quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Campeonato da Cidade 1951

Carlos Henrique

CAMPEONATO DA CIDADE 1951

Campanha do Cruzeiro
1º Turno
22/07 - Cruzeiro 2 x 2 Siderúrgica
05/08 - Cruzeiro 3 x 0 Meridional (Barrancos)
12/08 - Cruzeiro 2 x 1 Metalusina (Alencar Peixoto)
16/08 - Cruzeiro 2 x 1 Villa Nova
26/08 - Cruzeiro 4 x 4 América (Alameda)
07/09 - Cruzeiro 1 x 0 Sete (Independência)
16/09 - Cruzeiro 1 x 3 Atlético
*classificação: 1º Villa Nova; 2º Siderúrgica; 3º Cruzeiro; 4º atletico; 5º Metalusina; 6º America e Meridional; 8º Sete
2º Turno
07/10 - Cruzeiro 2 x 1 Meridional
20/10 - Cruzeiro 2 x 1 Metalusina
28/10 - Cruzeiro 1 x 1 Siderúrgica (Praia do Ó)
04/11 - Cruzeiro 3 x 3 Sete
25/11 - Cruzeiro 1 x 2 Villa Nova (Bonfim)
16/12 - Cruzeiro 1 x 0 América
30/12 - Cruzeiro 1 x 2 Atlético (Lourdes)
*classificação: 1º Cam; 2º Cruzeiro e Villa Nova; 4º America, Sete e Siderúrgica; 7º Metalusina; 8º Meridional

Classificação Final: 1º Villa Nova (campeão); 2º atletico; 3º Cruzeiro; 4º Siderúrgica; 5º America e Metalusina; 7º Sete; 8º Meridional
Artilheiro Máximo: Lucas (Cam) com 15 gols
Campeão do Campeonato de Aspirantes: Paissandu
Campeão do Torneio Início: Siderurgica
Campeão do Campeonato Amador (DFA): Itaú

Fórmula de disputa:
Dois turnos distintos. Os vencedores de cada turno decidiam o título numa série decisiva de três jogos. Caso uma mesma equipe vencesse os dois turnos seria campeã. Sem acesso e rebaixamento, pois não havia Série B.

Critérios de participação:
Clubes profissionais filiados a FMF e inscritos no Campeonato. O Sete disputou o Campeonato como agregado

Sistema 3-5-2
Geraldo II, Duque e Bené; Adelino, Lazzarotti e Paulo Florêncio; Chiquinho, Abelardo, Áureo, Guerino e Sabu. Técnico: Juvenal Pereira

Quem jogou:
Geraldo II, Adelino, Bené, Duque, Guerino e Paulo Florêncio 14
Lazzarotti 13
Áureo e Sabu 12
Chiquinho 11
Abelardo 9
Expedicionário e Oiti 3
Ildeu 2
Gibi, Lésio, Lincoln, Nilsinho e Raimundinho 1

Quem marcou gols:
Guerino 8
Abelardo 6
Áureo e Chiquinho 3
Lazzarotti e Sabu 2
Ildeu e Oiti 1

Fim da era dos pontos corridos
O Campeonato de 1951 foi o primeiro a abandonar o critério dos pontos corridos na tabela de classificação. Os clubes resolveram inovar e adotar as fases distintas, onde os pontos eram zerados, quando a outra se iniciava.

Mais um time de futebol de fábrica
Na reunião do conselho divisional, em 7 de junho, foi aceita a inscrição do Meridional. Somando-se ao Metalusina (Compania de Usinas Metalúrgicas), Siderúrgica (Cia Belgo Mineira), Villa Nova (Mineração Morro Velho), o Meridional, que o era o time da Mineração Morro da Mina, que explorava manganês em Conselheiro Lafaiete, era o quarto time de "futebol de fábrica" a entrar pro Campeonato de Belo Horizonte.

Categoria de aspirantes
Os critérios da formação dos times aspirantes passou a ser de até 8 profissionais, sendo apenas dois maiores de 26 anos (Diário da Tarde, 03/09/1951). A CBD permitia até 8 amadores numa equipe profissional (Diário da Tarde, 15/10/1951). Os jogadores inscritos nos clubes como "não amadores" poderiam exercer outra profissão, simultaneamente. Muitos trabalhavam em repartições públicas, onde recebiam salários melhores e recebiam um salário padrão baixo dos clubes.
Postar um comentário