sábado, 23 de junho de 2012

Cruzeiro e Vasco completam 50 duelos pelo Campeonato Brasileiro


Foto: Estado de Minas
Na campanha do título brasileiro de 2003, o Cruzeiro superou o Vasco 
duas vezes. Na foto, o zagueiro Cris comemora o gol de cabeça de 
Marcio Nobre na difícil vitória por 1 a 0, no returno, em Campo Grande-MS

Por Henrique Ribeiro

Hoje à noite, em São Januário, Cruzeiro e Vasco se enfrentam pela 50ª vez pelo Campeonato Brasileiro. A vantagem no número de vitórias pela competição é cruzeirense, ou seja, quatro a mais, mas o time de São Januário venceu o mais importante deles, que foi a decisão do título de 1974, que foi antecedida pela polêmica inversão do mando de campo do Mineirão para o Maracanã.

Antes da disputa do primeiro Campeonato Brasileiro em 1959, o Vasco foi, ao lado do Botafogo, o time do eixo Rio-São Paulo, que mais disputou amistosos com o Cruzeiro. Um deles, em 11 de outubro de 1929, foi à luz dos refletores do estádio de São Januário. Foi o primeiro jogo noturno disputado pelo Cruzeiro e por um time da capital mineira e a estréia do time estrelado no estado do Rio.

E foi num amistoso contra o Vasco, em 8 de setembro de 1939, no estádio de Lourdes, onde está, atualmente, o Shopping Diamond Mall e que pertencia ao Atlético, que o Cruzeiro conquistou sua primeira vitória sobre um dos grandes do eixo. O atacante Geninho foi o destaque com dois gols marcados.

O Vasco também foi o clube convidado para a festa de inauguração da Sede do Cruzeiro, na rua Guajajaras, no Barro Preto, no feriado nacional do dia 15 de novembro de 1956.
As polêmicas arbitragens nas partidas pelo Campeonato Brasileiro de 1974, 
no Mineirão e no Maracanã, marcaram a história do confronto.
Na foto o zagueiro Darci faz carga sobre o artilheiro Roberto Dinamite

A boa relação entre os clubes se estremeceu a partir de 1974, durante a disputa da Fase Final do Campeonato Brasileiro. No dia 24 de julho as equipes empataram em 1 a 1, no Mineirão, graças a péssima arbitragem do pernambucano Sebastião Rufino, que já havia prejudicado o Cruzeiro, também na fase final do Campeonato Brasileiro de 1970, contra o Fluminense, no Mineirão. O apitador deixou de assinalar um pênalti claro cometido pelo volante Alcir em Palhinha nos momentos finais do jogo. O próprio jogador vascaíno admitiu em entrevista aos repórteres na saída de campo, que havia derrubado o atacante cruzeirense, porque sabia que “a arbitragem não marca pênalti nos minutos finais”.

Caso o Cruzeiro, que tinha um exímio cobrador de bolas paradas em seu plantel, o lateral Nelinho, tivesse convertido a penalidade em gol e vencido aquela partida, um empate contra o Santos, no Morumbi, na última partida da fase final, confirmaria o titulo ao time estrelado.
Foto: Estado de Minas
O pênalti que não foi marcado pelo árbitro Sebastião Rufino
nos instantes finais da partida contra o Vasco, no Mineirão,
custou o título ao Cruzeiro e gerou a revolta dos dirigentes,
como o vice presidente Furletti (de bigode). A súmula do jogo
também foi determinante para a inversão do mando de campo

Por causa do pênalti não marcado, o campo foi invadido e a partida paralisada por alguns minutos. O arbitro Sebastião Rufino relatou na súmula os incidentes. O presidente do Vasco, Antônio do Passo, então, de posse da súmula, entrou com um recurso no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, e exigiu que se cumprisse o parágrafo do regulamento, que previa a punição da invasão de campo com a inversão do mando de jogo na partida seguinte. A partida que estava marcada para a quarta-feira foi cancelada até o julgamento do recurso.

