domingo, 26 de junho de 2016

Campeonato Mineiro 1984

Guido (enfermeiro), Carlos Alberto, Ailton, Eugênio, Luiz Cosme, Douglas, Ademir Maria; Teotônio (enfermeiro), Carlinhos, Seixas, Palhinha, Tostão, Joãozinho

Carlos Henrique

Primeiro Turno
03/06 - Cruzeiro 4 x 2 Guarani (Mineirão)
09/06 - Cruzeiro 1 x 0 América (Mineirão)
17/06 - Cruzeiro 1 x 1 Alfenense (Gigante da Avenida, Alfenas)
24/06 - Cruzeiro 0 x 3 Uberlândia (Parque do Sabiá, Uberlândia)
01/07 - Cruzeiro 2 x 1 Uberaba (Mineirão)
08/07 - Cruzeiro 0 x 3 Democrata (Mamudão, Gov. Valadares)
15/07 - Cruzeiro 3 x 0 Caldense (Mineirão)
22/07 - Cruzeiro 2 x 0 Villa Nova (Mineirão)
29/07 - Cruzeiro 1 x 0 Atlético (Mineirão)
05/08 - Cruzeiro 1 x 0 Valério (Mineirão)    
12/08 - Cruzeiro 1 x 1 Democrata (Duarte de Paiva, Sete Lagoas)
02/09 - Cruzeiro 3 x 0 Tupi (Salles de Oliveira, Juiz de Fora)
09/09 - Cruzeiro 1 x 0 Nacional, de Uberaba (Mineirão)
Classificação do 1º turno: 1º Cruzeiro, 2º Guarani, 3º Villa Nova, 4º America, 5º Uberlândia, 6º atletico, 7º Democrata SL, 8º Tupi, 9º Uberaba, 10º Democrata GV, 11º Alfenense, 12º Nacional, 13º Caldense, 14º Valerio

Semifinal
12/09 - Cruzeiro 1 x 1 Villa Nova (Bonfim, Nova Lima)
16/09 - Cruzeiro 3 x 2 Villa Nova (Mineirão)
Decisão do 1º turno
19/09 - Cruzeiro 2 x 1 América (Mineirão)
23/09 - Cruzeiro 2 x 1 América (Mineirão)
*Cruzeiro campeão do 1º turno e da Taça Minas Gerais
**o Uberaba ganhou os pontos da partida contra o Democrata-GV, em 05/08/1984, que havia empatado em 1 a 1.

Segundo Turno
30/09 - Cruzeiro 0 x 1 Democrata-SL (Mineirão)
07/10 - Cruzeiro 2 x 2 Valério (Israel Pinheiro, Itabira)
11/10 - Cruzeiro 3 x 0 Tupi (Mineirão)
14/10 - Cruzeiro 3 x 1 Uberlândia (Mineirão)
18/10 - Cruzeiro 2 x 2 Uberaba (Uberabão, Uberaba)
21/10 - Cruzeiro 0 x 0 Nacional (JK, Uberaba)
24/10 - Cruzeiro 5 x 0 Democrata-GV (Mineirão)
28/10 - Cruzeiro 5 x 1 Caldense (Ronaldão, Poços de Caldas)
04/11 - Cruzeiro 1 x 0 América (Mineirão)
07/11 - Cruzeiro 2 x 1 Alfenense (Mineirão)
11/11 - Cruzeiro 1 x 1 Atlético (Mineirão)
15/11 - Cruzeiro 0 x 0 Villa Nova (Bonfim, Nova Lima)
25/11 - Cruzeiro 0 x 0 Guarani (Farião, Divinópolis)
Classificação do 2º turno: 1º atletico, 2º Cruzeiro, 3º Democrata GV, 4º Valerio, 5º America, 6º Tupi, 7º Villa Nova, 8º Democrata SL, 9º Nacional, 10º Caldense, 11º Alfenense, 12º Uberlândia, 13º Uberaba, 14º Guarani

Semifinal
28/11 - Cruzeiro 1 x 0 Valério (Israel Pinheiro, Itabira)
01/12 - Cruzeiro 2 x 0 Valério (Mineirão)
Decisão do 2º turno
05/12 - Cruzeiro 4 x 0 Atlético (Mineirão)
09/12 - Cruzeiro 0 x 1 Atlético (Mineirão)
*Cruzeiro campeão do 2º turno

Classificação Final: 1º Cruzeiro (campeão), 2º atletico, 3º Villa Nova, 4º America, 5º Democrata GV, 6º Tupi, 7º Guarani, 8º Democrata SL, 9º Uberlândia, 10º Valerio, 11º Nacional, 12º Uberaba. Rebaixados: 13º Alfenense, 14º Caldense
*Cruzeiro e atletico classificados para o Campeonato Brasileiro de 1985; Villa Nova e America classificados para o Módulo Taça de Prata do Campeonato Brasileiro de 1985
Artilheiro Máximo: Seixas (Cruzeiro) com 14 gols

