quarta-feira, 27 de julho de 2011

Quem daria um milhão por Reinaldo Alagoano?

O atacante Reinaldo Alagoano (foto acima) foi mais um dos investimentos inexplicáveis do Cruzeiro na gestão dos Perrellas. Ele foi apresentado como um novo reforço do Clube na reta final do Campeonato Mineiro e apresentado oficialmente pelo gerente de futebol Eduardo Maluf, na Toca da Raposa, em 17 de maio de 2008. O Cruzeiro pagou R$ 1,2 milhões pela metade dos direitos do jogador. Não foi muito dinheiro por uma promessa, não? A justificativa apresentada por Maluf era de que o jogador foi destaque no Corinthians, de Alagoas, na Copa do Brasil. Reinaldo assinou contrato de cinco anos, ou seja, até 2013 ele é do Cruzeiro.

Tecnicamente muito fraco, entrou apenas em três partidas e não viu o cheiro do gol. Em janeiro de 2009 fez parte da lista de dispensa do treinador Adilson e, a partir daí, passou por um rosário de empréstimos e não consegue agradar em nenhum clube por onde passa. Foi para Bahia, Huesca (da segunda divisão da Espanha), Vegalta Sendai (da segunda divisão do Japão), Mirassol-SP, Boa Esporte-MG e, atualmente, está no ASA, de Arapiraca-AL. E depois os Perrellas dizem que não fazem loucuras com o dinheiro do clube!

As confusões com os horários das partidas que a CBF e as emissoras de televisão promovem no futebol não são recentes. Em 1982 os Campeonatos Estaduais estavam marcados para começar, após a Copa do Mundo. Para manter os clubes em atividade durante o período, a CBF organizou uma competição envolvendo todos os campeões e vicecampeões brasileiros desde 1959. Era a Taça dos Campeões! A tabela marcou o confronto entre Cruzeiro e Grêmio, no Olímpico, no dia 8 de maio, as cinco da tarde. A pedidos da televisão, a CBF antecipou o horário para as quatro da tarde, mas não deu tempo de avisar a torcida gremista que só chegou no estádio no segundo tempo da partida. A desinformação provocou, inclusive, a ausência do árbitro Bráulio Zanotto e do auxiliar Wilson Bagatini.

Nesta partida, o Cruzeiro precisava da vitória e dependia da derrota do Atlético para o América, do Rio, para se classificar para as quartas-de-final. O atacante Edmar abriu o placar para o Cruzeiro aos 20 do segundo tempo, mas um minuto depois, o árbitro gaúcho Sílvio Oliveira, que era para ter sido o auxiliar no jogo, assinalou um pênalti inexistente de Luis Cosme em Tarciso. A marcação foi tão absurda que a própria torcida gremista gritou o coro de “ladrão” no estádio. O zagueiro uruguaio Dé Leon converteu a cobrança e a partida terminou em 1 a 1. O América-RJ, que entrou no torneio como convidado, venceu o Atlético e se classificou. O time carioca acabou se sagrando o campeão da taça.

CRUZEIRO 2 X 1 BAHIA
17/06/2011 (Dom-18:30h) - Campeonato Brasileiro (Turno) - Arena do Jacaré (Sete Lagoas, MG)
Público: 6.666 (R$ 108.625,)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Fábio Pereira (TO) e João Patrício de Araújo (GO)
Gols: Wallyson 4' e 52' (C)/ Jobson 14'(B)
Cruzeiro: 1-Fábio; 2-Vitor (17-Roger/46'), 4-Naldo, 3-Léo e 6-Gilberto (16-Dudu/78'); 8-Leandro Guerreiro, 5-Fabrício, 7-Marquinhos Paraná e 10-Montillo; 11-Wallyson e 9-Ortigoza (15-Everton/68'). T: Joel Santana
Bahia: 31-Marcelo Lomba; 54-Jancarlos, 28-Paulo Miranda, 22-Titi e 6-Ávine; 8-Helder (80-Ricardinho/61'), 7-Fahel, 17-Diones (21-Gabriel/73') e 19-Carlos Alberto; 11-Jobson e 99-Junior (77-Lulinha/55') T: Renê Simões
CA: Fabrício/71', Léo/74' e Leandro Guerreiro/89' (C); Jancarlos/37', Jobson/82' e Fahel/87' (B)

twitter:
@henriqueribe
Postar um comentário