quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

1925 sem campeonato e a farsa do deca do america

Carlos Henrique

1925: ANO SEM CAMPEONATO

Persiste a crise no futebol
Como havia acontecido em 1924, os clubes da capital passavam por uma crise de organização e a maioria desistiu da disputa do Campeonato da Cidade. Restaram 6 interessados: America, Cruzeiro, Sete, Luzitano, atlético e Sport Calafate.

Apenas duas rodadas ou três jogos
A 1ª rodada, em 31 de maio, teve a goleada por 5 a 2 do Sete sobre o Sport Calafate. O Luzitano não compareceu para enfrentar o Cruzeiro, que ganhou os pontos. A 2ª rodada, em 7 de junho, entre America e Sport Calafate, mais Cruzeiro e Sete, foi adiada a pedidos do America, para a disputa de um amistoso contra o Syrio-SP. A Liga Mineira, então, transferiu esta rodada para o final do turno. Na 3ª rodada, em 14 de junho, o Sete venceu o Luzitano (1 a 0), enquanto o America goleou o atlético (4 a 1).

Paralisação do Campeonato
A Liga Mineira decidiu paralisar o Campeonato para os treinos preparativos da Seleção Mineira para a disputa do Campeonato Brasileiro de Seleções. O reinício do Campeonato foi marcado para 23 de agosto com os jogos entre Sport Calafate x atlético e Palmeiras x Sete.

Desinteresse do clubes 
No entanto, nem mais um jogo foi disputado pelo Campeonato. O segundo semestre de 1925, assim como o do ano anterior, foi praticamente restrito a poucos amistosos. O Diário de Minas denunciou em sua coluna “Sports”, o marasmo em que se transformou o futebol da capital. Segundo o jornal, as equipes sequer estavam treinando.

Abreviação da disputa
Para tentar motivar os clubes a retornarem a disputa, a Liga Mineira decidiu suspender o returno.

Assembleia decide pela inexistência do Campeonato
Com o fim do ano se aproximando e com vários jogos pendentes, uma assembleia dos clubes foi marcada para decidir pela continuação ou não do Campeonato. Caso continuasse, somente seria concluído em 1926. Na reunião do dia 18 de dezembro os clubes decidiram considerar o Campeonato inexistente.

Levantamento oficial da Liga Mineira
Um levantamento do Departamento Técnico da Liga Mineira, publicado no jornal Estado de Minas, de 16 de janeiro de 1931 (página 6), com a manchete Taças, Taças e mais taças, relacionou todos os troféus e premiações que a entidade ainda devia aos clubes e marcou uma solenidade para a entrega. Por 10 anos a entidade não entregava troféus e documentos diplomando os títulos dos campeões. Neste documento confirma-se a assembleia de 18 de dezembro de 1925, que considerou o campeonato inexistente.

Farsa do deca
O America jamais foi decacampeão mineiro como se orgulha de afirmar. Faltou o título de 1925 para completar a sequência de 10 títulos. Por décadas os americanos sustentaram um argumento fantasioso de que os clubes decidiram entregar o título de 1925 ao America, após a goleada sobre o atletico, por admitirem que o alviverde não teria adversários a altura na disputa. O levantamento feito nos documentos oficiais da Liga Mineira pelo departamento técnico e assinado pelo seu presidente Antonio Kneipp Rodrigues demonstra que esta assembleia dos clubes não ocorreu após a goleada americana sobre o atletico, mas somente no final do ano. O mesmo documento esclarece que a decisão que os clubes tomaram foi de considerar o campeonato inexistente, ou seja, se não houve campeonato não pode ter havido um campeão.

Sem adversários?
Outra falácia dos americanos é apontar que o time alviverde não tinha adversários em 1925. Na verdade, o plantel eneacampeão havia sido desmanchado e o time de 1925 era outro e bem inferior tecnicamente. A vitória por 4 a 1 sobre o atletico não foi nenhuma surpresa, pois o time de lourdes estava passando por uma grave crise de organização e voltando de uma licença de um ano das disputas oficiais. Com o mesmo time de 1925, o américa amargaria uma terceira colocação no campeonato de 1926 ficando atrás do Palmeiras, de Santa Efigênia. E poderia ter ficado em quarto lugar, caso o Cruzeiro não tivesse sido excluído da Liga naquele ano e ficado de fora do Campeonato.
Postar um comentário