quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Campeonato Mineiro 1967

Em pé: Neco, Pedro Paulo, Piazza, Viktor, Raul e Procópio; Agachados: Natal, Tostão, Evaldo, Dirceu Lopes e Hilton Oliveira

Carlos Henrique

CAMPEONATO MINEIRO 1967

Campanha do Cruzeiro
Turno
12/07 - Cruzeiro 1 x 3 Usipa
16/07 - Cruzeiro 6 x 2 Valério
19/07 - Cruzeiro 5 x 0 Democrata
23/07 - Cruzeiro 3 x 1 Formiga (Juca Pedro, Formiga)
29/07 - Cruzeiro 3 x 1 Uberlândia
06/08 - Cruzeiro 0 x 0 Uberaba (Boulanger Pucci, Uberaba)
12/08 - Cruzeiro 5 x 1 Villa Nova
19/08 - Cruzeiro 4 x 0 Araxá
24/08 - Cruzeiro 0 x 0 Nacional
03/09 - Cruzeiro 1 x 2 América
10/09 - Cruzeiro 0 x 0 Atlético
Returno
01/10 - Cruzeiro 2 x 0 Uberlândia
05/10 - Cruzeiro 4 x 0 Uberaba
12/10 - Cruzeiro 2 x 1 Villa Nova
21/10 - Cruzeiro 4 x 2 Valério
29/10 - Cruzeiro 4 x 0 Democrata
04/11 - Cruzeiro 7 x 1 Araxá
12/11 - Cruzeiro 0 x 0 América
19/11 - Cruzeiro 6 x 1 Usipa
26/11 - Cruzeiro 3 x 3 Atlético
03/12 - Cruzeiro 2 x 0 Formiga
09/12 - Cruzeiro 4 x 1 Nacional
Decisão
14/01/1968 - Cruzeiro 3 x 1 Atlético
21/01/1968 - Cruzeiro 3 x 0 Atlético
*o jogo contra o Usipa, pela 1a rodada, foi remanejado do dia 2 para o dia 12/07; e o jogo contra o Democrata, pela 2a rodada, do dia 9 para o dia 19/07, devido aos jogos do Cruzeiro pela Taça Libertadores. Os mandos de campo contra o Democrata, de Sete Lagoas e Araxá, no turno, e contra o Usipa, Valerio, Uberlandia e Nacional, de Uberaba, no returno, foram invertidos para o Mineirão, devido a tabela dirigida

Classificação: 1º Cruzeiro (campeão); 2º atletico; 3º America; 4º Araxá, Formiga e Uberaba; 7º Usipa; 8º Democrata, Uberlândia e Villa Nova; 11º Valerio; Rebaixado: 12º Nacional
*Cruzeiro classificado para o Campeonato Brasileiro de 1968, como campeão mineiro de 1967
Artilheiro Maximo: Tostão (Cruzeiro) com 20 gols
Campeão do Campeonato da 1ª Divisão (Interior): Independente, de Uberaba
Campeão do Campeonato da Divisão Extra (Juiz de Fora): Sport

Sistema 4-2-4
Raul, Pedro Paulo, Viktor (William), Procópio e Neco; Zé Carlos (Piazza) e Dirceu Lopes; Natal, Tostão, Evaldo e Rodrigues (Hilton Oliveira). Técnicos: Airton Moreira (15) e Orlando Fantoni (9)

Quem jogou
Neco e Pedro Paulo 24
Dirceu Lopes, Evaldo, Natal e Procópio 23
Raul 22
Tostão 20
Zé Carlos 14
Viktor 12
Rodrigues 11
Piazza 10
Hilton Oliveira 8
Ilton Chaves 7
Celton e Wilson Almeida 5
Davi 4
Didi, Tonho e Vicente 3
Batista, Eduardo, Murilo e William 2
Fazzano, Jair Bala e Vavá 1

Quem marcou gols
Tostão 20
Evaldo 17
Natal 13
Dirceu Lopes 8
Piazza, Procópio e Zé Carlos 3
Davi 2
Pedro Paulo e Wilson Almeida 1
Gol contra: Décio Teixeira (Atletico) 1

Fórmula de disputa
Turno e Returno. Classificação definida no sistema de pontos corridos. O último colocado foi rebaixado para a divisão do interior (Primeira Divisão).

