sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Campeonato da Cidade 1928


CAMPEONATO DA CIDADE

Campanha do Cruzeiro
Turno
06/05 - Cruzeiro 3 x 1 Villa Nova
03/06 - Cruzeiro 11 x 0 Sport Calafate
17/06 - Cruzeiro 14 x 0 Alves Nogueira
08/07 - Cruzeiro 9 x 1 Sete
05/08 - Cruzeiro 6 x 4 América
12/08 - Cruzeiro 11 x 1 Guarany
02/09 - Cruzeiro 0 x 2 Atlético
09/09 - Cruzeiro Wo x 0 Palmeiras
Returno
11/11 - Cruzeiro 8 x 1 Alves Nogueira
25/11 - Cruzeiro 2 x 2 Sete
02/12 - Cruzeiro 6 x 1 Sport Calafate
09/12 - Cruzeiro 2 x 1 América
16/12 - Cruzeiro 2 x 2 Atlético
23/12 - Cruzeiro 11 x 1 Palmeiras
30/12 - Cruzeiro Wo x 0 Guarany
06/01/1929 - Cruzeiro 6 x 1 Villa Nova
*todos os jogos disputados no Barro Preto à exceção do clássico contra o America, no returno, que foi na Alameda. Por falta de atletas, o Palmeiras entregou os pontos no turno e o Guarany, pelo mesmo motivo, no returno.

Classificação: 1º Cruzeiro (campeão); 2º atletico; 3º America; 4º Villa Nova; 5º Sete; 6º Sport Calafate; 7º Alves Nogueira; 8º Guarany; 9º Palmeiras
*O Syrio abandonou o Campeonato no returno. O time da colônia árabe terminou o turno com apenas 4 pontos. Todos os seus jogos foram anulados.
Artilheiro Máximo: Ninão (Cruzeiro) 43 gols
Campeão do Campeonato de Aspirantes: Cam
Campeão do Torneio Início: Cam
Campeão da Série B: Santa Cruz

Sistema 2-3-5:
Albino, Nereu e Rizzo; Morganti, Osti, Nininho; Piorra, Ninão, Zezinho, Bengala e Morgantinho. Técnico: Matturio Fabbi

Quem jogou:
1º Bengala, Morganti, Nereu, Ninão e Nininho 13
6º Piorra, Rizzo e Zezinho 12
9º Osti 10
10º Albino 8
11º Morgantinho 7
12º Armandinho 6
13º Geraldo 5
14º Carazo 3
15º Gutierrez, Malleta e Para-Raio 1

Quem marcou gols:
1º Ninão 43
2º Bengala 27
3º Zezinho 11
4º Armandinho 3
5º Nereu e Piorra 1

Fórmula de disputa
Turno e returno com sistema de classificação por pontos corridos

Critérios de participação
Os clubes com mais de 6 anos de filiação a Liga Mineira estavam garantidos na Série A: Alves Nogueira, America, atletico, Cruzeiro, Guarany, Palmeiras, Retiro, Sete e Villa Nova. O Syrio e o Sport Calafate completaram a relação de participantes. O Retiro desistiu de disputar o Campeonato. A Série B foi formada por Avante, Carlos Prates, Fluminense, Grêmio, Minas Geraes e Santa Cruz.

Villa Nova punido
Por causa do abandono do Campeonato em 1927, os clubes da capital decidiram punir o Villa Nova de jogar todas as partidas do Campeonato de 1928 em Belo Horizonte.

Barro Preto – Estádio oficial
Com a decisão da prefeitura em retomar o terreno do estádio do America, o Barro Preto tornou-se o estádio oficial do Campeonato. No final do returno, com as obras do estádio da alameda bem adiantadas, o novo estádio do America passou também a sediar algumas partidas.

Recordes de gols
Três recordes de gols foram estabelecidos no Campeonato de 1928 e permanecem até os dias atuais. As goleadas do Cruzeiro sobre o Alves Nogueira, no turno, e do America sobre o Palmeiras, no returno, ambas por 14 a 0, são as maiores do futebol mineiro. O atacante Ninão marcou 10 gols na goleada sobre o Alves e é o maior artilheiro em uma só partida na história do futebol de Minas e do Brasil. O atacante cruzeirense também terminou a disputa com 43 gols marcados - a maior marca em campeonatos de Minas.

Atlético colabora com fraude pra levar o título no tapetão
Em setembro, uma denúncia da Associação Paulista (antigo nome da Federão Paulista) acusou Palmeiras e Cruzeiro de burlarem a lei de transferência. O time estrelado trouxe 5 jogadores do clube paulista: Osti, Morganti, Carazo, Gutierrez  e Morgantinho. Segundo a denúncia, os três últimos não cumpriram o prazo de um ano na equipe secundária (reserva) antes da transferência. Os jogadores foram suspensos, provisoriamente, por 6 meses e o Cruzeiro perdeu 14 pontos nos jogos em que foram escalados. No final do Campeonato, o atlético chegou a ser proclamado, provisoriamente, como campeão. No entanto, uma investigação da CBD descobriu que um dirigente do Corinthians, que trabalhava na Associação Paulista, fraudou os documentos comprobatórios do estágio para prejudicar o Palmeiras. A suspensão dos jogadores foi retirada e o Cruzeiro foi homologado como campeão. A imprensa mineira omitiu, mas em S. Paulo a crônica esportiva denunciou que a manobra contou com a colaboração dos atleticanos. 
Postar um comentário