terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Édson


Por Henrique Ribeiro

O ponta esquerda Édson foi um dos mais hábeis, velozes e eficientes ponta-esquerdas que já vestiram a camisa estrelada. Baixinho e valente, o atacante teve uma trajetória marcante com a camisa estrelada na transição entre as décadas de 1980 e 90 e foi um dos grandes ídolos da china azul.

O jogador foi contratado pelo Cruzeiro em 17 de janeiro de 1986. No ano anterior, o atacante havia participado da conquista histórica do Campeonato Brasileiro pelo Coritiba, mas a diretoria paranaense promoveu um desmanche no plantel campeão. Assim, Édson e o atacante Gil vieram para o Cruzeiro envolvidos na troca pelo meia Tostão II.

Além da eficiência nos cruzamentos, Édson também se notabilizava pelos gols de cabeça, apesar de seus 1,69 m de altura. O jogador creditava seus gols aos ensinamentos do treinador Ênio Andrade com quem aprendeu o posicionamento na área para os arremates nas bolas áreas para compensar a sua baixa estatura e a concorrência com os zagueirões.

Fez parte de um pacote de boas contratações da diretoria cruzeirense no início de 1986, que ainda incluiu o lateral Balu, o zagueiro Gilmar Francisco, o volante Ademir, o meia Heriberto e o atacante Hamilton. Aquele time contribuiu para resgatar o orgulho da torcida cruzeirense e do próprio clube, após com um longo período de participações negativas nos campeonatos estaduais e nacionais.

Com Édson, o time cruzeirense passou a disputar as fases decisivas dos Campeonatos Brasileiros e retornou as conquistas dos campeonatos estaduais. Foi do atacante a cobrança de escanteio, com efeito, que encobriu o goleiro atleticano Rômulo, e terminou com o arremate de cabeça do atacante Careca, na vitória por 1 a 0, na decisão estadual de 1990, que deu o título ao time estrelado.

Em janeiro de 1991 foi negociado ao Internacional encerrando a sua primeira passagem pelo clube. Retornou ao time estrelado em maio de 1992, onde participaria, como reserva, do "time dos sonhos", que conquistou a Supercopa. No ano seguinte se transferiu para o Fortaleza, onde encerrou a carreira.

A trajetoria de Édson com a camisa azul também foi marcada pelas sérias contusões. Durante a partida contra o Argentinos Juniors, no Mineirão, pela Supercopa de 1988, rompeu o tendão de aquiles que o afastou por sete meses naquela temporada. Ao retornar do Inter foi submetido a uma cirurgia no menisco do joelho esquerdo, além de outras contusões musculares, que encerraram a sua carreira aos 33 anos.

Édson Gonzaga Alves Filho nasceu no Rio de Janeiro, em 6 de janeiro de 1960. Disputou 218 jogos com a camisa cruzeirense e marcou 46 gols. Sagrou-se campeão da Supercopa de 1992 e dos Campeonatos Mineiros de 1987, 1990 e 1992.

http://www.facebook.com/almanaquedocruzeiro

Postar um comentário