O Cruzeiro atravessava uma grave crise financeira com salários, bichos e premiações dos jogadores atrasados há três meses e sua diretoria preferiu evitar a briga nos tribunais. Como o Maracanã tinha quase o dobro da capacidade do Mineirão e as arrecadações com bilheteria eram bem maiores, o presidente Felício Brandi, do Cruzeiro, concordou em transferir o jogo para o Rio.
Foto: Estado de Minas
Na foto, o atacante Luis Carlos, domina a bola, com Piazza
em seu encalço. Atrás está Roberto Dinamite vigiado pelo zagueiro
Perfumo. Ao fundo o meio campo Eduardo e o volante Zé Carlos,
que foi o autor do gol anulado, no Maracanã.

O Vasco venceu por 2 a 1, mas um gol marcado pelo volante Zé Carlos, do Cruzeiro, nos minutos finais, causou a polêmica que permanece até os dias atuais. Caso não tivesse sido anulado e a partida terminasse empatada em 2 a 2, o título seria decidido na disputa de tiros livres.

A origem do lance foi um rebote da defesa vascaína para fora da área. O atacante Baiano segurou o lateral Alfinete e correu para a linha de fundo. Quando o árbitro Armando Marques e os jogadores vascaínos gesticulavam, ele cruzou para o volante Zé Carlos completar, de cabeça, no canto direito.

Os vascaínos se defendem e alegam que também tiveram um gol mal anulado, ainda no primeiro tempo, quando venciam a partida por 1 a 0. Num lançamento de Zanata, o atacante Jorginho Carvoeiro avançou pela ponta. O goleiro Vitor saiu mal e deixou o gol aberto. O atacante vascaíno tocou para as redes, mas o lance já estava impugnado pela arbitragem. Ainda não se sabe o motivo, se o jogador cometeu falta no marcador cruzeirense ou se estava em posição de impedimento.

A delegação cruzeirense foi recebida no aeroporto da Pampulha por uma grande multidão de cruzeirenses que recebeu os jogadores com aplausos. O mesmo não aconteceu com os membros da diretoria que, quando passaram pelo saguão do aeroporto, levaram uma sonora vaia.

A partir desse jogo a relação entre os clubes não foi a mesma. E piorou quando os mandatários, Eurico Miranda, pelo Vasco e Zezé Perrella, pelo Cruzeiro, foram eleitos deputados federais, nos anos 1990. As divergências entre ambos no Congresso Nacional foram transportada para o terreno das quatro linhas.
No Campeonato Brasileiro de 1991, o Cruzeiro, do armador Boaideiro
goleou o Vasco, do meiocampista William, por 3 a 0, no Mineirão.

As semifinais do Campeonato Brasileiro de 2000 foi o principal capítulo dessa discórdia, quando o Cruzeiro não quis aceitar o adiamento do primeiro jogo, em São Januário. O Vasco havia feito o segundo jogo da decisão da Copa Mercosul, contra o Palmeiras, e a data da partida marcada contra o Cruzeiro, em São Januário, desrespeitava o prazo de 72 horas.

Zezé Perrella não se mostrou solidário a Eurico e ao Vasco e não aceitou a proposta para o remanejamento da data. A delegação do Cruzeiro embarcou para o Rio para disputar o jogo na data previamente marcada. No entanto, por causa de uma liminar do Sindicato dos Jogadores Profissionais a data da partida teve de ser remanejada. O jogo terminou empatado em 2 a 2, mas o Vasco conquistou a vaga para a decisão, na partida de volta, no Mineirão, com a vitória por 3 a 1.

Duas cobranças de pênaltis envolvendo um mesmo personagem entrariam para a história deste confronto. O atacante Edmundo, que havia tido um passagem vitoriosa pelo Vasco, foi uma das contratações bombásticas do Cruzeiro para o Campeonato Brasileiro de 2001. Na partida contra o Vasco, em São Januário, o jogador cobrou mal um pênalti, que acabou defendido pelo goleiro Helton. Uma entrevista do jogador antes da partida dizendo que não gostaria de marcar contra seu ex-time motivou a sua demissão.

