sexta-feira, 4 de março de 2016

Campeonato Mineiro 1975

Time que derrotou o atletico na última rodada do quadrangular final por 1 a 0, no Mineirão, que confirmou o tetracampeonato mineiro. Em pé: Darci, Nelinho, Moraes, Zé Carlos, Raul e Vanderlei; Agachados: Roberto Batata, Eduardo, Jairzinho, Palhinha e Joãozinho.

Carlos Henrique

CAMPEONATO MINEIRO 1975

Campanha do Cruzeiro
1ª Fase
20/04 - Cruzeiro 2 x 2 Atlético (Mineirão)
27/04 - Cruzeiro 2 x 1 Valério (Mineirão)
01/05 - Cruzeiro 2 x 1 Nacional (Uberabão)
04/05 - Cruzeiro 3 x 0 América (Mineirão)
08/05 - Cruzeiro 4 x 3 Uberlândia (Juca Ribeiro)
11/05 - Cruzeiro 0 x 0 Caldense (Cristiano Osório)
14/05 - Cruzeiro 0 x 0 Esportiva Guaxupé (Carlos Costa Monteiro)
25/05 - Cruzeiro 1 x 1 ESAB (Jorge Oliva, Contagem)
Classificação (Grupo A): 1º Cruzeiro; 2º Uberaba; 3º Villa Nova; 4º União Tijucana; 5º Fluminense; 6º Nacional de Muriaé; 7º Sete; 8º Democrata de Valadares
*Atletico escalou jogadores em situação irregular no clássico de 20 de abril e perdeu o ponto do jogo.
Decisão da 1ª Fase
28/05 - Cruzeiro 6 x 2 ESAB (Mineirão)
30/05 - Cruzeiro 1 x 0 ESAB (Mineirão)
Fase Semifinal
08/06 - Cruzeiro 0 x 1 Caldense (Cristiano Osório)
11/06 - Cruzeiro 1 x 0 União Tijucana (Fazendinha, Ituiutaba)
14/06 - Cruzeiro 2 x 0 América (Mineirão)
19/06 - Cruzeiro 0 x 0 Uberaba (Uberabão)
22/06 - Cruzeiro 2 x 0 Villa Nova (Mineirão)
27/06 - Cruzeiro 2 x 0 ESAB (Jorge Oliva, Contagem)
06/07 - Cruzeiro 0 x 1 Atlético (Mineirão)
Classificação (Grupo A): 1º Caldense; 2º Cruzeiro; 3º America; 4º União Tijucana
Fase Final
01/02/1976 - Cruzeiro 4 x 1 Caldense
04/02/1976 - Cruzeiro 2 x 1 América
08/02/1976 - Cruzeiro 1 x 0 Atlético
15/02/1976 - Cruzeiro 3 x 1 Caldense
18/02/1976 - Cruzeiro 2 x 1 América
22/02/1976 - Cruzeiro 1 x 0 Atlético
Classificação (Fase Final): 1º Cruzeiro; 2º Atletico; 3º Caldense; 4º America

Classificação Geral: 1º Cruzeiro (campeão); 2º Atletico; 3º Caldense; 4º America; 5º Esab; 6º Uberaba; 7º Villa Nova; 8º União Tijucana; 9º Valerio; 10º Uberlandia; 11º Esportiva Guaxupé; 12º Nacional, de Muriaé; 13º Fluminense; 14º Sete; 15º Democrata de Valadares; 16º Nacional de Uberaba
*Cruzeiro e atletico classificados para o Campeonato Brasileiro de 1976, como campeão e vicecampeão mineiro de 1975.
Artilheiro Máximo: Palhinha (Cruzeiro) com 10 gols

Fórmula de disputa
Campeonato dividido em três fases. Na primeira fase, as 16 equipes foram divididas em dois grupos de 8 cada. Os times do Grupo A enfrentaram os do Grupo B em turno único. Os quatro primeiros colocados de cada grupo se classificaram para a 2ª fase. Os primeiros colocados de cada grupo decidiram o título da 1ª fase. O vencedor da 1ª fase garantiu sua classificação para a Fase Final e a vantagem de entrar naquela fase com um ponto extra na tabela de classificação.
Na Fase semifinal os 8 times foram divididos em duas chaves com quatro equipes cada. Todos os clubes da 2ª fase se enfrentaram em turno único. Os dois primeiros colocados de cada chave se classificaram para a fase final. O primeiro colocado de cada chave foi contemplado com um ponto extra na tabela de classificação da fase final. O quarto classificado para a fase final foi apontado pelo índice técnico.
O Torneio Eliminatório (que também valia a Taça Minas Gerais) contemplou o seu vencedor com um ponto extra na fase final do Campeonato Mineiro.
Na fase final os 4 times se enfrentaram em turno e returno. O campeão mineiro foi o que obteve o maior número de pontos nesta fase.

Critérios de participação:
Devido a paralisação do torneio eliminatório por causa dos recursos na justiça desportiva, todos os 16 participantes foram classificados para o Campeonato Mineiro.

