quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Campeonato da Cidade 1937

Carlos Henrique

CAMPEONATO DA CIDADE 1937

Campanha do Cruzeiro
Turno Neutro
13/11 - Cruzeiro 0 x 3 Atlético (Alameda)
21/11 - Cruzeiro 1 x 1 Siderúrgica (Alameda)
05/12 - Cruzeiro 1 x 0 América (Lourdes)
23/12 - Cruzeiro 3 x 2 Retiro (Alameda)
06/01/38 - Cruzeiro 2 x 0 Villa Nova (Lourdes)
Returno Neutro
30/01/38 - Cruzeiro 1 x 1 Atlético (Alameda)
12/02/38 - Cruzeiro 1 x 2 Siderúrgica (Alameda)
20/02/38 - Cruzeiro 3 x 1 América (Lourdes)
27/02/38 - Cruzeiro 3 x 1 Retiro (Lourdes)
13/03/38 - Cruzeiro 1 x 1 Villa Nova (Alameda)

Classificação: 1º Siderúrgica (campeão); 2º Villa Nova; 3º Cruzeiro; 4º Cam; 5º America; 6º Retiro
Artilheiro Máximo: Arlindo (Siderúrgica) com 9 gols
Campeão do Torneio Início: não foi disputado

Sistema 2-3-5
Geraldo II, Canário e Caieira; Souza, Juca e Chiquito; Zama, Orlando, Zezé, Bengala e Calixto. Técnicos: Mario Grosso (Matturio Fabbi)

Quem jogou
Bengala, Caieira, Juca, Souza e Zezé 10
Canário, Chiquito e Orlando 9
Calixto 8
Geraldo II e Zama 7
Carlos Alberto e Geraldo 4
Dario e Miserani 3
Caieirinha e Tueu 2
Geninho e Manoel 1

Quem marcou gols
Calixto e Zama 3
Bengala, Carlos Alberto, Juca e Orlando 2
Paulo e Zezé 1

Fórmula de disputa:
Turno e returno com todos os jogos disputados em Belo Horizonte e em estádios neutros. Classificação definida no sistema de pontos corridos, sem acesso e rebaixamento, pois não havia Série B.

Critérios de participação:
Clubes profissionais filiados a FAMAF e inscritos no Campeonato.

CBD aceita o profissionalismo e termina a dissidência
O futebol brasileiro estava dividido com parte dos clubes na CBD e outros na FBF. O ano de 1937 estava restrito a amistosos interestaduais, até que a Confederação Brasileira do Desporto-CBD decidiu aceitar o regime profissional no futebol e incorporou a Federação Brasileira de Futebol-FBF dando fim a dissidência no futebol brasileiro. A FBF passou a cuidar do futebol dentro da CBD.

Criada a FAMAF e a Liga de Belo Horizonte
Em 11 de agosto de 1933, os clubes decidem transformar a Federação das Associações Mineiras de Athletismo-FAMA em Federação das Associações Mineiras de Athletismo e Futebol-FAMAF. A Associação Mineira de Futebol-AMF, a recém-criada Liga Esportiva Mineira-LEM e a Federação Mineira do Desporto-FMD (ligada a LEM e criada, em 2 de fevereiro, para cuidar dos esportes especializados) são todas extintas. Na mesma data foi criada a Liga de Futebol de Bello Horizonte-LFBH. A AMEG que cuidava dos esportes especializados permaneceu. A FAMAF seria reconhecida como entidade máxima dos esportes em Minas Gerais pela FBF, em 22 de fevereiro de 1938.

Campeonato volta a ser oficial
A FAMAF foi reconhecida como a entidade máxima dos esportes de Minas Gerais pela FBF, em 22 de fevereiro de 1938. Desde que os da capital deixaram a CBD, em 1933, os campeonatos de Belo Horizonte não foram reconhecidos pela entidade máxima dos esportes no Brasil e, consequentemente, pela FIFA. Quando os clubes de Juiz de Fora retornaram a CBD, em 1935, a Associação Minera de Esportes-AME, de Juiz de Fora, tornou-se a entidade máxima dos esportes em Minas Gerais. O Campeonato de Juiz de Fora passou a ser o oficial do estado em 1935 e 1936.

Interior na decisão
Siderúrgica e Villa Nova, os dois times de “futebol de fábrica” do interior, encerraram o Campeonato na liderança com a mesma pontuação. O time da Belgo Mineira, de Sabará, levou a melhor sobre a equipe da Mineração Morro Velho, de Nova Lima, na série decisiva de três partidas e ficou com a taça.
Postar um comentário