Sete anos depois, no Brasileiro de 2008, o Vasco corria sério risco de rebaixamento e perdia a partida para o Cruzeiro por 2 a 1, em São Januário, quando aos 30 do segundo tempo teve o goleiro Thiago expulso ao cometer falta no atacante Guilherme, dentro da área. Como o técnico Tita, do Vasco, já havia processado as três alterações, Edmundo teve de ser improvisado como goleiro e acabou tomando o gol na cobrança feita por Guilherme. Nos 15 minutos finais, o time cruzeirense evitou a goleada, que poderia ainda ser maior, a pedidos dos jogadores vascaínos. Edmundo chorou na saída de campo dizendo: “é humilhação demais”. O jogador ainda revelou que encerraria a carreira.

Foto: Washington Alves/Vipcomm
O atacante Edmundo improvisado como goleiro ao lado do atacante Guilherme.
"Foi humilhação demais", declarou a atacante após a derrota em São Januário

CAMPEONATO BRASILEIRO

Jogo 17 - 22/03/1967 - Empate 1 x 1
Primeira Fase - Maracanã
Gols: Tostão (falta) 60' (1-0); Oldair (pênalti) 74'
Jogo 18 - 27/11/1968 - Empate 1 x 1
Primeira Fase - Mineirão
Gols: Tostão 30' (1-0); Eberval (falta) 59'
Jogo 19 - 09/11/1969 - Cruzeiro 1 x 0
Primeira Fase - Mineirão
Gol: Evaldo 79'
Jogo 20 - 03/12/1970 - Cruzeiro 3 x 0
Primeira Fase - Maracanã
Gols: Dirceu Lopes 40', Piazza (pênalti) 64', Dirceu Lopes 84'
Jogo 21 - 05/09/1971 - Empate 0 x 0
Primeira Fase - Mineirão
Jogo 23 - 25/10/1972 - Vasco 1 x 0
Primeira Fase - Maracanã
Gol: Luis Carlos 83'
Jogo 24 - 14/12/1972 - Vasco 3 x 1
Fase Semifinal - Maracanã
Gols: Silva 13' (0-1), Moisés (contra) 50' (1-1), Gilson Nunes 68' (1-2), Jorginho Carvoeiro 87' (1-3)
Jogo 25 - 28/11/1973 - Vasco 3 x 1
Segunda Fase - Maracanã
Gols: Luis Carlos 18' (0-1), Eduardo 19' (1-1), Luis Carlos 55' (1-2), Alfinete (pênalti) 74' (1-3)
Jogo 26 - 24/07/1974 - Empate 1 x 1
Fase Final - Mineirão
Gols: Zé Carlos 44' (1-0), Alfinete 58' (1-1)
Jogo 27 - 01/08/1974 - Vasco 2 x 1
Decisão - Maracanã
Gols: Ademir 14' (0-1), Nelinho 64' (1-1), Jorginho Carvoeiro 78' (1-2)
Jogo 30 - 22/10/1975 - Vasco 1 x 0
Segunda fase - Mineirão
Gol: Roberto Dinamite 57'

Foto: Estado de Minas
Os capitães Edmundo e Alex, do Vasco e do Cruzeiro, respectivamente, antes
da partida pelo turno do Brasileiro de 2003, observados pelo trio de arbitragem
formado pelo árbitro Paulo César Oliveira (ao centro), Valter Reis e Dante Mesquita

