terça-feira, 27 de novembro de 2012

O emblemático esquadrão dos sonhos de 1992


Foto: Carlos Rhienck/Jornal Hoje em Dia
O time dos sonhos de 1992 foi o resultado de uma ousadia inedita da diretoria cruzeirense

Por Henrique Ribeiro


Entre os times vencedores do Cruzeiro, muitos torcedores de diferentes gerações já ouviram falar ou tiveram o privilégio de acompanhar no Mineirão o mais emblemático de todos eles: o Dream Team da Supercopa de 1992. O plantel que ergueu uma das taças mais importantes do futebol sulamericano interrompeu uma longa tradição no clube, que sempre formou equipes com jogadores talentosos, porém jovens e ainda desconhecidos. Aquele time foi formado a base de muita ousadia da diretoria cruzeirense, que não mediu esforços nas contratações de jogadores experientes e consagrados.

O time de 1992 do Cruzeiro ganhou o mesmo apelido da Seleção de Basquete dos Estados Unidos nas Olimpíadas de Barcelona, disputada meses antes: "Dream Team". Na ocasião, o time americano havia sido formado, pela primeira vez, pelos astros consagrados da Liga Profissional, a NBA.

Ao contrário de muitos projetos de supertimes montados no futebol, que fracassaram, o "Time dos Sonhos" do Cruzeiro de 1992 correspondeu às expectativas. Conquistou a Supercopa e, de quebra, o Campeonato Mineiro, de forma invicta. Rendeu lucros aos cofres do clube com públicos recordes no Mineirão. E acima de tudo apresentou pra torcida um futebol vistoso, de toque de bola refinado e de muita técnica digno da academia cruzeirense.


A montagem do time dos sonhos que conquistaria o bicampeonato da Supercopa de 1992 começou no início daquele ano, com a contratação do lateral direito Paulo Roberto, que era um dos melhores da posição no país. Hábil cobrador de faltas e de pênaltis, Paulo Roberto também se destacava pelos cruzamentos precisos para a área, quando apoiava o ataque.

No entanto, o plantel campeão da Supercopa de 1991 sofreu a baixa dos dois atacantes que mais se destacaram naquela campanha: o ponta direita Mário Tilico, que foi devolvido de empréstimo ao São Paulo e o artilheiro Charles, que foi negociado ao Boca Juniors, da Argentina. A dupla de zaga também havia sido desfeita com a venda de Paulão para o Grêmio e a séria contusão de Adilson, na decisão da Recopa, contra o Colo Colo, em abril.

Influenciados pela badalação e pelas exibições primorosas do Selecionado americano de basquete nas olimpíadas, a diretoria cruzeirense resolveu ousar e montar um Time dos Sonhos para a conquista do bicampeonato da Supercopa. Dois meses antes do início da competição, a série de anúncios de contratações bombásticas começavam a empolgar a nação cruzeirense.
O time de basquete dos Estados Unidos originou
o apelido do time do Cruzeiro supercampeão de 1992

Para o ataque, o atacante Betinho veio por empréstimo do Palmeiras, da milionária Parmalat. O jogador havia tido duas passagens brilhantes com a camisa cinco estrelas em 1988 e 1989 e já era bastante admirado pela torcida. Outro retorno acertado foi o do ponteiro esquerdo Édson, ídolo da torcida nos últimos anos da década de 80. Outro reforço que desembarcou na Toca foi o do ponteiro esquerdo Roberto Gaúcho. O atacante era comparado ao ídolo Renato Gaúcho da Seleção Brasileira pela precisão nos cruzamentos e nas finalizações a gol.

Outras duas grandes contratações iriam sacudir a nação cruzeirense. A primeira foi a do volante Douglas, que estava a quatro anos no Sporting, de Portugal. Douglas surgiu na base cruzeirense e foi o maior ídolo da torcida nos anos 1980. A outra foi a do zagueiro Luizinho, quando a diretoria cruzeirense superou a concorrência do rival Atlético, que também pretendia o retorno do jogador. Luizinho, que também estava no Sporting de Portugal, foi considerado um dos melhores zagueiros do futebol mundial nos anos 1980 e havia sido ídolo da torcida rival.

A última das grandes contratações foi a do atacante Renato Gaúcho, que estava em litígio no Botafogo. Ele foi recebido no aeroporto da pampulha por uma multidão de cruzeirenses. Renato estava afastado do plantel carioca, desde o churrasco que promoveu com jogadores do Flamengo, após a derrota do Botafogo para o rubro-negro, por 3 a 0, na primeira partida da decisão do Campeonato Brasileiro.

No entanto, uma semana antes da estreia, o plantel sofreria ainda a baixa do volante Ademir, que foi negociado ao Racing, da Argentina. Com a sua saída, o lateral direito Paulo Roberto assumiu a braçadeira de capitão do time dos sonhos.