Caldense e Alfenense beneficiadas
O Conselho Nacional do Desporto-CND permitiu o aumento de 12 para 14 clubes no Campeonato Mineiro de 1984. Assim, o Estadual foi disputado por 14 clubes, sendo os 12 do Campeonato de 1983 (a Caldense - última colocada de 1983 não foi rebaixada), mais o campeão e o vice da 2ª divisão de 1983, que foram Tupi e Alfenense, respectivamente. A Alfenense havia sido derrotada na melhor de três jogos contra o Democrata-GV(penúltimo colocado de 1983) pela última vaga para o Estadual de 1984 (04/12 - Alfenense 1 x 2 Democrata-GV; 07/12 - Democrata-GV 1 x 1 Alfenense - 11/12 (Independência) Democrata-GV 4 x 2 Alfenense), mas com a decisão do CND, a disputa pela vaga foi anulada e ambos foram classificados.

Sistema de Disputa:
Dois turnos distintos. Em cada turno os quatro melhores se classificavam para a semifinal e se enfrentavam no sistema mata-mata. Os vencedores dos confrontos da semifinal decidiram o título do turno em dois jogos. A Taça Minas Gerais foi colocada em disputa no 1º turno. O clube vencedor dos dois turnos sagrou-se campeão mineiro e, caso houvesse um campeão de cada turno, o campeonato seria disputado em duas partidas.

Sistema 4-3-3:
Vitor (Ademir Maria), Carlos Alberto, Zezinho Figueroa, Ailton (Geraldão) e Ademar (Luiz Cosme); Douglas, Palhinha (Eduardo) e Tostão; Carlinhos, Seixas (Arildo) e Joãozinho. Técnicos: Oswaldo Brandão (5), Jair Francisco (29)

Quem jogou:
Ademar, Eduardo 32
Douglas 31
Zezinho Figueroa 30
Carlos Alberto 29
Tostão 28
Carlinhos 27
Ailton, Joãozinho, Seixas 26
Geraldão, Luiz Cosme 21
Palhinha 20
Vitor 18
Ademir Maria, Arildo 16
Eugênio 14
Evaristo 12
Seixas 11
Orlando, Sávio 9
Paulinho 8
Edu Lima 6
Evandro 4
Geraldinho, Murilo, Quirino 3
Maninho, Ronaldo, Zé Luiz 2
Ismar, Marcos Vinícius, Rogério, Vilmar 1

Quem marcou gols:
Seixas 14
Tostão 13
Carlinhos 8
Evaristo 7
Eduardo, Joãozinho 4
Geraldão 3
Ademar, Arildo, Palhinha, Quirino 1
Gols contra: Luizinho (Atletico), Jorge Nobre (Valerio) 1

Posse definitiva da Taça Minas Gerais
A taça Minas Gerais foi instituída em 1973. Segundo o regulamento, o troféu ficaria em posse definitiva da equipe que a conquistasse três vezes consecutivas ou cinco alternadas. Com as conquistas de 1982, 1983 e 1984, o Cruzeiro tornou-se o detentor definitivo da Taça

A polêmica dos "resultados iguais"
Antes da decisão o 1º turno, o America contestou o entendimento do termo "resultados iguais" no regulamento. O alviverde se perdesse o primeiro jogo e vencesse o segundo, entendia que ambos os finalistas teriam "resultados iguais" - uma vitória para cada lado, independente dos placares dos jogos. No entanto “resultados iguais” contava o saldo de gols em caso de uma vitória para cada lado. O Coelho ameaçou entrar com um recurso, mas não foi preciso, pois o Cruzeiro venceu ambos os clássicos.

A polêmica dos "resultados iguais" no 2º turno
Por ter feito a melhor campanha no 2º turno, o Atlético jogou com a vantagem de dois “resultados iguais” nos dois jogos decisivos do turno contra o Cruzeiro. Após terem sido goleados por 4 a 0 pelo Cruzeiro, no primeiro jogo, a diretoria galinácea ameaçou entrar com um recurso, caso não devolvessem o placar pelo mesmo saldo de gols no 2º jogo. No entendimento dos alvinegros para obter “resultados iguais” bastava vencer um dos clássicos. O alvinegro venceu o segundo apenas por 1 a 0 e recorreu aos tribunais, onde foi derrotado em todas as instâncias judiciais. Conseguiu apenas adiar a homologação do título do Cruzeiro por 6 anos, que aconteceu em 26/09/1990.
Postar um comentário