Jogo 31 - 02/07/1978 - Empate 2 x 2
Terceira fase - Mineirão
Gols: Roberto César 20' (1-0), Guina 57' (1-1), Paulinho 85' (1-2), Erivelto 86' (2-2)
Jogo 32 - 06/02/1983 - Empate 0 x 0
Primeira Fase - Maracanã
Jogo 33 - 23/02/1983 - Empate 0 x 0
Primeira Fase - Mineirão
Jogo 34 - 14/09/1986 - Empate 0 x 0
Primeira fase - Maracanã
Jogo 35 - 28/10/1987 - Cruzeiro 3 x 0
Segundo turno - Mineirão
Gols: Moroni (contra) 13', Claudio Adão 38', Careca 86'
Jogo 36 - 27/11/1988 - Empate 0 x 0
Primeira fase (2º turno) - Mineirão
Jogo 37 - 07/09/1989 - Vasco 1 x 0
Primeira fase - Mineirão
Gol: Vivinho 50'
Jogo 38 - 19/09/1990 - Empate 1 x 1
Primeiro turno - São Januário
Gols: Sorato 9' (0-1), Ramon Menezes (1-1)
Jogo 39 - 06/02/1991 - Cruzeiro 3 x 0
Primeira fase - Mineirão
Gols: Charles 23', Marcinho 74', Charles 75'
Jogo 40 - 06/05/1992 - Cruzeiro 1 x 0
Primeira fase - São Januário
Gol: Paulo Roberto (falta) 82'
Jogo 46 - 24/08/1994 - Empate 1 x 1
Primeira fase - Mineirão
Gols: Toninho Cerezo 7' (1-0), Célio Lúcio (contra) 29'
Jogo 47 - 31/08/1994 - Vasco 1 x 0
Primeira fase - São Januário
Gol: Nonato (contra) 71'
Jogo 48 - 15/10/1995 - Vasco 3 x 2
Segundo turno - Mineirão
Gols: Marcelo Ramos 8' (1-0), Roberto Gaúcho 16' (2-0), Valdir 36' (2-1), Ricardo Rocha 69' (2-2), Valdir 86' (2-3)
Jogo 51 - 13/10/1996 - Cruzeiro 1 x 0
Primeira fase - Mané Garrincha (Brasília)
Gol: Palhinha (pênalti) 18'
Jogo 52 - 08/10/1997 - Empate 0 x 0
Primeira fase - Mineirão
Jogo 57 - 06/09/1998 - Vasco 2 x 0
Primeira fase - São Januário
Gols: Sorato 45', Nelson 89'
Jogo 58 - 03/11/1999 - Cruzeiro 2 x 1
Primeira fase - Mineirão
Gols: André Luiz 34' (1-0), Donizete 38' (1-1), Valdo (pênalti) 42'
Jogo 61 - 06/08/2000 - Empate 3 x 3
Primeira fase - São Januário
Gols: Viola 1' (0-1), Romario 16' (0-2), Viola 33' (0-3), Geovanni (falta) 36' (1-3), Oseas 46' (2-3), Geovanni 49' (3-3)
Jogo 62 - 16/12/2000 - Empate 2 x 2
Semifinal - São Januário
Gols: Euller 39' (0-1), Euller 47' (0-2), Fábio Junior 79' (1-2), Alex Mineiro 87' (2-2)
Jogo 63 - 23/12/2000 - Vasco 3 x 1
Semifinal - Mineirão
Gols: Juninho Pernambucano (falta) 32' (0-1), Sorin 40' (1-1), Euller 67' (1-2), Romario 90' (1-3)
Jogo 64 - 03/10/2001 - Vasco 3 x 0
Primeira fase - São Januário
Gols: Romario (pênalti) 20', Romario 65', Romario 83'
Jogo 65 - 25/09/2002 - Cruzeiro 4 x 0
Primeira fase - Mineirão
Gols: Marcelo Ramos 32', Paulo Miranda 45', Fabio Junior 53' Alessandro 68'
Jogo 68 - 16/07/2003 - Cruzeiro 4 x 1
Turno - Mineirão
Gols: Deivid 10' (1-0), Edu Dracena 18' (2-0), Deivid 50' (3-0), Rodrigo Souto 56' (3-1), Deivid 68' (4-1)
*foi a maior goleada da história do confronto
Jogo 69 - 09/11/2003 - Cruzeiro 1 x 0
Returno - Morenão (Campo Grande, MS)
Gol: Marcio Nobre 53'
Jogo 70 - 20/07/2004 - Vasco 3 x 2
Turno - São Januário
Gols: Martinez 10' (1-0), Petkovic (pênalti) 29', Anderson 42' (1-2), Robson Luiz 55' (1-3), Jussiê (pênalti) 58'
Jogo 71 - 07/11/2004 - Cruzeiro 3 x 2
Returno - Mineirão
Gols: Edu Dracena 4' (1-0), Thiago Maciel 11' (1-1), Maldonado 32' (2-1), Maldonado 70' (3-1), Coutinho 84' (3-2)
Foto: Washington Alves/Vipcomm
O zagueiro Edcarlos comemora o terceiro gol da vitória por 3 a 1,
na Arena do Jacaré, que manteve o Cruzeiro na briga pelo título brasileiro
até a última rodada

