domingo, 24 de maio de 2009

A heróica e histórica conquista da Copa Ouro de 1995

O atacante Paulinho Maclaren tenta conter o zagueiro Vanderci revoltado com a sua injusta expulsão pelo tresloucado arbitro Wilson de Souza Mendonça na decisão da Copa Ouro de 1995 entre Cruzeiro e São Paulo. O lateral Rogerio Pinheiro, pivô da confusão, estendido no chão, após receber falta de Rogério do Cruzeiro.

Em 1995, Cruzeiro e São Paulo decidiram a Copa Ouro, criada pela Conmebol, para ser disputada entre os campeões dos torneios promovidos pela entidade. O Cruzeiro disputou o troféu, como campeão da Copa Master de 1995 e o São Paulo, como campeão da Copa Conmebol de 1994. Os argentinos Velez Sarsfield, campeão da Libertadores de 1994 e o Independiente, campeão da Supercopa de 1994, desistiram do torneio. Como Cruzeiro e São Paulo se enfrentariam pelas quartas-de-final da Supercopa de 1995 aproveitaram as partidas para colocar a Copa Ouro, também em disputa.

O primeiro vexame de Wilson de Souza Mendonça

A primeira partida foi disputada no Mineirão (24/10/1995) e o São Paulo venceu por 1 a 0, num jogo que teve apenas o 1º tempo. Enquanto a bola rolou, o jogo foi repleto de lances ríspidos e desleais de ambas as partes sob a complacência do árbitro Wilson de Souza Mendonça. Aos 39 do 1º tempo, o árbitro não puniu uma falta violenta do lateral Rogério Pinheiro, do São Paulo, sobre o zagueiro Rogério, do Cruzeiro, que no lance seguinte revidou. O árbitro exibiu o cartão vermelho para o zagueiro cruzeirense e, em seguida, expulsou também o zagueiro Vanderci por reclamação.

O lateral Rogério Pinheiro que foi expulso duas vezes no Campeonato Brasileiro e vinha tendo a sua posição de titular ameaçada pelo técnico Telê Santana por causa de sua indisciplina em campo, sequer foi advertido por Wilson de Souza Mendonça.

Sem os zagueiros expulsos, o treinador Ênio processou as alterações para recompor a equipe: tirou os atacantes Paulinho MacLaren e Dinei e o volante Alberto e colocou os meio campista Luiz Fernando Gomes e Luiz Fernando e o lateral esquerdo Serginho.

O jogo recomeçou, mas quatro minutos depois, o despreparado Wilson de Souza Mendonça expulsou o volante Fabinho e o atacante Marcelo Ramos por reclamação. O presidente Zezé Perrella e alguns torcedores invadiram o campo sendo contidos pela Policia e a partida ficou paralisada por 12 minutos.

A partida recomeçou e mesmo com 7 jogadores (nenhum zagueiro), o Cruzeiro segurou o resultado nos minutos finais do 1º tempo.

No início do 2º tempo, numa rápida saída de bola, o Cruzeiro, quase empatou e, no lance, o atacante Luiz Fernando Gomes caiu no gramado. Após o atendimento médico o jogador alegou não ter condições de continuar. Conforme as regras da FIFA, uma equipe não pode prosseguir uma partida com 6 atletas e Wilson Souza Mendonça encerrou a primeira palhaçada de sua carreira aos 2 minutos do 2º tempo.
Postar um comentário