Critérios de participação:
Clubes da Divisão Extra de Profissionais inscritos no Campeonato. O Araxá participou como campeão da divisão do interior (1ª divisão) de 1966. O Usipa, de Ipatinga, vice-campeão da divisão do interior (1ª divisão) de 1966 participou do Campeonato entrando na vaga do Siderúrgica, de Sabará, que não se inscreveu para a disputa do Campeonato.

Sistema de "tabela dirigida"
Na reunião do conselho divisional foi mantido o sistema da "tabela dirigida" no Campeonato da Divisão Extra. A “tabela dirigida” consistia na escolha dos dois jogos principais de cada rodada que deveriam ser disputados no estádio de maior capacidade - o Mineirão. Para a escolha dos jogos 1 e 2 somava-se os pontos dos duelistas da rodada. O duelo que somasse o maior número de pontos seria o jogo 1 e o segundo maior o jogo 2. No caso de empate, adotava-se a soma de gols. Persistindo o empate os jogos 1 e 2 eram apontados em sorteio. Nas quatro primeiras rodadas do Campeonato de 1967, a pontuação final do campeonato de 1966 foi considerada. O Araxa, que subiu para a divisão extra, como campeão da divisão do interior, herdou os pontos do Renascença, que havia sido rebaixado, para efeito da tabela dirigida. Quando duas equipes do interior jogarem entre si e tiverem classificados como 1 e 2, os jogos obedecerão o mando de campo fixado na tabela. Também ficou definido que os jogos do turno e do returno entre America, Atletico, Cruzeiro e Villa Nova seriam disputados no estádio de maior capacidade. (Diario da Tarde, 23/04/1965).

Fim do Siderúrgica
O Siderúrgica, de Sabará, extinguiu o seu departamento de futebol profissional e tornou-se amador. Foi o fim de um dos clubes de futebol de fábrica mais bem sucedidos do futebol mineiro. O clube não conseguiu manter-se sem a ajuda da Cia Belgo Mineira, desde que o CND extinguiu a categoria de não amador e obrigou os clubes a escalarem 8 atletas com registro de atleta profissional em cada jogo. O Usipa, que também era de futebol de fábrica e pertencente a Usiminas, foi apontado pela FMF para substituir o Siderúrgica, por ter sido vice-campeão da 1ª Divisão de 1966. A escolha gerou protestos dos clubes de Juiz de Fora e do Renascença que pleitearam a vaga.

Mais impostos nas rendas
O ano de 1967 ficou marcado pelo aumento de impostos do governo federal. O governo mineiro de Israel Pinheiro, através da Lei 4492 – art 41, de 14 de junho de 1967, passou a cobrar tributo para alvará de licença para jogos de ingressos pagos. Antes o alvará custava Ncr$ 0,30, e com a lei passou a valer 1% do valor de cada ingresso, calculado sobre o valor do salário mínimo vigente em dezembro de 1966 custando Ncr$ 0,08 por entrada, além da taxa de expediente de Ncr$ 1,62. Em 12 jogos no Mineirão, o governo arrecadou Ncr$ 3.086,68. Se não fosse a lei teria arrecadado apenas Ncr$ 3,60 (Diario da Tarde, 03/08/1967). Jogar no Mineirão já não era mais tão vantajoso, como havia sido nos dois primeiros anos.

Cruzeiro vence a primeira decisão estadual no Mineirão
Cruzeiro e Atletico terminaram o Campeonato com a mesma pontuação. Como não haviam critérios de desempate como saldo de gols, numero de vitórias, numero de gols marcados e etc foi necessária uma série decisiva de três jogos (melhor de 4 pontos) para se definir o campeão. Foi a primeira decisão entre os rivais no estádio Mineirão. O Cruzeiro "liquidou a fatura" com duas vitórias consecutivas (4 pontos - 2 por vitória) e evitou a realização de um terceiro jogo.
Postar um comentário