Jogo 72 - 26/06/2005 - Empate 3 x 3
Turno - Mineirão
Gols: Lopes 10' (1-0), Patrick 36' (2-0), Alex Dias (pênalti) 45' (2-1), Marcelo Batatais 53' (3-1), Morais 69' (3-2), Gomes 84' (3-3)
Jogo 73 - 05/10/2005 - Empate 3 x 3
Returno - São Januário
Gols: Romario 19' (0-1), Alecsandro 39' (1-1), Romario (pênalti) 48' (1-2), Alex Dias 53' (1-3), Kelly (pênalti) 64', Diego 66' (3-3)
Jogo 74 - 30/07/2006 - Vasco 1 x 0
Turno - São Januário
Gol: Ramon Menezes 50'
Jogo 75 - 05/11/2006 - Cruzeiro 2 x 1
Returno - Mineirão
Gols: André Luis 13' (1-0), Diego 46' (2-0), Ramon Menezes 65' (2-1)
Jogo 76 - 30/06/2007 - Cruzeiro 3 x 1
Turno - Mineirão
Gols: Martín Garcia 8' (0-1), Roni 29' (1-1), Wagner 88' (2-1), Guilherme 90'+2' (3-1)
Jogo 77 - 23/09/2007 - Cruzeiro 2 x 0
Returno - São Januário
Gols: Ramires 15', Thiago 75'
Jogo 78 - 08/06/2008 - Cruzeiro 1 x 0
Turno - Mineirão
Gols: Charles 71'
Jogo 79 - 04/09/2008 - Cruzeiro 3 x 1
Returno - São Januário
Gols: Guilherme 29' (1-0), Ramires 36' (2-0); André 70' (2-1), Guilherme 76' (3-1)
Jogo 80 - 28/08/2010 - Empate 1 x 1
Turno - São Januário
Gols: Zé Roberto 44' (0-1), Fernando (contra) 45'+3' (1-1)
Jogo 81 - 21/11/2010 - Cruzeiro 3 x 1
Returno - Arena do Jacaré (Sete Lagoas)
Gols: Roger 13' (1-0), Henrique 19' (2-0), Edcarlos 32' (3-0), Renato Augusto 45' (3-1)
Jogo 82 - 29/06/2011 - Cruzeiro 3 x 0
Turno - São Januário
Gols: Leandro Guerreiro 53', Montillo 89', Roger 90'+1'
*foi a 500a vitória do Cruzeiro em campeonatos brasileiros
Jogo 83 - 25/09/2011 - Vasco 3 x 0
Returno - Arena do Jacaré (Sete Lagoas)
Gols: Diego Souza 38', Diego Souza 59', Diego Souza 80'
 Foto: Washington Alves/Vipcomm
O meiocampista Roger sobe o alambrado da Arena do Jacaré para 
comemorar seu gol junto a torcida na vitória sobre o Vasco pelo
returno do Brasileiro de 2010

TOTAL DE JOGOS PELO CAMPEONATO BRASILEIRO: 49
Vitórias do cruzeiro: 18
Empates: 17
Vitórias do Vasco: 14
Total de Gols: 127
Gols do Cruzeiro: 70
Gols do Vasco: 57

