terça-feira, 2 de outubro de 2012

AGENDA HISTÓRICA

O volante Zé Carlos do Cruzeiro numa disputa de bola com o centro-avante Eneas
da Portuguesa, no Mineirão, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro em
7 de setembro de 1976

01/10/2005 - O Cruzeiro vence o Juventude por 2 a 0, pelo returno do Campeonato Brasileiro, no Independência. A partida foi disputada com os portões fechados em cumprimento a punição imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva-STJD, em 23 de setembro de 2005. Tudo por causa de um relógio supostamente atirado a beira do campo por um torcedor na partida contra o Fluminense, no Mineirão, em 07/09/2005. O auxiliar Paulo Freitas recolheu o objeto e o árbitro Elvécio Zequetto relatou na súmula. Foi a primeira punição deste tipo recebida pelo clube em toda a sua história.

02/10/1977 - o volante Zé Carlos disputa sua última partida com a camisa do Cruzeiro. Foi na vitória por 3 a 2 sobre o Atlético, no Mineirão, pela segunda partida da decisão do Campeonato Mineiro. Zé Carlos veio do Sport Juiz de Fora em 1966 e ao todo disputou 619 partidas e marcou 83 gols com a camisa estrelada. È o atleta com o maior número de jogos pelo Cruzeiro.

03/10/1971 - o goleiro Hélio defende uma cobrança de pênalti de Pelé no último minuto da partida entre Cruzeiro e Santos, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro. Foi um dos poucos goleiros que realizaram essa proeza, já que Pelé era um dos melhores cobradores de faltas e de pênaltis do futebol mundial. No entanto, o Cruzeiro terminou derrotado por 1 a 0. A partida também ficou marcada pela grave contusão do atacante Evaldo que, numa dividida com o goleiro santista, Cejas, sofreu uma fratura exposta na perna, aos 21 minutos de jogo. A contusão abreviou a carreira do artilheiro cruzeirense.

04/10/1979 - a partida entre Cruzeiro e Goiás, pelo Campeonato Brasileiro, não chega ao seu final após uma briga generalizada entre os jogadores. O árbitro carioca Aluisio Felisberto Silva expulsou sete jogadores de cada lado e deu a partida por encerrada a partir dos 35 minutos do segundo tempo. O placar de 3 a 1 a favor do Goiás foi mantido. Tudo começou quando o árbitro assinalou um pênalti inexistente para o time goiano aos 16 minutos de jogo, que originou o gol de empate. No terceiro gol do Goiás, aos 35 do 2o tempo, Éber, do Goiás, agrediu o zagueiro Marquinhos, do Cruzeiro, em frente ao árbitro que nada fez. O lance revoltou os jogadores cruzeirenses que partiram pra briga. Foi a única vez que o Cruzeiro teve sete jogadores expulsos numa partida pelo Campeonato Brasileiro.

05/10/1969 - o Cruzeiro vence o Santos de virada, por 3 a 2, no Morumbi, pela primeira fase do Campeonato Brasileiro. Os santistas começaram vencendo com gols de Edu e Douglas e o Cruzeiro virou o placar com Zé Carlos, em cobrança de falta, e Dirceu Lopes, que marcou duas vezes. Pela terceira vez, o time estrelado reverte um placar desfavorável de 2 a 0 a favor do peixe. A primeira vez foi num amistoso, no Mineirão, em 29 de março de 1966, que terminou com o placar de 4 a 3 para o Cruzeiro. A outra foi na decisão do Campeonato Brasileiro de 1966, no Pacaembu, em 7 de dezembro de 1966, que terminou em 3 a 2 a favor do Cruzeiro.

06/10/1988 - o volante Ademir e o meia-atacante Careca são convocados pelo técnico Carlos Alberto Silva para o amistoso da Seleção Brasileira contra a Bélgica, em Antuérpia. O Brasil venceu por 2 a 0 e tanto Ademir, quanto Careca, atuaram na equipe titular.

07/10/1942 - uma assembléia geral define a mudança do nome Sociedade Esportiva Palestra Mineiro para Cruzeiro Esporte Clube. A nova nomenclatura foi sugerida pelo ex-presidente Oswaldo Pinto Coelho em homenagem ao maior símbolo da pátria brasileira. As cores deixaram de ser as da bandeira italiana - verde, vermelho e branco e passaram a ser azul e branca em homenagem a casa de savóia, residência oficial do rei da Italia.

twitter: @henriqueribe
www.facebook.com.br/almanaquedocruzeiro

Postar um comentário