domingo, 23 de agosto de 2015

Algumas curiosidades do classico Cruzeiro e Corinthians

Carlos Henrique

Trocando os pés pelas mãos
os jogadores corinthianos cometeram dois pênaltis na derrota por 2 a 1 para o Cruzeiro, em 2 de novembro de 2005, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro. O árbitro Wagner Tardelli assinalou duas penalidades, após jogadores corinthianos tocaram a mão na bola dentro da área.

9 segundos
foi o tempo do gol mais rápido marcado no confronto. O autor do feito foi o atacante Marcelo Ramos, em 27 de agosto de 1995, no Mineirão. O Cruzeiro venceu o jogo por 2 a 0 com mais outro gol de Marcelo, aos 36 minutos.

87.619
torcedores pagantes é o maior público do confronto. O jogo que terminou em 2 a 2, no Mineirão, em 13 de dezembro de 1998, foi o primeiro da decisão do Campeonato Brasileiro.

O volante Fabrício
abandonou o campo no confronto entre as equipes, pelo returno, do Campeonato Brasileiro, em 13 de novembro de 2010, no Pacaembu. O jogador tomou a atitude após a marcação de um pênalti inexistente que originou o gol da vitória corinthiana por 1 a 0, nos minutos finais do jogo.

1 a 1
foi o placar que mais se repetiu neste confronto tendo ocorrido 12 vezes.

Na mesma moeda
o Cruzeiro deu troco na goleada por 3 a 0 sofrida, no turno, do Campeonato Brasileiro, em 20 de maio de 2007. No encontro entre as equipes, pelo returno, no Pacaembu, em 25 de agosto de 2007, o Cruzeiro goleou o alvinegro paulista por 3 a 0.

Uma bolada no rosto
tirou o atacante Tostão da partida contra o Corinthians, em 24 de setembro de 1969, no Pacaembu, pela 1ª fase do Campeonato Brasileiro. O lance que aconteceu aos 55 minutos provocou um deslocamento da retina do olho esquerdo do jogador. A gravidade da lesão deixou Tostão fora da equipe até o restante da temporada e, por pouco, não comprometeu a sua convocação para a Copa do Mundo de 1970.

O Corinthians foi derrotado pelo Cruzeiro
na maioria das campanhas em que conquistou o Campeonato Brasileiro, ou seja, em 1990, 1998, 2005 e 2011. Apenas em 1999, quando conquistou o seu terceiro título, o Corinthians não foi derrotado pelo Cruzeiro.

O Cruzeiro não venceu o Corinthians
na campanha do título do Campeonato Brasileiro de 2014. Foram duas derrotas por 1 a 0 em ambos os turnos. Em 2003 e 2013, o alvinegro não venceu o Cruzeiro nos quatro confrontos disputados.

O zagueiro João Carlos
decidiu dois confrontos com gols de cabeça, no Mineirão. O primeiro, pela 1ª fase, do Campeonato Brasileiro, em 18 de outubro de 1997, e o outro, também pela 1ª fase, em 10 de outubro de 2001. Ambos terminaram com a vitória cruzeirense por 1 a 0. O zagueiro também atuou pelo Corinthians entre 1999 e 2001.

Neto é o artilheiro
em um só jogo na história do confronto. O meia marcou os três gols da vitória paulista por 3 a 1, em 22 de março de 1991, no Pacaembu, pela Copa do Brasil. Nesta partida o camisa 10 marcou dois gols de falta. Era o terceiro em cobrança de falta que ele marcava sobre o Cruzeiro na temporada. O primeiro havia sido no empate em 1 a 1, em 24 de fevereiro, pela 1ª fase, do Campeonato Brasileiro.

O primeiro exame anti-doping
do Cruzeiro foi realizado no confronto contra o Corinthians, em 20 de setembro de 1972, pelo Campeonato Brasileiro. A medida foi tomada naquele ano pela Confederação Brasileira do Desporto-CBD em que uma partida da rodada era escolhida para os exames. O lateral direto Lauro e atacante Lima foram os jogadores cruzeirenses escolhidos para o exame, enquanto o Corinthians teve três jogadores selecionados por ter sido o vencedor do jogo.

Nos estádios de todos os rivais paulistas
o Corinthians enfrentou o Cruzeiro nos confrontos em São Paulo. As equipes já se enfrentaram no Palestra Itália, do Palmeiras, em 1970, no Canindé, da Portuguesa, em 2014 e, no Morumbi, do São Paulo, em 1978, 1989 e 1998.

Dois recordes do Campeonato Brasileiro

foram estabelecidos pelo Cruzeiro na vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians, no Pacaembu, em 24 de setembro de 2003. O time estrelado passou a ser o time que mais somou pontos e que mais marcou gols na história dos Campeonatos Brasileiros. Ao alcançar 64 pontos na tabela de classificação, o Cruzeiro superou os 62 pontos do Palmeiras, no Brasileiro de 1973. O time estrelado também chegou aos 70 gols e ultrapassou a marca de 69 marcados pelo Vasco no Brasileiro de 1997.
Postar um comentário