ARTILHEIROS DO CONFRONTO PELO CAMPEONATO BRASILEIRO
7 gols: Romario (Vasco)
3 gols: Deivid, Guilherme (Cruzeiro)
3 gols: Diego Souza, Euller, Luis Carlos (Vasco)
2 gols: Charles, Diego, Dirceu Lopes, Edu Dracena, Fábio Júnior, Geovanni, Maldonado, Marcelo Ramos, Ramires, Roger, Tostão (Cruzeiro)
2 gols: Alex Dias, Alfinete, Jorginho Carvoeiro, Ramon Menezes, Sorato, Valdir, Viola (Vasco)
1 gol: Alecsandro, Alessandro, Alex Mineiro, André Luis (zagueiro), André Luiz (lateral esquerdo), Careca, Charles, Cláudio Adão, Edcarlos, Eduardo, Erivelto, Evaldo, Henrique, Jussiê, Kelly, Leandro Guerreiro, Lopes, Marcelo Batatais, Marcio Nobre, Martinez, Montillo, Nelinho, Oséas, Palhinha, Patrick, Paulo Miranda, Paulo Roberto, Piazza, Ramon Menezes, Roberto Batata, Roberto Gaúcho, Roni, Sorin, Thiago, Toninho Cerezo, Valdo, Wagner, Zé Carlos (Cruzeiro)
1 gol: Ademir, Anderson, André, Donizete, Eberval, Gilson Nunes, Gomes, Guina, Juninho Pernambucano, Marcinho, Martín Garcia, Morais, Nelson, Oldair, Paulinho, Petkovic, Renato Augusto, Ricardo Rocha, Roberto Dinamite, Robson Luiz, Rodrigo Souto, Silva, Thiago Maciel, Vivinho, Zé Roberto (Vasco)
1 gol contra: Fernando, Moisés e Moroni a favor do Cruzeiro e Célio Lúcio e Nonato a favor do Vasco

Capa da Revista Placar de 1975 anunciava o confronto pela Libertadores
de 1975 como a vingança da decisão do Brasileiro de 1974

TAÇA LIBERTADORES

Jogo 28 - 23/02/1975 - Cruzeiro 3 x 2
Primeira Fase - Mineirão
Gols: Palhinha 38' (1-0), Jair Pereira 40' (1-1), Palhinha 54' (2-1), Roberto Dinamite 87' (2-2), Nelinho (falta) 89' (3-2)
Jogo 29 - 23/03/1975 - Empate 1 x 1
Primeira Fase - São Januário
Gols: Luis Carlos 16' (0-1), Vanderlei 20' (1-1)
Jogo 53 - 15/04/1998 - Vasco 2 x 1
Oitavas de final - São Januário
Gols: Marcelo Ramos (pênalti) 20' (1-0), Luisão 27' (1-1), Donizete 57' (1-2)
Jogo 54 - 02/05/1998 - Empate 0 x 0
Oitavas de final - Mineirão

TORNEIO SELETIVO (TAÇA LIBERTADORES)

Jogo 59 - 04/12/1999 - Vasco 3 x 1
Quartas de final - São Januário
Gols: Edmundo 3' (0-1), Muller 19' (1-1), Viola 60' (1-2), Viola 85' (1-3)
Jogo 60 - 08/12/1999 - Cruzeiro 4 x 2
Quartas de final - Mineirão
Gols: Viola 4' (0-1), Valdo 28' (1-1), Muller 59' (2-1), Ricardinho 62' (3-1), Alex Oliveira (pênalti) 84' (3-2), Paulo Isidoro 87' (4-2)
O atacante Palhinha sobe para o cabeceio observado por Dirceu Lopes.
Ele marcou um gol de placa contra o Vasco pela Libertadores de 1975, no Mineirão

COPA DO BRASIL

Jogo 42 - 20/05/1993 - Cruzeiro 3 x 1
Semifinal - Mineirão
Gols: Luiz Fernando 22' (1-0), França 28' (1-1), Edenilson Pateta 45' (2-1), Edenilson Pateta 80' (3-1)
Jogo 43 - 27/05/1993 - Empate 1 x 1
Semifinal - Maracanã
Gols: Valdir 8' (0-1), Paulo Roberto 67' (1-1)
Jogo 49 - 28/03/1996 - Cruzeiro 6 x 2
Oitavas de final - São Januário
Gols: Ueslei 3' (1-0), Gelson 11' (2-0), Nilson 29' (2-1), Roberto Gaúcho 52' (3-1), Marcelo Ramos 55' (4-1), Palhinha 60' (5-1), Zinho 73' (5-2), Edmundo 83' (6-2)
Jogo 50 - 17/04/1996 - Empate 1 x 1
Oitavas de final - Independência
Gols: Marcelo Ramos (pênalti) 42' (1-0), Zinho 49' (1-1)
Jogo 55 - 19/05/1998 - Cruzeiro 2 x 0
Semifinal - Mineirão
Gols: Bentinho 31', Gottardo 48'
Jogo 56 - 23/05/1998 - Empate 0 x 0
Semifinal - São Januário
Jogo 66 - 07/05/2003 - Cruzeiro 2 x 1
Quartas de final - Mineirão
Gols: Aristizabal 14' (1-0), Marques 26' (1-1), Alex 44' (2-1)
Jogo 67 - 14/05/2003 - Empate 1 x 1
Quartas de final - São Januário
Gols: Alex 13' (1-0), Souza 60' (1-1)

