segunda-feira, 21 de maio de 2012

AGENDA HISTÓRICA

O "goleiro cinema" Genivaldo no time campeão mineiro de 1961

Por Henrique Ribeiro

21/05/1951 - Torcedores entregam abaixo-assinado à diretoria cruzeirense pedindo a volta do treinador Niginho, após Souza ter sido suspenso. Niginho havia dirigido o time nas temporadas de 1948 e 1949. No entanto, o treinador Juvenal Pereira, que estava no Villa Nova, é que viria a ser contratado em junho.

22/05/1994 - O time reserva do Cruzeiro empata sem gols com o Democrata, em Governador Valadares, pela última rodada do Campeonato Mineiro e garante o título invicto do Estadual, que já havia sido conquistado com três rodadas de antecedência. Os reservas foram escalados, porque, no mesmo dia, os titulares enfrentaram o Vasco, num amistoso, no Rio de Janeiro, que também terminou empatado sem gols. Ao todo o Cruzeiro disputou 22 partidas naquele Estadual e obteve 17 vitórias e 5 empates.

23/05/1978 - ao ser emprestado ao America, o goleiro Helio encerra a sua passagem pelo Cruzeiro. Ele veio do Atletico em janeiro de 1971 e foi titular até 1973. Na derrota por 1 a 0 para o Santos, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro, em 3 de outubro de 1971, entrou para a história ao defender uma cobrança de pênalti de Pelé. Um feito quase impossível na época. Helio disputou 199 jogos, sofreu 121 gols e foi campeão do Campeonato Mineiro de 1972, 1973, 1975 e 1977 e da Taça Minas Gerais de 1973, além de ter participado, como reserva, dos títulos da Libertadores de 1976 e do Estadual de 1974.

24/05/2006 - o atacante Carlinhos Bala estreia no Cruzeiro, na goleada por 5 a 1, sobre a Ponte Preta, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro. Ele marcou o primeiro gol que deu início a goleada e jogou com a camisa de número 38 em alusão ao calibre de munição. Ele veio do Santa Cruz-PE após ter sido o destaque da Série B do Brasileirão. Em 17 partidas pelo Cruzeiro marcou apenas três gols. Seu contrato iria até maio de 2009, mas foi rescindido em janeiro.

25/05/2003 - o Cruzeiro perde para o Vitoria por 2 a 1, no Barradão, em Salvador, pelo Campeonato Brasileiro. O resultado interrompeu uma seria invicta de 36 jogos. A sequência havia começado em 3 de novembro de 2002, na vitória por 3 a 2, sobre o Grêmio, no Independência, pelo Campeonato Brasileiro. Ao todo foram 29 vitórias e 7 empates.

26/05/1960 - Com gols de Amauri e Hilton Oliveira, o Cruzeiro vence o Grêmio, de virada, por 2 a 1, num amistoso, no Independência. Foi o primeiro confronto entre os clubes. O gol tricolor foi marcado por Elton.

27/05/1956 - Após uma série de amistosos contra clubes da zona da mata do estado, a delegação do Cruzeiro retorna a Belo Horizonte com duas novidades entre os passageiros no ônibus: o goleiro Genivaldo e o ponta Tiãozinho. Os dois haviam reforçado o Nacional, de Visconde do Rio Branco, no amistoso em que o Cruzeiro venceu por 2 a 1, naquela cidade, no dia 15 de maio. Tiãozinho não seria aprovado nos testes, mas Genivaldo que pertencia ao Ribeiro Junqueira, de Leopoldina, se tornou titular e defendeu o Cruzeiro até 1961, quando resolveu abandonar a carreira após ter sido aprovado nos testes para a Guarda Civil. Foi apelidado de "goleiro cinema" por causa da plasticidade de suas defesas. Com a camisa estrelada disputou 131 jogos, sofreu 139 gols e sagrou-se campeão do Campeonato Mineiro de 1959, 1960 e 1961, do Campeonato da Cidade de 1956 e da Copa Belo Horizonte de 1960.


twitter: @henriqueribe
facebook: http://www.facebook.com/almanaquedocruzeiro
Postar um comentário