sexta-feira, 26 de novembro de 2010

A Taça Minas Gerais e a sua longa trajetória


O Cruzeiro derrotou o América duas vezes pelo mesmo placar de 2 a 1 na decisão do primeiro turno do Campeonato Mineiro de 1984, que correspondia ao título de "campeão da taça minas gerais". Por ter sido a terceira conquista consecutiva, o Cruzeiro ficou com a posse definitiva da Taça.


Neste domingo as 10 e meia da manhã, o tradicional clássico do triângulo mineiro, entre Uberlândia e Uberaba, irá decidir mais uma Taça Minas Gerais.

O Uberaba já se sagrou campeão da primeira versão da taça em 1980 numa decisão polêmica contra o América. Na segunda versão do troféu, que voltou a ser disputado a partir de 1999, o colorado luta pela segunda conquista consecutiva, já que é o atual vencedor, pois superou o Villa Nova na decisão de 2009.

O Uberlândia venceu a taça em 2003. Na primeira edição da taça, foi vice em 1981 e 1986.

A primeira versão da Taça Minas Gerais aconteceu entre 1973 e 1986. Segundo o regulamento, o clube que conquistasse o troféu por três vezes consecutivas ou cinco alternadas, ficaria com a sua posse definitiva.

Assim, o Cruzeiro ficou com o troféu em 1984, quando o conquistou por três vezes consecutivas, já que havia vencido em 1982 e 1983. 

A conquista de 1984 veio numa decisão contra o América. O Cruzeiro derrotou o alvi-verde duas vezes pelo placar de 2 a 1 nas partidas decisivas e levou a taça pro Barro Preto.

Esse foi o time do Cruzeiro que derrotou o Atlético por 1 a 0, em 29 de julho
de 1984, em partida válida pela primeira fase do primeiro turno do Estadual.
Em pé: Vítor, Ademar, Eugênio, Ailton, Douglas e Luis Cosme
Agachados: Eduardo, Seixas, Palhinha, Tostão e Joãozinho
Essa foi a campanha do título do Cruzeiro em 1984 que correspondia ao 1º turno do campeonato mineiro

PRIMEIRA FASE DO 1º TURNO
03/06 - CRUZEIRO 4 x 2 GUARANI
Seixas 2, Palhinha, Tostão (Cru); Alisson, Carlinhos (Gua)
09/06 - AMÉRICA 0 x 1 CRUZEIRO
Tostão (Cru)
16/06 - ALFENENSE 1 x 1 CRUZEIRO
Luciano (Alf); Eduardo (Cru)
24/06 - UBERLÂNDIA 3 x 0 CRUZEIRO
Geraldo Touro, Sérgio Ramos, Vivinho (Ubl)
01/07- CRUZEIRO 2 x 1 UBERABA
Eduardo, Tostão (Cru); Netinho (Ubr)
08/07 - DEMOCRATA-GV 3 x 0 CRUZEIRO
Jairo, Paulo Roberto, Rubinho (Dem)
15/07 - CRUZEIRO 3 x 0 CALDENSE
Eduardo, Joãozinho, Seixas (Cru)
22/07 - CRUZEIRO 2 x 0 VILLA NOVA
Quirino, Tostão (Cru)
29/07 - ATLÉTICO 0 x 1 CRUZEIRO
Luizinho-contra (Cru)
05/08 - CRUZEIRO 1 x 0 VALÉRIO
Seixas (Cru)
12/08 - DEMOCRATA-SL 1 x 1 CRUZEIRO
Rogério (Dem); Seixas (Cru)
02/09 - TUPI 0 x 3 CRUZEIRO
Joãozinho 2, Seixas (Cru)
09/09 - CRUZEIRO 1 x 0 NACIONAL-U
Carlinhos (Cru)

Os quatro primeiros colocados da primeira fase que se classificaram para as semifinais do 1º turno foram: 1º Cruzeiro (20 pontos), 2º Guarani (18 pontos), 3º Villa Nova (16 pontos) e 4º América (15 pontos).

América e Uberlândia empataram em número de pontos, mas o time da capital obteve mais vitórias. O Atlético terminou a fase em 6º lugar com 14 pontos.

SEMIFINAL DO 1º TURNO
12/09 - VILLA NOVA 1 x 1 CRUZEIRO
Erivelto (Vil); Carlinhos (Cru)
16/09 - CRUZEIRO 3 x 2 VILLA NOVA
Ademar, Eduardo, Tostão (Cru); Elísio, Osmar (Vil)

DECISÃO DO 1º TURNO
19/09 - AMÉRICA 1 x 2 CRUZEIRO
Almir (Ame); Carlinhos, Seixas (Cru)
23/09 - CRUZEIRO 2 x 1 AMÉRICA
Seixas 2 (Cru); Adilson (Ame)



CRUZEIRO 2 x 1 AMÉRICA
23/09/1984 - Campeonato Mineiro (decisão do 1º turno) - Mineirão (Belo Horizonte, MG)
Público: 39.678 (Cr$ 98.276.000,)
Árbitro: Maurílio José Santiago
Gols: Seixas 58’e 85’/ Adilson 5’
Cruzeiro: Vitor, Carlos Alberto, Geraldão (Luiz Cosme), Aílton, Ademar, Douglas, Eduardo, Tostão, Carlinhos, Seixas, Joãozinho (Palhinha). T: João Francisco
América: Jorge Hipólito, Colatina, João Batista, Eraldo, Vaner, Adauto, Tepa, Luiz Alberto (Beto), Almir, Adilson, Zezé (Zezinho). T: Jair Bala
CV: Tostão (C); Adilson (A)


A conquista do 1º turno significou a classificação direta do Cruzeiro para a decisão do Campeonato Mineiro, independente da sua classificação no 2º turno.