AMISTOSOS

Jogo 1 - 30/10/1927 - Empate 1 x 1
Barro Preto (Belo Horizonte)
Gols: Álvaro 23' (0-1), Ninão (pênalti) 59'
Jogo 2 - 11/10/1929 - Vasco 3 x 1
São Januário
Gols: Oito-quatro 3' (0-1), Ninão (pênalti) 41'(1-1), Russo 57' (1-2), Pascoal 63' (1-3)
Jogo 3 - 06/03/1937 - Vasco 2 x 1
São Januário
Gols: Camilo 47' (1-0), Raul 65' (1-1), Raul 71' (1-2)
Jogo 4 - 05/02/1938 - Vasco 2 x 1
São Januário
Gols: Zama 3' (1-0), Alfredo 14' (1-1), Raul 30' (1-2)
Jogo 5 - 08/09/1939 - Cruzeiro 2 x 1
Lourdes (Belo Horizonte)
Gols: Geninho 36' (1-0), Geninho 65' (2-0), Gandulla 73' (2-1)
Jogo 6 - 12/02/1941 - Vasco 3 x 2
São Januário
Gols: Nogueirinha 8' (1-0), Alfredo 17' (1-1), Zarzur 37' (1-2), Alcides (pênalti) 70' (2-2), Nino 78' (2-3)
Jogo 7 - 16/03/1941 - Empate 1 x 1
Barro Preto (Belo Horizonte)
Gols: Gonzalez 18' (0-1), Alcides (pênalti) 75'
Jogo 8 - 09/02/1946 - Vasco 3 x 2
São Januário
Gols: João Pinto (0-1), Alfredo (0-2), Djalma (0-3), Niginho (1-3), Orlando (2-3)
Jogo 9 - 18/01/1948 - Vasco 3 x 1
Barro Preto
Gols: Dimas 40'' (0-1), Friaça (pênalti) 37' (0-2), Maneca 71' (0-3), Nonô 86' (1-3)
*Dimas marcou o gol mais rápido da história do confronto aos 40 segundos de jogo
Jogo 10 - 15/11/1956 - Vasco 4 x 1
Alameda (Belo Horizonte)
Gols: Adelino (contra) 16' (0-1), Pinga 22' (0-2), Laerte 48' (0-3), Guerino 51' (1-3), Valmir 53' (1-4)
Jogo 11 - 13/04/1958 - Cruzeiro 4 x 2
Independência
Gols: Pinga 9' (0-1), Pelau 18' (1-1), Nívio 28' (2-1), Pelau 76' (3-1), Rubens (pênalti) 79' (3-2), Dirceu 89' (4-2)
Jogo 12 - 15/04/1958 - Vasco 2 x 0
Barro Preto
Gols: Livinho 3', Pinga 26'
Jogo 13 - 22/05/1960 - Vasco 4 x 1
São Januário
Gols: Tomazinho 56' (1-0), Joãozinho 67' (1-1), Pinga 81' (1-2), Cabrita 83' (1-3), Cabrita 87' (1-4)
Jogo 14 - 26/10/1960 - Cruzeiro 2 x 1
Independência
Gols: Raimundinho 5' (1-0), Pinga 17' (1-1), Dirceu 61' (2-1)
Jogo 15 - 27/02/1964 - Vasco 1 x 0
Alameda (Belo Horizonte)
Gol: Célio 19'
Jogo 16 - 14/03/1965 - Cruzeiro 1 x 0
Independência
Gol: Tostão 40'
Jogo 22 - 29/04/1972 - Cruzeiro 1 x 0
São Januário
Gol: Roberto Batata 25'
Jogo 41 - 31/01/1993 - Empate 1 x 1
Taça Patrus Ananias - Mineirão
Gols: Carlos Alberto Dias 43' (0-1), Cleison 66' (1-1)
Jogo 44 - 22/05/1994 - Empate 0 x 0
São Januário
Jogo 45 - 05/06/1994 - Cruzeiro 3 x 1
Mineirão
Gols: Cleison 15' (1-0), Cleison 46' (2-0), Jardel 71' (2-1), Cleison 79' (3-1)

