quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Campeonato da Cidade 1923

Carlos Henrique

CAMPEONATO DA CIDADE DE 1923

Campanha do Cruzeiro
Turno
24/06 - America 7 x 1 Cruzeiro (America)
01/07 - Cruzeiro 6 x 2 Palmeiras (Barro Preto)
29/07 - Cruzeiro 2 x 0 Luzitano (Barro Preto)
05/08 - Cruzeiro 3 x 2 Yale (Barro Preto)
12/08 - Cruzeiro ? x ? Cam
??/?? - Cruzeiro 0 x Wo Sete
*não há registro do resultado do jogo contra o Cam. Por causa da animosidade entre jogadores do Cruzeiro e do Sete, após uma briga generalizada entre os atletas, pelo Torneio da Imprensa, de 30 de julho de 1922, os dirigentes de ambos os clubes decidiram não realizar os jogos entre as equipes pelo Campeonato de 1923 temendo novos conflitos. Ficou definido que o Cruzeiro faria a entrega dos pontos no turno e o Sete no returno.

Classificação Final: 1º America (Campeão); 2º Cam; 3º Cruzeiro; 4º Yale; 5º Sete; 6º Luzitano; 7º Palmeiras
Artilheiro Máximo: sem registro
Campeão da Série B: Guarany
Campeão do Campeonato de aspirantes: Cam
Campeão do Torneio Início: sem registro

Critérios de participação
O Campeonato foi disputado pelas equipes que formaram a série A de 1922, mais o Palmeiras, campeão da série B de 1921, que venceu o jogo eliminatório contra o Progresso - último colocado da série A de 1922.

Fórmula de disputa
Turno e returno e classificação por pontos corridos.

Returno anulado e Campeonato abreviado
Os jogos do returno, que começaram no final de agosto, não despertaram interesse do público e dos clubes. Datas foram reservadas para a disputa de amistosos contra equipes do interior e de outros estados. Com o fim do ano se aproximando e com vários jogos para serem disputados, uma assembleia dos clubes foi marcada para decidir pela continuação ou não do Campeonato. Na reunião do dia 30 de novembro decidiram anular o returno e o America,  que foi o vencedor do turno, foi proclamado campeão da cidade.

Barro Preto e America: novos estádios oficiais
Chega ao fim a trajetória do Prado Mineiro como estádio oficial da cidade. Inaugurado em 1914, o Prado foi o primeiro estádio de Belo Horizonte e pertencia a Liga Mineira. Ficava no hipódromo da Companhia Prado Mineiro (empresa que organizava as corridas de cavalos desde 1905), onde décadas mais tarde foi instalado o quartel da polícia. O campo do antigo estádio ainda existe. Em 1923, o Prado ainda sediou o Torneio Inicio, em 15 de abril, e os dois jogos da primeira rodada do Campeonato, em 22 de abril. O Conselho Superior da Liga Mineira, em 11 de maio, decidiu por anular os dois jogos da rodada de estreia e remarcou o início do Campeonato para 10 de junho. A decisão foi motivada pela inauguração do estádio do America (onde está atualmente o mercado central), em 6 de maio, e do estádio do Cruzeiro (atual sede urbana do clube), que estava pronto. O Conselho da Liga solicitou aos dois clubes a cessão de seus estádios para sediar as partidas do Campeonato. O Prado que passou a abrigar os jogos da serie B. Naqueles tempos o acesso ao Prado era difícil para o grande público, porque havia apenas uma linha de bonde para atender a região, ao contrário dos estádios do Cruzeiro e do America que se localizavam no centro da cidade.

Cobertura jornalística escassa e sem súmulas
Não há registro das escalações e dos autores dos gols do Cruzeiro no Campeonato de 1923. As súmulas destes jogos foram incineradas pela Federação Mineira em 1984. Restaram apenas alguns jornais de 1923 para consultar jogos e informações sobre o Campeonato, mas a maioria deles reservavam poucos espaços para as matérias esportivas.

Esquema 2-3-5:
Cruzeiro: Cicarelli (Nullo), Pulenta, Ciccio; Júlio (Humberto Lavalle), Cicarelinho, Quiquino; Piorra, Ninão, Bálsamo, Nani e Armandinho.
Postar um comentário