quarta-feira, 3 de outubro de 2012

A trajetória dos cruzeirenses no Superclássico das Américas



Por Henrique Ribeiro

O meia argentino Montillo é mais um dos atletas do Cruzeiro que participa do Superclássico das Américas (a Copa Rocca), que foi criada em 1914, pelo presidente argentino, general Julio Rocca, para ser disputada entre as seleções do Brasil e da Argentina. Esta é a 13ª vez que o desafio ocorre. Os jogadores cruzeirenses participaram da disputa nas últimas quatro edições, sendo 6 pelo lado brasileiro e um pelo lado argentino.

Em 1971, o volante Piazza e o meia-atacante Tostão foram os primeiros cruzeirenses a participarem do duelo. Eles foram convocados pelo técnico Zagallo e foram titulares da Seleção Brasileira nas duas partidas que foram disputadas no estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires. A primeira, em 28 de julho de 1971, terminou empatada em 1 a 1. Com o gol marcado no jogo, Tostão foi o primeiro cruzeirense a balançar as redes no confronto pelo troféu. O segundo jogo, novamente, no Monumental de Nunez, em 31 de julho, terminou empatado em 1 a 1, no tempo normal. Na prorrogação, outro empate em 1 a 1. Conforme o regulamento, por ser o Brasil o time visitante, o troféu foi para o Rio de Janeiro.

A Copa Rocca voltou a ser disputada em 1976 e o treinador Oswaldo Brandão convocou três jogadores cruzeirenses: o atacante Palhinha, o lateral direito Nelinho e o ponta esquerda Joãozinho. O Brasil venceu a primeira partida por 2 a 1, no estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, em 27 de fevereiro. Palhinha entrou durante a partida na vaga de Geraldo, do Flamengo. O Brasil voltou a vencer a Argentina no jogo da volta, no Maracanã, por 2 a 0, em 19 de maio. Apesar de convocados, Nelinho e Joãozinho não participaram do jogo. O Brasil sagrou-se campeão novamente. A Copa Roca de 1976 valeu, simultaneamente, pela Taça Atlântico, que teve as participações de Uruguai e Paraguai. O Brasil também venceu esta Taça.

No ano passado, o Superclássico voltou a ser disputado e, desta vez, em disputa da Taça Nicolaz Leoz, nome do presidente da Confederação Sulamericana de Futebol. Ao contário das outras ocasiões, o encontro não é reconhecido como da Seleção Brasileira principal, pela Confederação Brasileira de Futebol-CBF. Assim como o Brasil, a Argentina não escalou seu selecionado principal para o encontro.

No primeiro jogo em 14 de setembro, o meia Montillo, do Cruzeiro, foi convocado pelo técnico Alejandro Sabella, da Seleção Argentina e goleiro Fábio, pela Seleção Brasileira, mas ambos não entraram em campo no empate sem gols, no estádio Mario Kempes, em Córdoba. No jogo da volta, em 28 de setembro, no estádio Mangueirão, em Belém, o Brasil venceu por 2 a 0. Walter Montillo foi novamente convocado e foi titular da Argentina.

Este ano, o meia Walter Montillo foi novamente convocado para o Superclássico das Américas, pelo treinador Alejandro Sabella. A primeira partida, no Serra Dourada, em Goiânia, em 19 de setembro, terminou com a vitória brasileira por 2 a 1. Montillo não participou da partida.

O Brasil tem a hegemonia no desafio. Foi campeão sete vezes da Copa Rocca (1914, 1922, 1945, 1957, 1960, 1963 e 1976) e uma vez da Copa Nicolas Leoz (2011), enquanto a Argentina ficou com o título em três oportunidades (1923, 1939 e 1940).


Confira todos os resultados do desafio Brasil x Argentina:

I Copa Rocca
Brasil 1 x 0 Argentina, 27/09/1914, em Buenos Aires
II Copa Rocca
Brasil 2 x 1 Argentina, 23/10/1922, em São Paulo
III Copa Rocca
Brasil 0 x 2 Argentina, 09/12/1923, em Buenos Aires
IV Copa Rocca
Brasil 1 x 5 Argentina, 15/01/1939, no Rio de Janeiro
Brasil 3 x 2 Argentina, 22/01/1939, no Rio de Janeiro
Brasil 2 x 2 Argentina, 18/02/1940, em São Paulo
Brasil 0 x 3 Argentina, 25/02/1940, em São Paulo
V Copa Rocca
Brasil 1 x 6 Argentina, 05/03/1940, em Buenos Aires
Brasil 3 x 2 Argentina, 10/03/1940, em Buenos Aires
Brasil 1 x 5 Argentina, 17/03/1940, em Buenos Aires
VI Copa Rocca
Brasil 3 x 4 Argentina, 16/12/1945, em São Paulo
Brasil 6 x 2 Argentina, 20/12/1945, no Rio de Janeiro
Brasil 3 x 1 Argentina, 23/12/1945, no Rio de Janeiro
VII Copa Rocca
Brasil 1 x 2 Argentina, 07/07/1957, no Rio de Janeiro
Brasil 2 x 0 Argentina, 10/07/1957, em São Paulo
VIII Copa Rocca
Brasil 2 x 4 Argentina, 26/05/1960, em Buenos Aires
Brasil 4 x 1 Argentina, 29/05/1960, em Buenos Aires
*o Brasil venceu por 2 a 0, no tempo normal, e por 2 a 1, na prorrogação
IX Copa Rocca
Brasil 2 x 3 Argentina, 13/04/1963, em São Paulo
Brasil 5 x 2 Argentina, 16/04/1963, no Rio de Janeiro
*o Brasil venceu por 4 a 1, no tempo normal. Na prorrogação a partida terminou em 1 a 1.
X Copa Rocca
Brasil 1 x 1 Argentina, 28/07/1971, em Buenos Aires
Brasil 2 x 2 Argentina, 31/07/1971, em Buenos Aires
*empate no tempo normal em 1 a 1 e outro empate em 1 a 1 na prorrogação
XI Copa Rocca
Brasil 2 x 1 Argentina, 27/02/1976, em Buenos Aires
Brasil 2 x 0 Argentina, 19/05/1976, em Rio de Janeiro
*as partidas da disputa foram, também, válidas pela Copa do Atlântico.
I Copa Nicolaz Leoz
Argentina 0 x 0 Brasil, 14/09/2011, em Córdoba
Brasil 2 x 0 Argentina, 28/09/2011, em Belém
II Copa Nicolaz Leoz
Brasil 2 x 1 Argentina, 19/09/2012, em Goiânia

twitter: @henriquerieb
www.facebook.com.br/almanaquedocruzeiro
Postar um comentário