Como a CBF dava duas vagas para Minas Gerais na Copa Brasil e a Federação Mineira indicava o campeão e o vice estadual, a conquista da taça minas gerais representou ao Cruzeiro a classificação antecipada para o Brasileirão de 1985.


O Cruzeiro acabou conquistando o 2º turno do Campeonato Mineiro e o título estadual daquele ano numa decisão polêmica contra o Atlético. No entanto, por causa dos recursos impetrados pelo Atlético na justiça desportiva, o título e o troféu de campeão mineiro de 1984 só foram homologados seis anos depois.

A TRAJETÓRIA DA TAÇA MINAS GERAIS

A Taça Minas Gerais foi instituída em 1973 para ser disputada num torneio que antecedesse o Campeonato Mineiro por todos os clubes da divisão-extra.

O torneio não era oficial, ou seja, caso um clube não se inscrevesse não sofreria sanções como, por exemplo, ser rebaixado para a divisão de acesso ou suspenso de competições da Federação Mineira por três anos.

Como o calendário do futebol brasileiro era muito bagunçada nos anos 1970, a Federação Mineira colocou o troféu em disputa em outra competições.

Assim apenas em 1973, 1977 e 1980 a taça foi disputada num torneio próprio, sendo que nas duas últimas não houve as participações de Cruzeiro e Atlético.

Em 1975 e 1976, a Taça foi colocada em disputa no Torneio Seletivo que iria apontar os participantes do Campeonato Mineiro. Cruzeiro e Atlético participaram da taça, apesar de já estarem confirmados no campeonato estadual, pois eram os times de Minas que disputavam o Campeonato Brasileiro. Para motivar a inscrição dos grandes, a Federação concedeu ao vencedor um ponto de bônus na fase final do Campeonato Mineiro.

A partir de 1979, a Federação resolveu incluir a disputa da Taça nas fases do Campeonato Mineiro.

Na edição de 1979 e 1982 a Taça foi colocada em disputa na 1ª fase do estadual. Entre 1984 e 1986 foi válida pelo 1º turno, em 1983 pelo 2º turno e em 1981 no torneio da morte que iria apontar as duas equipes rebaixadas para a divisão de acesso

Em 1974 e 1978 não foi disputada por falta de espaço no calendário.

Um fato interessante ocorreu em 1986, quando o Atlético conquistou o 1º turno do Campeonato Mineiro. A diretoria do alvinegro cobrou da diretoria cruzeirense o troféu e tomou conhecimento que a Federação ainda não havia feito a entrega da taça aos cruzeirenses correspondente ao ano de 1985. Como o primeiro troféu que estava sendo disputado desde 1973 ficou em definitivo com o Cruzeiro em 1984, a entidade deveria providenciar a confecção de uma nova taça, mas ainda não havia feito. A partir desse episódio a taça deixou de ser disputada.

A partir de 1999 a Taça Minas Gerais reapareceu e, desta vez, sem as participações de Cruzeiro e Atlético. Em 1999 e 2000 foi válida pela 1ª fase do Campeonato Mineiro que contou apenas com a participação dos clubes do interior. A partir de 2003 passou a ser colocada num torneio próprio no segundo semestre de cada ano para indicar um dos clubes mineiros para a disputa da Copa do Brasil.

Time e comissão técnica do Uberaba pousam pra foto no Uberabão antes
da decisão da Taça Minas Gerais de 2009 contra o Villa Nova.
O colorado busca o bicampeonato domingo contra o Uberlândia
no tradicional clássico do triângulo mineiro
OS CAMPEÕES (e os vice em parêntesis) DA TAÇA MINAS GERAIS
1973 – Cruzeiro (Atlético)
1975 – Atlético (Cruzeiro)
1976 – Atlético (Cruzeiro)
1977 – Villa Nova (América)
1979 - Atlético (Cruzeiro)
1980 - Uberaba (América)
1981 – Democrata-GV (Uberlândia)
1982 – Cruzeiro (Atlético)
1983 – Cruzeiro (Atlético)
1984 – Cruzeiro (América)
*Cruzeiro ficou com a posse definitiva do troféu
1985 – Cruzeiro (Atlético)
1986 – Atlético (Uberlândia)

TAÇA MINAS GERAIS (2ª versão)
1999 – URT (Democrata-GV)
2000 – URT (Ipatinga)
2003 – Uberlândia (Araxá)
2004 – Ipatinga (Democrata-GV)
2005 – América (Caldense)
2006 – Villa Nova (Uberaba)
2007 – Ituiutaba (Tupi)
2008 – Tupi (América)
2009 – Uberaba (Villa Nova)
*1974, 1978, 1987 a 1998, 2001 e 2002 – não foi disputada


Henrique Ribeiro
twitter: @henriqueribe
Postar um comentário