Os segundos colocados de cada chave, mais outras duas equipes com maior número de pontos na primeira fase também se classificaram. A Fase Final foi disputada num octogonal (8 equipes) em turno e returno. A equipe que somou o maior número de pontos nesta fase sagrou-se campeã mineira.

Critérios de participação:
Todas as 16 equipes do Campeonato da Divisão Extra de 1979, mais os quatro finalistas do Campeonato da 1a Divisão de 1978.

Sistema 4-3-3
Luiz Antônio, Zé Carlos, Zezinho Figueroa, Marquinhos (Bianque), Luiz Cosme; Eduardo (Nélio), Alexandre, Mauro; Carlinhos, Roberto César, Jésum (Joãozinho). Técnicos: Ilotn Chaves (11), Tim (9)

Quem jogou
Luiz Cosme, Roberto César 20
Alexandre, Carlinhos, Mauro, Zezinho Figueroa 19
Luiz Antônio 18
Zé Carlos 15
Jesum, Nélio 13
Eduardo 12
Joãozinho 11
Bianque, Marquinhos 8
Geraldão, Mariano, Mundinho, Tião 7
Luiz Carlos Oliveira 5
Eli Carlos, Mauro Campos 4
Ica, Luiz Carlos Teixeira 2

Quem marcou gols:
Mauro 18
Roberto César 13
Alexandre 6
Carlinhos 5
Geraldão, Tião 2
Jesum, Luiz Carlos Oliveira, Luiz Cosme, Mundinho, Zezinho Figueroa 1

Virada de Mesa
Na reunião do Conselho Divisional em 5 de setembro, decidiu-se que o Campeonato de 1980 seria disputado pelos mesmos clubes do ano anterior. O presidente da Federação, Coronel José Guilherme, sugeriu a inclusão de mais 5 clubes (Alfenense, Atletico Três Corações, Flamengo, Sport Juiz de Fora e Tupi) que haviam disputado a Taça Minas Gerais, que foi realizada antes do Campeonato. America, Atletico, Democrata, Uberlândia e Villa Nova foram os baba-ovos do coronel que votaram a favor. O restante votou contra. Arbitrariamente, a Federação não levou em consideração a vontade da maioria e incluiu os 5 clubes elevando de 16 para 21 o número de participantes do Estadual.

Fim da ditadura?
O Campeonato correu risco de ser suspenso e a Federação de sofrer uma intervenção, porque o presidente Coronel José Guilherme ignorou a deliberação 13/79, de 31/12/1979, do Conselho Nacional do Desporto-CND, que dava poderes aos clubes de decidir tudo sobre o Campeonato. A deliberação acabou com os totais poderes que o governo militar havia dado aos presidentes das federações em 1973. O Conselho Divisional passaria a se chamar Conselho Arbitral e os clubes voltariam a ser ouvidos e as propostas votadas nas reuniões. Ateneu, Caldense, Nacional-U, Uberaba e Uberlândia ingressaram um pedido de anulação do Campeonato Mineiro junto ao CND.

Torneio de Acesso e definição do descenso
A CBD determinou que os Campeonatos Estaduais teriam o máximo de 12 participantes em 1981. Assim, numa reunião em 13 de outubro, já como Conselho Arbitral, os clubes decidiram que os finalistas do octogonal estariam garantidos no Estadual de 1981. As equipes classificadas entre o 9º e o 21º lugares, mais o Sete de Setembro, Huracan (Itajubá) e Paraisense, que disputaram a Taça Minas Gerais, se enfrentariam num Torneio de Acesso pelas quatro vagas restantes do Estadual de 1981. Neste certame ficou definido o rebaixamento de Alfenense, Atlético Três Corações, Nacional de Muriaé, Ateneu, Araguari, Araxá, Sport, Flamengo, Nacional de Uberaba, Sete, Huracan e Paraisense para a 2ª divisão. Caldense, Uberlândia, Villa Nova e Tupi se garantiram na 1a divisão de 1981.

Taça de Bronze do Campeonato Brasileiro
As equipes classificadas entre o 5º e o 8º lugares disputaram um torneio seletivo para a Taça de Bronze de 1981, que foi vencido pelo Guarani.

Critérios de desempate
Vitórias, confronto direto, saldo de gols, gols pró, sorteio.

Despreparo policial e morte
No jogo entre Atletico Três Corações e Ateneu, em 4 de outubro, o árbitro Francisco Rafael Cândido, encerrou o jogo aos 33 minutos, do 2o tempo. Ele admitiu o erro e tentou reiniciar o jogo, mas o Ateneu não voltou a campo. O impasse gerou protestos dos torcedores no estádio Elias Arbex. Numa ação desmedida, a Policia Militar lançou bombas de efeito moral sobre os torcedores. Os militares sacaram armas e dispararam tiros. Um deles matou o lanterneiro Esteves Brasil, de 25 anos. O abuso foi noticiado até pela France Press, na França. O jogo acabou anulado por "erro de direito" do árbitro.

Maior goleada
Na última rodada da primeira fase, o Cruzeiro goleou o Flamengo de Varginha, no Mineirão, por 11 a 0. Foi o maior placar da história do estádio, que só não foi maior, porque o goleiro Pascoal defendeu um pênalti cobrado por Mauro aos 62' de jogo. O árbitro Hélio Cosso ainda anulou dois gols marcados por Mauro aos 45' e aos 56' de jogo. Foi a última partida como profissional do goleiro Pascoal. O Flamengo que foi um dos clubes convidados pelo presidente Coronel Guilherme para a disputa do Estadual passava por uma grave crise política e financeira. Os atletas não recebiam salários há dois meses. Após o jogo, a diretoria do Flamengo dispensou todo o plantel e fechou as portas do estádio Rubro-negro.