sábado, 27 de agosto de 2011

Perrella perde dinheiro em promessa colombiana e vende as pratas da casa

"Sim, ele é do exterior. Não podemos revelar o seu nome para não atrapalhar a negociação. Só podemos adiantar que estamos trazendo um jogador a nível de Seleção". Quantas vezes a sofrida torcida do Cruzeiro ouviu essa frase dos membros da administração Perrella? Quanto suspense? Quanta expectativa? E, então, chega o dia da revelação e, simplesmente, os porta-vozes da adm. perrella anunciam a contratação de um mero desconhecido. E vem a frustração. De nada adianta consolar a torcida que o jogador fez partidas pela Seleção do seu país. Todos sabem. Se fosse bom, não seria desconhecido. Assim foi com as contratações dos paraguaios Sotelo, Espínola e Quintana, dos equatorianos Espinoza e De La Cruz, do chileno Tapia, do colombiano Viveros e tantos outros, como o personagem desta postagem: o meia colombiano Javier Reina.

A sua contratação foi concretizada em 14 de abril de 2008 e o jogador de apenas 19 anos, assinou contrato de três anos. Na ocasião, a assessoria de comunicação do Cruzeiro divulgou os valores do negócio: a administração Perrella adquiriu 80% dos seus direitos econômicos em parceria com o Grupo Sonda, do setor de supermercados, por US$ 900 mil (R$ 1,49 milhão).

A justificativa que a administração Perrella apresentou para a sua contratação foi a de que Reina era considerado uma promessa do futebol colombiano, de grande potencial, de nível de Seleção. Mas, não seria mais fácil e coerente investir esses um milhão e meio de reais para manter no Clube as promessas reveladas pela sua própria categoria de base, onde muitos também são de nível de Seleção, como o meia Dudu, que foi negociado no início da noite desta sexta-feira, ao futebol russo?

Reina foi mais uma contradição, ou mentira pregada, pela Adm Perrella. Ela própria não acreditou em Reina e envolveu o jogador "de nível de seleção" numa série de empréstimos - todos gratuitos. Primeiro foi o Vitória, da Bahia, onde foi pouco aproveitado, e depois o Ipatinga, onde chegou a atuar em alguns jogos, porém sem nenhum destaque.

Em 2010, Reina fez suas três únicas apresentações com a camisa do Cruzeiro, sendo que em todas elas entrou no decorrer das partidas. Não mostrou nada que pudesse justificar o alto investimento de um milhão e meio de reais. Em seguida, foi emprestado ao Ceará e, no início deste ano, ao Chunnan Dragons, da Coréia. O contrato do jogador expira em maio e, pelo jeito, a administração Perrella fez mais uma loucura com o dinheiro do Clube.


CRUZEIRO 5 X 0 AVAÍ (SC)
13/08/2011 (Sab-18h30) - Campeonato Brasileiro (turno/16ª) - Parque do Sabiá (Uberlândia, MG)
Público: 6.642 (R$ 120.472,50)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Rodrigo Pereira Joia (RJ)
Gols: Fabrício 27’, Anselmo Ramon 34’, Montillo (pênalti) 43’, Thiago Ribeiro 80’, Ortigoza 83’
Cruzeiro: 1-Fábio; 2-Vítor, 4-Naldo, 3-Léo e 6-Diego Renan; 8-Marquinhos Paraná, 5-Fabrício (15-Leandro Guerreiro/79’), 7-Roger (18-Thiago Ribeiro/68’) e 10-Montillo; 11-Anselmo Ramon e 9-Wellington Paulista (17-Ortigoza/74’). T: Joel Santana
Avaí: 1-Felipe; 30-Welton Felipe, 28-Bruno Silva e 49-Dirceu; 13-Daniel, 8-Acleisson (27-Thiago Sales/75’), 22-Batista, 35-Fabiano (7-Diogo Orlando/46’), 6-Romano e 18-Cleverson; 11-Rafael Coelho (17-Maurício Alves/46’). T: Alexandre Gallo
CA: Fabrício/29’ (C); Romano/31’ e Acleisson/35’ (A)
CV: Welton Felipe/43’ (A)
*Felipe defendeu a cobrança de pênalti de Montillo aos 45’. Mesmo com a goleada o Cruzeiro se manteve na 11ª posição na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro com 21 pontos ganhos - 13 a menos que o líder Corinthians.

twitter:
@henriqueribe

Postar um comentário