sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Despedida do Independência

Por Carlos Henrique

Há 50 anos, no dia 14 de agosto de 1965, o Cruzeiro disputou sua última partida no estádio Independência, antes da inauguração do Mineirão, que se tornaria o seu mando de campo dali pra frente. O jogo foi contra o América, pela 6ª rodada do turno, do Campeonato Mineiro. Vitória cruzeirense por 2 a 1 com gols de Wilson Almeida e Dirceu Lopes contra um de Jair Bala. O Cruzeiro teve o zagueiro Vavá expulso.

A vitória estrelada no clássico pôs fim a invencibilidade e a sequência de cinco vitórias do alviverde no Estadual. O Cruzeiro passou a dividir a terceira colocação com o time de Lourdes, que foi derrotado pelo Siderúrgica, de Sabará, por 3 a 1. Os sabarenses, que buscavam o bicampeonato, passaram a dividir a liderança com o america.

A tabela de classificação do Campeonato Mineiro de 1965 ficou assim, após o desfecho da 6ª rodada:
1º america e Siderúrgica 10 pts
3º Lourdes e Cruzeiro 9 pts
5º Valerio 7 pts
6º Democrata-SL e Uberaba 7 pts
8º Villa Nova 4 pts
9º Nacional-Ubr, Renascença e Uberlândia 3 pts
12º Guarani-Div 2 pts.
Obs: ainda não existiam os critérios de desempate. Eram computados dois pontos por vitória e um por empate. O Campeonato estadual seguia o sistema dos pontos corridos. O sistema de tabela dirigida transferia o mando de campo dos confrontos entre adversários que somavam o maior número de pontos na rodada para o estádio de maior capacidade do estado, o Independência.

O Cruzeiro só retornaria a disputar partidas oficiais, no Independência, 21 anos depois, após uma reforma feita no estádio. Foi contra o Villa Nova, em 26 de março de 1986, pelo 2º turno, do Estadual, que terminou empatado em 1 a 1.
Postar um comentário