quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Geovanni


Por Henrique Ribeiro

Geovanni foi um dos ídolos da torcida cruzeirense que teve um sucesso meteórico em sua carreira. O atacante surgiu na base do Cruzeiro, como jogador de meio de campo, e rapidamente se destacou como uma das grandes promessas do futebol brasileiro. Com presença constante nas convocações para as seleções brasileiras de base despertou a atenção da torcida cruzeirense, quando foi deslocado para o ataque pelo técnico Toninho Barroso, durante as disputas do Campeonato Sulamericano e Mundial Sub-17 em 1997, em que o Brasil levantou o título em ambas as competições.

A partir dali sua chance no time principal passou a ser cobrada por torcedores, que entendiam que o clube estava revelando um novo fenômeno para o futebol. No entanto, foi no final da temporada de 1999, que Geovanni ganhou uma posição de titular no ataque estrelado. Suas principais características eram a velocidade e o arremate preciso para o gol. Não bastou alguns meses para se transformar num herói garoto, como é tradição no clube estrelado. Na decisão da Copa do Brasil de 2000, o atacante entraria para a história ao marcar, numa cobrança de falta, no último minuto de jogo, o gol da vitória sobre o São Paulo, por 2 a 1, no Mineirão, que significou o tricampeonato da competição. O lance foi apenas o desfecho de uma das finais mais dramáticas da história desta copa.

Geovanni seguiu a temporada como um das peças mais importantes do ataque cruzeirense e que acabou despertando a atenção dos clubes europeus. Em agosto de 2001, após participação de destaque na Taça Libertadores, foi negociado ao Barcelona, da Espanha, por US$ 18 milhões. A maior negociação de um jogador para o futebol estrangeiro em toda a história do Cruzeiro.

Após cinco anos na Europa, se desligou do Benfica e acertou o seu retorno ao Cruzeiro, em 29 de maio de 2006, para receber o maior salário do plantel. Esta última passagem não foi brilhante e o jogador rescindiu o contrato em 20 de junho de 2007.

Geovanni Deiberson Maurício nasceu em Acaiaca, MG, em 11 de janeiro de 1980. Ao todo disputou 185 jogos com a camisa cruzeirense e marcou 44 gols. Sagrou-se campeão invicto da Copa do Brasil de 2000, da Recopa Sulamericana de 1999, das Copas Sul Minas de 2001 e Centro Oeste de 1999, dos Campeonatos Mineiros de 1997 e 1998 e da Copa dos Campeões Mineiros de 1999.

http://www.facebook.com/almanaquedocruzeiro

Postar um comentário