quinta-feira, 13 de agosto de 2015

A volta a Joinville, após 13 anos

O primeiro jogo. Ficha técnica:
CRUZEIRO 2 x 1 JOINVILLE
08/03/1980 - Campeonato Brasileiro - Mineirão
Ingressos: 13.012 (Cr$ 789.910,)
Arbitragem: Wilson Carlos dos Santos/RJ (Osmar Camilo/MG e Valdemar Firme/MG)
Gols: Wagner (falta) 10’ (0-1), Eli Carlos 41’ (1-1), Eli Carlos 74’ (2-1)
Cruzeiro: Luiz Antônio, Nelinho, Zezinho Figueroa, Bianque, Luiz Cosme, Nélio (Mundinho), Alexandre (Erivelto), Eli Carlos, Eduardo, Tião, Joãozinho. T: Ílton Chaves
Joinville: Raul Bosse, Clóvis, Wagner, Jorge Carraro, Ladinho, Jorge Luiz, Lico, Valdo, Britinho (Mateus), Zé Carlos Paulista, Ademir (Edilson). T: Velha

Uma visita de jupiterianos
havia sido anunciada por um lunático na mesma data do primeiro jogo entre Cruzeiro e Joinville. Mas os extraterrestres deram bolo e frustraram uma multidão de curiosos e jornalistas que foram até uma fazenda em Casimiro de Abreu, no interior do Rio, dar boas vindas aos discos voadores.

2 gols
de Eli Carlos decretaram a virada cruzeirense no primeiro jogo entre as equipes.

Marcelo Ramos
tornou-se o outro artilheiro, que também marcaria duas vezes num mesmo confronto. Foi na vitória por 4 a 0, pela Copa Sul Minas, em 7 de fevereiro de 2001, no Independência.

0 4 a 0 no Horto
pela Copa Sul Minas foi a maior goleada do confronto.

O goleiro Bosco
ainda defendeu um pênalti cobrado por Perdigão, aos 23 minutos, evitando que os catarinenses abrissem o placar, no Independência.

13 anos
é o período que o Cruzeiro ficou sem jogar em Joinville. A última vez foi na vitória por 2 a 1, pela Copa Sul Minas, em 30 de janeiro de 2002.

O meia Vander
abriu o placar, aos 14 minutos. Foi o primeiro gol dele com a camisa do Cruzeiro. Vander havia sido contratado como um dos reforços para a temporada de 2002,

Foi a única vitória
do Cruzeiro sobre o Joinville nas três partidas que disputaram na cidade catarinense. Os outros dois jogos terminaram empatados (1 a 1, em 1/2/1987 e 0 a 0, em 31/1/2001)

No mesmo dia
terminou o sequestro do empresário hoteleiro Roberto Benito Júnior, após quatro meses confinado num cativeiro. Entre 2000 e 2002 uma onda de sequestros atingiu o estado de s. paulo. Foram registrados 563 casos no período.

Mata-mata no Brasileirão
Os confrontos mais importantes foram pelas oitavas de final do Brasileirão de 1986, que foi disputada no ano seguinte. Ambas as partidas terminaram empatadas em 1 a 1 e os resultados classificaram o Cruzeiro, que havia somado mais pontos nas duas fases anteriores. O primeiro confronto foi em Joinville, em 1 de fevereiro de 1987. Hamilton abriu o placar para o Cruzeiro, aos 60 minutos, e Alfinete empatou, aos 71. O segundo jogo foi no Mineirão, em 5 de fevereiro de 1987. Hamilton, novamente, abriu o placar aos 20 minutos e os catarinenses empataram com Paulo Egídio, aos 78.

Maior Público pagante
foi registrado na segunda partida pelas oitavas de final do Brasileirão de 1986, no Mineirão. Segundo o borderô da ADEMG foi registrado o público de 53.303 torcedores pagantes.

Enquanto o Cruzeiro comemorava a classificação
após a segunda partida do mata-mata, a Associated Press divulgava uma pesquisa revelando que três em cada 10 americanos possuíam armas de fogo e que pouco mais da metade deles confiava no desempenho da polícia.
Postar um comentário