domingo, 21 de fevereiro de 2016

Campeonato Mineiro 1964

Carlos Henrique

CAMPEONATO MINEIRO DE 1964

Campanha do Cruzeiro
Turno
05/07 - Cruzeiro 2 x 1 Pedro Leopoldo (César Julião, P. Leopoldo)
09/07 - Cruzeiro 3 x 0 Uberaba (Barro Preto)
19/07 - Cruzeiro 2 x 1 Democrata (Duarte de Paiva, Sete Lagoas)
26/07 - Cruzeiro 7 x 4 Nacional (Independência)
02/08 - Cruzeiro 0 x 1 Cam (Independência)
09/08 - Cruzeiro 4 x 0 Renascença (Barro Preto)
15/08 - Cruzeiro 1 x 0 Guarani (Barro Preto)
23/08 - Cruzeiro 0 x 2 Siderúrgica (Praia do Ó, Sabará)
30/08 - Cruzeiro 1 x 2 América (Independência)
05/09 - Cruzeiro 0 x 0 Villa Nova (Independência)
13/09 - Cruzeiro 1 x 1 Uberlândia (Juca Ribeiro, Uberlândia)
Returno
27/09 - Cruzeiro 4 x 0 Guarani (Porto Velho, Divinópolis)
30/09 - Cruzeiro 4 x 0 Uberlândia (Barro Preto)
04/10 - Cruzeiro 0 x 0 Villa Nova (Bonfim, Nova Lima)
11/10 - Cruzeiro 5 x 0 Pedro Leopoldo (Barro Preto)
18/10 - Cruzeiro 0 x 1 Uberaba (Boulanger Pucci, Uberaba)
25/10 - Cruzeiro 0 x 2 Democrata (Barro Preto)
01/11 - Cruzeiro 1 x 0 Siderúrgica (Barro Preto)
15/11 - Cruzeiro 1 x 0 Atletico (Independência)
21/11 - Cruzeiro 1 x 1 Renascença (Independência)
29/11 - Cruzeiro 2 x 1 America (Independência)
08/12 - Cruzeiro 2 x 0 Nacional (JK, Uberaba)

Classificação: 1º Siderúrgica (campeão); 2º America; 3º Cruzeiro e Uberaba; 5º atletico; 6º Nacional; 7º Democrata, Guarani e Villa Nova; 10º Uberlandia; 11º Renascença; Rebaixado: 12º Pedro Leopoldo
*Siderurgica classificado para o Campeonato Brasileiro de 1965 como campeão mineiro de 1964
Artilheiro Máximo: Jair Bala (America) com 19 gols
Campeão da Divisão Especial (Juiz de Fora): Olimpic
Campeão da 1ª Divisão (Interior): Valerio

Fórmula de disputa
Turno e Returno. Classificação definida no sistema de pontos corridos. O último colocado foi rebaixado para a divisão do interior (Primeira Divisão).

Critérios de participação:
Clubes da Divisão Extra de Profissionais inscritos no Campeonato. O Nacional participou como campeão da divisão do interior (1ª divisão) de 1963.

Sistema 4-2-4
Fábio, Raul Fernandes, Vavá, Dilsinho e Pedro Paulo (Emerson); Piazza e Dirceu Lopes; Gradim, Tostão, Wilson Almeida (Fescina) (Paulo) e Hilton Oliveira. Técnicos: Marão (8) e Airton Moreira (14)

Quem jogou
Vavá 22
Fábio, Hilton Oliveira e Tostão 21
Dilsinho 19
Wilson Almeida 17
Piazza 16
Dirceu Lopes e Gradim 14
Raul Fernandes 12
Emerson e Pedro Paulo 11
Fescina e Paulo 10
Jaime 7
Toledo e Tonho 6
Natal e William 4
Picinin e Sílvio 3
Ilton Chaves e Nuno 2
Dalmar, Fiapo, Hipólito e Nerival 1

Quem marcou gols
Tostão 13
Wilson Almeida 9
Fescina e Paulo 6
Dirceu Lopes e Gradim 2
Hilton Oliveira, Hipólito e Natal 1

Sem tabela dirigida
Em 6 de junho de 1964, o conselho divisional decidiu, por unanimidade, não adotar a tabela dirigida no Campeonato de 1964. Também definiu que a renda dos jogos seria do mandante contrariando o Siderúrgica e o Villa Nova que entraram com um recurso pedindo a divisão da renda. “Os clubes interioranos não tem torcida numerosa como os da capital. Pagam caro por uma visita de um clube da capital (fixação de cota e renda dividida), mas se recuperam quando jogam em BH”, justificaram. Em 4 de setembro o Conselho Nacional do Desporto julgou favorável a divisão das rendas. Siderúrgica e Villa teriam direito a cotas também.

Independência
Em 13 de julho, América, Atlético e Cruzeiro firmam acordo de jogarem os clássicos no Horto. Também ficou definido que dois jogos não poderiam ser disputados, em Belo Horizonte, na mesma data.

Juniores e amadores
Aprovada a inclusão de juvenis e amadores, devidamente registrados, respeitando a lei que permite o limite de três amadores numa equipe. Na suplência não haveria mais a necessidade de indicar o suplente antes do jogo. O presidente João Goulart assinou lei que regulamenta a profissão de “atleta profissional”, em 25 de março de 1964

Intervenção federal na Federação Mineira
Benedito Adami de Carvalho foi eleito presidente da Federação, pela maioria dos votos, em 27 de junho, mas um ato ilegal de Valter Soller empossou Armando Cordeiro Mendes Júnior na presidência da FMF, em 30 de junho. Bené solicitou uma intervenção ao CND e foi atendido. Soller recorreu a justiça comum com um mandato de segurança. No dia 2 de julho, o Cel. Ulisses Oliveira Panisset, do CND, veio a Belo Horizonte intervir na FMF e empossou Benedito Adami.

O primeiro doping confirmado
Em 23 de setembro, o médico legista, José Wilson Rabelo, colheu saliva e urina dos jogadores do Pedro Leopoldo e do Atlético, após a FMF acatar denúncias de que os jogadores estariam jogando dopados. Em 13 de outubro, os resultados dos exames apontaram "doping" dos jogadores Pita e Jairo, do Pedro Leopoldo (Diario da Tarde, 14/10/1964). Pita declarou que não fez uso de nenhuma substância ou remédio, apenas disse que tomou muita laranjada antes do jogo (Diario da Tarde, 20/10/1964)

Indicação para o Campeonato Brasileiro
O Olimpic, de Barbacena, discordou da indicação do Siderúrgica, como campeão da divisão extra, para a disputa do Campeonato Brasileiro de 1965. Como campeão da divisão especial, o Olimpic exigiu que a FMF cumprisse os estatutos e marcasse a decisão do título de campeão mineiro de 1964, entre os campeões das divisões extra (Siderúrgica), 1a divisão (Valerio) e divisão especial (Olimpic). O presidente da FMF, Benedito Adami de Carvalho, esclareceu que esta cláusula havia sido retirada do regulamento na última reforma dos estatutos da Federação.
Postar um comentário