Apesar do sucesso obtido na maioria das contratações, o time não careceu de jogadores na zaga e na lateral esquerda. O diretor de futebol Benecy Queiroz tentou acertar o retorno de Geraldão ao clube. O zagueiro que surgiu nas categorias de base do clube nos anos 80 estava no futebol europeu, mas exigiu salários muito altos. O titular Nonato não se recuperaria a tempo de sua lesão no joelho esquerdo para o jogo de estreia e o Cruzeiro tentou buscar Branco, que havia sido liberado pelo Genoa, da Italia. Outros jogadores pretendidos para a posição foram Lira, que estava no Inter e Jacenir, do Santo André. Não foi possível o acerto com os atletas e o time seguiu a competição com apenas Nonato, na lateral esquerda.

O time dos sonhos bicampeão da Supercopa de 1992 na Toca da Raposa
Em pé da esquerda para a direita: Paulo César, Paulo Roberto,
Célio Lúcio, Douglas, Luizinho, Nonato, Jair Pereira (treinador) e
César Masci (presidente). Agachados da esquerda para a direita:
Luis Inarra (preparador físico), Betinho, Boiadeiro, Renato Gaúcho,
Luiz Fernando e Roberto Gaúcho

PLANTEL TITULAR DE 1992

1-PAULO CESAR
Goleiro. Paulo César Borges (Fronteira, MG, 06/03/1960). Mede 1,82m e pesava 75kg. Estava no Cruzeiro desde 1989, quando veio do Bragantino. Foi titular em todos os oito jogos das campanhas dos títulos da Supercopa de 1991 e 1992

2-PAULO ROBERTO
Lateral direito. Paulo Roberto Curtis Costa (Viamão, RS, 27/01/1963). Mede 1,82m e pesava 78kg. Chegou ao clube no início da temporada. Seu último clube havia sido o Botafogo. Foi titular em todos os oito jogos da campanha.

3-LUIZINHO
Zagueiro. Luiz Carlos Ferreira (Nova Lima, MG, 22/10/1958). Mede 1,77m e pesava 73kg. Veio do Sporting, de Portugal, em agosto. Foi titular em todos os sete jogos que disputou na campanha. Ficou de fora apenas da partida contra o Olimpia, na primeira partida das semifinais, em que cumpriu suspensão automática.

4-CÉLIO LUCIO
Zagueiro. Célio Lúcio Costa Silva (Cajuru, MG, 11/02/1971). Mede 1,83m e pesava 72kg. Começou no infantil do Cruzeiro em 1986 e foi integrado ao plantel profissional em 1991. Foi titular em todos os oito jogos da campanha.

6-NONATO
Lateral esquerdo. Raimundo Nonato Silva (Mossoró, RN, 23/02/1967). Mede 1,69m e pesava 64kg. Estava no Cruzeiro desde 1990, quando veio do Baraúnas-RN. Foi titular em todos os sete jogos que disputou na campanha. Ficou fora apenas do jogo de estreia contra o Atletico Nacional por estar se recuperando de uma contusão no joelho esquerdo. Era um dos remanescentes da equipe campeã da Supercopa de 1991, quando também foi titular.

8-DOUGLAS
Volante. William Douglas Humia Menezes (Belo Horizonte, MG, 17/03/1963). Mede 1,79m e pesava 75kg. Surgiu no futebol de salão do Cruzeiro no final da década de 1970, de onde foi para as categorias de base do time de campo. Foi integrado ao plantel profissional em 1981 ainda com 18 anos. Retornou ao Cruzeiro do Sporting de Portugal em agosto de 1992. Foi titular em todos os sete jogos que disputou na campanha. Ficou fora apenas do jogo de estreia contra o Atletico Nacional por estar se recuperando de uma contusão.

17-LUIZ FERNANDO
Armador. Luis Fernando Rosa Flores (Bagé, RS, 22/02/1964). Mede 1,70m e pesava 68kg. Estava no Cruzeiro desde agosto de 1990, quando foi contratado junto ao Bahia. Foi titular em todos os sete jogos que disputou na campanha. Ficou fora apenas do jogo de estreia contra o Atletico Nacional por estar se recuperando de uma contusão. Foi titular em todos os oito jogos das campanhas dos títulos da Supercopa de 1991 e 1992

10-BOIADEIRO
Armador. Marco Antônio Ribeiro (Américo de Campos, SP, 22/02/1964 ou 13/06/1965). Mede 1,76m e pesava 75kg. Estava no Cruzeiro desde 1991, quando foi contratado junto ao Vasco. Foi titular em todos os seis jogos da campanha. Ficou de fora da estreia contra o Atletico Nacional por causa de problemas psicológicos e da primeira partida da semifinal contra Olimpia em que cumpriu suspensão automática. Era um dos remanescentes da equipe campeã da Supercopa de 1991, quando também foi titular.

