domingo, 24 de janeiro de 2016

Campeonato da Cidade 1932

Carlos Henrique

CAMPEONATO DA CIDADE 1932

Campanha do Cruzeiro
Turno
29/05 - Cruzeiro 2 x 0 Grêmio
05/06 - Cruzeiro 8 x 1 Sete
19/06 - Cruzeiro 4 x 2 América
10/07 - Cruzeiro 3 x 2 Vespasiano
07/08 - Cruzeiro 0 x 3 Villa Nova (Bonfim)
Returno
04/09 - Cruzeiro 4 x 1 Grêmio
11/09 - Cruzeiro 1 x 2 Sete
25/09 - Cruzeiro 3 x 1 América (Alameda)
16/10 - Cruzeiro 8 x 3 Vespasiano (Vespasiano)
23/10 - Cruzeiro 2 x 2 Villa Nova

Classificação: 1º Villa Nova (campeão); 2º Cruzeiro; 3º Sete; 4º America; 5º Vespasiano; 6º Gremio
Artilheiro Máximo: Bengala (Cruzeiro) 12 gols
Campeão do Campeonato de Aspirantes: Cruzeiro
Campeão do Torneio Início: Villa Nova
Campeão da Série B: Prado Mineiro

Sistema 2-3-5:
Geraldo, Nereu e Tayan; Barros, Russinho e Calixto; Piorra, Paulista (Orlando), Malleta, Bengala e Alcides. Técnico: Rizzo

Quem jogou:
Bengala, Calixto e Tayan 10
Alcides, Malleta e Piorra 9
Geraldo 8
Nereu 7
Barros 6
Russinho 5
Caieira, Orlando e Paulista 4
Barbacena, Bellini e Lovisi 3
Niginho e Romeu 2
Gil, Licínio, Mazílio, Pedrinho e Rizzo 1

Quem marcou gols:
Bengala 12
Malleta 9
Alcides 4
Niginho e Paulista 3
Bellini, Orlando e Piorra 1

Fórmula de disputa
Turno e returno com classificação definida no sistema de pontos corridos

Liga não oficial
A Liga Mineira de Desportos Terrestres era a liga oficial do estado, reconhecida pela CBD e, consequentemente, pela FIFA. Já a Associação Mineira de Esportes Geraes era apenas uma liga alternativa sem oficialidade.

Dissidência que incomoda
Os clubes ainda buscavam a pacificação. Reuniões eram organizadas e soluções apresentadas, mas o impasse continuava e também incomodava. Em julho, 54 jogadores de clubes das duas entidades (Liga Mineira e AMEG) enviaram ofícios a ambas exigindo a pacificação. A demora em se resolver a dissidência provocou desgastes. Orestes Damasceno, Ubiratan Vieira Moraes, Kneipp Rodrigues renunciaram a seus cargos na AMEG, e Eloy de Andrade, demitiu-se do cargo de presidente da AMA, em julho. Inconformados, os membros do Sport Calafate passaram a dar gritos de "morras" ao atlético e a Liga antes dos jogos.

A Liga Mineira adotou os estatutos da AMEA-RJ, adaptando o documento ao futebol mineiro. A medida era apontada como a melhor fórmula para se chegar a pacificação. No entanto, os pequenos clubes foram contrários. Temiam prejuízos e só aceitavam as mudanças, após o regresso dos dissidentes. Sugeriram a criação de uma categoria especial para clubes medianamente organizados e a fusão das duas entidades.

A fórmula da paz do Bonsucesso
Em 23 de outubro, o Bonsucesso-RJ veio enfrentar o atletico e aproveitou para intermediar as negociações entre os clubes dissidentes. Dois dias depois um acordo foi assinado na sede do Cruzeiro e, no dia 9 de novembro, os clubes aprovaram a fórmula da paz.

Como ficou o Campeonato da Liga Mineira:

Classificação: 1º Cam (campeão); 2º Retiro; 3º Alves Nogueira; 4º Guarany; 5º Fluminense; 6º Carlos Prates; 7º Santa Cruz; 8º Sport Calafate
Artilheiro Máximo: Didico (Alves Nogueira) 14 gols
Campeão do Campeonato de Aspirantes: Cam
Campeão do Torneio Início: Cam
Campeão da Série B: Siderúrgica
Postar um comentário