quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Curiosidades do confronto entre Cruzeiro e Ponte Preta

Carlos Henrique

6 a 0
foi o placar da maior goleada deste confronto. Aconteceu no primeiro duelo entre as equipes. Confira abaixo a ficha técnica do jogo:

CRUZEIRO 6 x 0 PONTE PRETA
21/11/1970 (Sab) – Campeonato Brasileiro (1ª fase/18ª) - Mineirão
Ingressos: 7.668 (Ncr$ 30.891,)
Arbitragem: Carlos Costa/RJ (Joaquim Cocó/MG e Doraci Jerônimo/MG)
Gols: Zé Carlos 20’, Rodrigues 30’, Piazza 51’, Zé Carlos 56’, Tostão 68’, Dirceu Lopes 88’
Cruzeiro: Raul; Lauro (Neco), Brito, Fontana e Vanderlei; Piazza (João Ribeiro) e Zé Carlos; Natal, Tostão, Dirceu Lopes e Rodrigues. T: Ílton Chaves
Ponte Preta: Wilson; Nelson, Samuel, Dagoberto (Henrique) e Santos; Teodoro e Roberto Pinto; Ditinho (Vicente), Dicá, Manfrini e Adilson. T: Cilinho

Enquanto o Cruzeiro goleava
a Ponte, no Mineirão, a jovem Dilma Roussef, de 22 anos, atual presidente do Brasil, era interrogada na sede da Auditoria Militar do Rio de Janeiro. Acusada de envolvimento com grupos da luta armada que combatiam a ditadura militar no Brasil, Dilma estava detida há 10 meses. Ela havia sido submetida a 22 dias de tortura.

Outras goleadas
foram aplicadas pelo Cruzeiro sobre a Ponte Preta. Em 2 de outubro de 2004, o placar foi de 5 a 0, no Mineirão, pelo returno do Campeonato Brasileiro. Em 24 de maio de 2006, foi de 5 a 1, na pampulha, pelo turno do Brasileirão.

Fred
é o maior artilheiro em um só confronto. O centroavante mandou três bolas no gol da macaca na vitória estrelada por 5 a 0, em 2004.
 O calibre 38
foi homenageado pelo atacante Carlinhos Bala, que fez a sua estreia jogando com este número na camisa, contra a Ponte, em 24 de maio de 2006, no Mineirão. Foi dele o gol que deu início a goleada por 5 a 1, aos 16 minutos de jogo.

O consulado do Brasil na Espanha
foi criado, por meio de um decreto assinado pelo presidente Lula, no mesmo dia em que Carlinhos Bala estreava contra a Ponte. A Espanha é o país onde o Cruzeiro mais jogou na Europa: 29 partidas entre 1975 e 1988.

A Exclusividade
deste confronto é o Campeonato Brasileiro. Todas as 20 vezes que Cruzeiro e Ponte se enfrentaram foi pela competição.

A liderança
isolada do Campeonato Brasileiro de 2013 foi conquistada na vitória por 2 a 0 sobre a Ponte, em campinas, em 24 de agosto. Era a 16ª rodada do turno. A partir deste jogo, o Cruzeiro manteve-se no topo da tabela, até a última rodada.

Uma perda de mando de campo
foi cumprida pelo Cruzeiro no jogo contra a Ponte Preta, em 17 de novembro de 2013, pelo returno do Brasileirão. O jogo foi transferido de Belo Horizonte para Uberlândia. A punição foi por causa de uma briga que envolveu as torcidas organizadas máfia azul e pavilhão independente no clássico contra as lurdinhas, no Independência, no dia 13 de outubro.

15.103 torcedores
foi o maior público deste confronto. Curiosamente, foi no estádio Independência, na derrota por 2 a 1, em 5 de agosto de 2012, pelo turno do Brasileirão.

6 mil
torcedores é a média de público deste confronto em Campinas.

A única virada
do confronto foi na vitória cruzeirense por 3 a 2, em Campinas, pelo returno do Brasileirão, em 24 de setembro de 2005. A Ponte vencia o jogo por 2 a 1, com gols de Zé Carlos e Elson, contra um do volante Martinez, até os 68 minutos de jogo, quando o meia Kelly empatou em cobrança de pênalti. O atacante Alecsandro marcou o gol da virada aos 76 minutos.

O árbitro Edilson Pereira de Carvalho
era preso pela Polícia Federal no mesmo dia desta partida entre Cruzeiro e Ponte. Ele foi acusado de participar de um esquema de manipulação de jogos do Campeonato Brasileiro. A fraude comandada pelo empresário Nagib Fayad tinha o objetivo de beneficiar apostadores de um site de apostas. O presidente do STDJ, Luiz Zveitter, anulou 11 jogos (duas vitórias do Cruzeiro) do Campeonato Brasileiro em que Edilson atuou na arbitragem.



Postar um comentário