9-BETINHO
Atacante. Gilberto Carlos Nascimento (São Paulo, SP, 14/06/1966). Mede 1,72m e pesava 70kg. Foi adquirido por empréstimo ao Palmeiras, em agosto. Era a sua terceira e última passagem pelo Cruzeiro. Foi titular em todos os oito jogos da campanha.

7-RENATO GAÚCHO
Atacante. Renato Portaluppi (Guaporé, RS, 09/09/1962). Mede 1,83m e pesava 80kg. Foi adquirido por empréstimo ao Botafogo, em agosto. Foi titular em todos os oito jogos da campanha.

11-ROBERTO GAÚCHO
Atacante. Roberto Jusceli Weber (Guarani das Missões, RS, 05/04/1968). Mede 1,70m e pesava 68kg. Veio do Guarani em agosto de 1992. Foi titular em todos os oito jogos da campanha.

RESERVAS

12-GILBERTO
Goleiro. Gilberto Carlos Fonseca (São João Del Rey, MG, 12/12/1970). Mede 1,81m e pesava 78kg. Revelado nas categorias de base do Cruzeiro. Foi integrado ao plantel profissional em 1991.

13-ZELÃO
Lateral direito. Wanderson Luís Oliveira (Belo Horizonte, MG, 20/01/1972). Mede 1,72m e pesava 73 kg. Surgiu nas categorias de base do Cruzeiro. Foi integrado ao plantel profissional em 1991. Foi titular da campanha do título de 1991 e na campanha de 1992 participou do jogo de estreia contra o Atletico Nacional improvisado na lateral esquerda.

14-CLEISON
Atacante. Cleison Edson Assunção Nascimento (Belo Horizonte, MG, 13/03/1972). Mede 1,78m e pesava 74kg. Estava no Cruzeiro desde dezembro de 1991, quando foi contratado junto ao time júnior do Santa Tereza, de Belo Horizonte. Participou de quatro partidas da campanha.

15-ARLEY ALVARES
Zagueiro. Arley Alvares Medeiros (Abaeté, MG, 30/06/1972). Mede 1,80 m. Revelado nas categorias de base do Cruzeiro. Foi integrado ao plantel profissional em 1992. Participou de três partidas da campanha.

16-ÉDSON
Ponta esquerda. Édson Gonzaga Alves Filho (Rio de Janeiro, RJ, 06/01/1960). Mede 1,69m e pesava 66kg. Retornou ao Cruzeiro em janeiro de 1992, por empréstimo, junto ao Internacional. Era a sua segunda passagem pelo Cruzeiro. Participou de cinco partidas da campanha.

19-AGNALDO
Armador e ponta esquerda. Agnaldo Divino Mendonça (Sanclerlândia, GO, 13/08/1967). Estava no Cruzeiro desde junho de 1991, após ter sido contratado junto ao Goiás.

21-ROGÉRIO LAGE
Volante. Rogério Lage Silva (Itabira, MG, 18/05/1969). Mede 1,75 m e pesa 75kg. Estava no Cruzeiro desde dezembro de 1990, após ter sido contratado junto ao Valério-MG. Participou de cinco partidas da campanha. Era um dos remanescentes do título da Supercopa de 1991, quando também foi um dos principais reservas.

22-ADILSON
Zagueiro. Adilson Dias Batista (Curitiba, PR, 16/03/1968). Mede 1,82 m e pesava 76kg. Estava no Cruzeiro desde fevereiro de 1989, após ter sido contratado junto a Atlético-PR. Era um dos remanescentes do título da Supercopa de 1991, quando foi titular em todas as partidas. Já na campanha de 1992, participou de apenas de uma partida, pois contundiu-se seriamente e ficou fora do restante dos jogos.

23-TÔTO
Sandro Luís Schmidt (Jaraguá do Sul, SC, 26/08/1968). Mede 1,88m e pesava 80kg. Foi adquirido ao Criciúma, em agosto, após ter disputado o Campeonato Brasileiro. Participou de uma partida da campanha.

*os volantes ADEMIR e ANDRADE foram inscritos para a Supercopa, mas foram negociados a uma semana da estreia e não participaram da campanha

CESAR MASCI - presidente
BENECY QUEIROZ - diretor de futebol
JAIR PEREIRA - treinador
EDUARDO AMORIM - auxiliar técnico
ZÉ MAURÍCIO - treinador de goleiros
LUIS INARRA e ALEXANDRE BARROSO - preparadores físicos
CARLOS PIÑON, RONALDO NAZARÉ e SÉRGIO FREIRE - médicos
EMERSON GARCIA - fisiologista
FLÁVIO IANNI - dentista
TEOTÔNIO TEODORO - massagista
GERALDO BAPTISTA - roupeiro

twitter: @henriqueribe
www.facebook.com.br/almanaquedocruzeiro
Postar um comentário