Sistema 4-2-4
Vitor; Paulo Roberto (Nelinho), Moraes, Souza (Darci) e Vanderlei; Piazza e Eduardo (Waender); Roberto Batata, Palhinha, Eli Mendes (Cândido) e Jesum (Joãozinho) (Moacir). Técnicos: Ilton Chaves (9), Moacir Rodrigues (8) e Zezé Moreira (6)

Quem jogou
Eli Mendes e Moraes 15
Cândido, Eduardo, Souza e Vanderlei 14
Jesum e Roberto Batata 13
Paulo Roberto 12
Darci, Nelinho e Palhinha 11
Joãozinho, Moacir e Vitor 10
Dirceu Lopes, Piazza e Waender 9
Angelo, Helio, Normandes, Roberto César e Toninho 8
Raul e Zé Carlos 7
Jairzinho 6
Isidoro e Silva 5
Kleber 3
Juarez 2
Dick 1

Quem marcou gols
Palhinha 10
Nelinho 5
Joãozinho e Roberto Batata 4
Cândido e Dirceu Lopes 3
Eli Mendes, Jesum e Roberto César 2
Darci, Eduardo, Jairzinho e Moraes 1
Gols contra: Cléber (America) e Bassi (Caldense) 1

A ditadura do Coronel
Ainda permanecia a determinação do governo federal de que os presidentes das federações estaduais comandassem as entidades sem a opinião e o voto dos clubes. Esta determinação foi dada em 1973. O modelo da ditadura militar havia se expandido as entidades futebolísticas, desde então. Em 1975, o presidente da FMF, Coronel José Guilherme, valendo-se das prerrogativas do seu cargo promoveu diversas alterações no regulamento do Campeonato Mineiro. A princípio, prometeu reduzir o número de participantes do Estadual de 14 para 12 clubes, sendo todos eles apontados por um Torneio Eliminatório. Ao contrário dos anos anteriores, America, Atletico e Cruzeiro foram obrigados a disputar o Torneio Eliminatório.

Taça Minas Gerais em disputa no Torneio Eliminatório
A Taça Minas Gerais havia sido instituída em 1973 para ser disputada em um torneio antes do início do Campeonato Mineiro. A edição de 1974 não ocorreu por falta de datas. Em 1975 a situação se repetiria, mas o presidente da FMF decidiu colocá-la em disputa no Torneio Eliminatório, que apontaria os 12 classificados para o Campeonato Mineiro. Para motivar a disputa, o presidente da FMF definiu que o vencedor receberia um ponto extra na tabela de classificação do quadrangular final do Campeonato Mineiro.

Torneio Eliminatório sem efeito
O Torneio Eliminatório teve 16 participantes divididos em duas chaves com 8 clubes cada. Na primeira fase as equipes se enfrentaram em turno único dentro de seus respectivos grupos. Os seis primeiros colocados de cada chave se classificariam para o Campeonato Mineiro. Os dois primeiros colocados de cada chave disputariam o título da Taça Minas Gerais, que também valia um ponto extra para a fase final do Estadual. Recursos no tribunal do TJD provocaram a anulação de alguns jogos, que tiveram que ser disputados novamente em outras datas. Como a definição do Eliminatório causaria o atraso na disputa do Estadual, a FMF decidiu classificar todos os participantes para o Campeonato Mineiro. Assim o Eliminatório tornou-se sem efeito, pelo segundo ano consecutivo. Os jogos remarcados só puderam ser disputados, quando o Estadual já estava em andamento. A decisão entre Cruzeiro e Atletico, que foram os vencedores dos grupos A e B, somente foram disputadas em 18 e 25 janeiro de 1976. O atletico venceu ambos os clássicos pelo placar de 2 a 1 e ficou com o título da Taça Minas Gerais.

Campeonato inchado
Por determinação da CBD, os campeonatos estaduais deveriam ser encerrados até o início do Campeonato Brasileiro, em agosto. Por causa dos problemas do Torneio Eliminatório e o inchaço da competição com 16 clubes, a Fase Final do Campeonato Mineiro ficou para ser disputada em fevereiro de 1976.

Critérios de desempate
Os critérios de desempate passaram a ser apontados no Campeonato Mineiro. Na 1ª fase, no caso de empate em número de pontos ganhos, os critérios de desempate seriam na sequência: maior saldo de gols, gols marcados, renda e sorteio; Na fase Semifinal: maior saldo de gols na fase semifinal, maior saldo de gols nas duas fases, gols marcados na fase semifinal, gols marcados nas duas fases e sorteio; Na fase Final: maior saldo de gols na fase final, maior saldo de gols nas três fases, gols marcados na fase final, gols marcados nas três fases e sorteio.

Campeão no Quadrangular
Foi o segundo Estadual do Cruzeiro conquistado num quadrangular final. O título mineiro foi confirmado, pelo quarto ano consecutivo, na última rodada, com uma vitoria sobre o atletico, no Mineirão. O Cruzeiro venceu por 1 a 0 com um gol do atacante Palhinha. Nesta fase final, o Cruzeiro conseguiu reverter a vantagem do atletico de um ponto a mais. O alvinegro havia conquistado dois pontos extras pelo título da Taça Minas Gerais e pela primeira colocação de seu grupo na fase semifinal, enquanto o Cruzeiro recebeu um ponto pela conquista da 1ª fase.
Postar um comentário