TOTAL DE JOGOS: 83
Vitórias do Cruzeiro: 30
Empates: 27
Vitórias do Vasco: 26
Total de Gols:231
Gols do Cruzeiro: 122
Gols do Vasco: 109

Foto: Hoje em Dia
O atacante Romario fez três na goleada por 3 a 0, em São Januário, 
pelo Campeonato Brasileiro de 2001 e é o maior goleador da historia do confronto.
Na foto, o volante Rincon a esquerda e o lateral Maicon, a direita

QUADRO DE ARTILHEIROS DO CONFRONTO
7 gols: Romário (Vasco)
5 gols: Marcelo Ramos (Cruzeiro)
5 gols: Pinga, Viola (Vasco)
4 gols: Cleison (Cruzeiro)
4 gols: Luis Carlos (Vasco)
3 gols: Deivid, Guilherme, Tostão (Cruzeiro)
3 gols: Alfredo, Diego Souza, Euller, Raul (Vasco)
2 gols: Alcides, Alex, Charles, Diego, Dirceu, Dirceu Lopes, Edenilson Pateta, Edu Dracena, Fábio Júnior, Geovanni, Maldonado, Muller, Ninão, Palhinha (armador), Palhinha (atacante), Paulo Roberto, Pelau, Ramires, Roberto Batata, Roberto Gaúcho, Roger, Valdo (Cruzeiro)
2 gols: Alex Dias, Alfinete, Cabrita, Donizete, Jorginho Carvoeiro, Ramon Menezes, Roberto Dinamite, Sorato, Valdir, Zinho (Vasco)
1 gol: Alecsandro, Alessandro, Alex Mineiro, André Luis (zagueiro), André Luiz (lateral esquerdo), Aristizabal, Bentinho, Camilo, Careca, Charles, Cláudio Adão, Edcarlos, Eduardo, Edmundo, Erivelto, Evaldo, Gelson, Geninho, Gottardo, Guerino, Henrique, Jussiê, Kelly, Leandro Guerreiro, Lopes, Luiz Fernando, Marcelo Batatais, Marcio Nobre, Martinez, Montillo, Nelinho, Niginho, Ninão, Nogueirinha, Nonô, Orlando, Oséas, Patrick, Paulo Isidoro (atacante), Paulo Miranda, Paulo Roberto, Piazza, Raimundinho, Ramon Menezes, Ricardinho, Roni, Sorin, Thiago, Tomazinho, Toninho Cerezo, Ueslei, Vanderlei, Wagner, Zama, Zé Carlos (Cruzeiro)
1 gol: Ademir, Alex Oliveira, Álvaro, Anderson, André, Carlos Alberto Dias, Célio, Dimas, Djalma, Eberval, Edmundo, França, Friaça, Gandulla, Gilson Nunes, Gomes, Gonzalez, Guina, Jair Pereira, Jardel, João Pinto, Joãozinho, Juninho Pernambucano, Laerte, Livinho, Luisão, Maneca, Marcinho, Marques, Martín Garcia, Morais, Nelson, Nilson, Nino, Oito-quatro, Oldair, Pascoal, Paulinho, Petkovic, Renato Augusto, Ricardo Rocha, Robson Luiz, Rodrigo Souto, Rubens, Russo, Silva, Souza, Thiago Maciel, Valdir, Valmir, Vivinho, Zé Roberto, Zarzur (Vasco)
1 gol contra: Fernando, Moisés e Moroni a favor do Cruzeiro e Adelino, Célio Lúcio e Nonato a favor do Vasco

 twitter: @henriqueribe
facebook: http://www.facebook.com/almanaquedocruzeiro
Postar um comentário