quarta-feira, 6 de julho de 2016

Campeonato Mineiro 1987

O time que entrou em campo no jogo decisivo do título de 1987, no Mineirão: Ademir, Balu, Vilmar, Genilson, Gilmar Francisco e Gomes; Robson, Vanderlei, Careca, Douglas e Edson

Carlos Henrique

PRIMEIRO TURNO

Primeira Fase
07/03 - Cruzeiro 4 x 0 Tupi (Mineirão)
15/03 - Cruzeiro 2 x 1 Atlético Três Corações (Elias Arbex, Três Corações)
19/03 - Cruzeiro 1 x 0 Caldense (Mineirão) 
22/03 - Cruzeiro 1 x 2 América (Independência)
26/03 - Cruzeiro 2 x 0 Nacional (Uberabão)
29/03 - Cruzeiro 0 x 1 Uberaba (Uberabão)
01/04 - Cruzeiro 1 x 0 Democrata-SL (Mineirão)
05/04 - Cruzeiro 1 x 0 Rio Branco (Mineirão)
12/04 - Cruzeiro 0 x 1 Esportivo (Starling Soares, Passos)
15/04 - Cruzeiro 0 x 0 Valério (Mineirão)
19/04 - Cruzeiro 1 x 0 Fabril (Juventino Dias, Lavras)
22/04 - Cruzeiro 5 x 1 Villa Nova (Mineirão)
26/04 - Cruzeiro 2 x 0 Democrata (Mamudão, Gov. Valadares)
29/04 - Cruzeiro 2 x 0 Uberlândia (Mineirão)
03/05 - Cruzeiro 1 x 0 Atlético (Mineirão)
Semifinal
06/05 - Cruzeiro 2 x 0 Valério (Mineirão)
Final
10/05 - Cruzeiro 2 x 3 Atlético (Mineirão)
Classificação: 1º atletico, 2º Cruzeiro, 3º Uberaba, 4º Valerio, 5º America, 6º Esportivo, 7º Uberlandia, 8º Tupi, 9º Rio Branco, 10º Fabril, 11º Atletico TC, 12º Caldense, 13º Democrata-SL, 14º Villa Nova, 15º Democrata-GV, 16º Nacional-U

SEGUNDO TURNO

Primeira Fase
16/05 - Cruzeiro 0 x 0 Villa Nova (Independência)
24/05 - Cruzeiro 1 x 0 Nacional-U (Mineirão)
28/05 - Cruzeiro 0 x 0 Rio Branco (Parque do Azulão, Andradas)
31/05 - Cruzeiro 1 x 0 Caldense (Ronaldão, Poços de Caldas)
03/06 - Cruzeiro 2 x 0 Atlético Três Corações (Mineirão)
07/06 - Cruzeiro 0 x 1 Democrata (Duarte de Paiva, Sete Lagoas)
14/06 - Cruzeiro 1 x 0 América (Mineirão)
17/06 - Cruzeiro 1 x 0 Esportivo (Mineirão)
21/06 - Cruzeiro 0 x 0 Fabril (Mineirão)
24/06 - Cruzeiro 2 x 0 Uberlândia (Parque do Sabiá)
28/06 - Cruzeiro 3 x 2 Valério (Israel Pinheiro, Itabira)
05/07 - Cruzeiro 2 x 1 Atlético (Mineirão)
08/07 - Cruzeiro 1 x 1 Uberaba (Mineirão)   
12/07 - Cruzeiro 1 x 2 Tupi (Salles de Oliveira, Juiz de Fora)
18/07 - Cruzeiro 3 x 0 Democrata-GV (Mineirão)
Semifinal
22/07 - Cruzeiro 0 x 0 Villa Nova (Mineirão)
Final
26/07 - Cruzeiro 0 x 0 Tupi (Mineirão)
Classificação: 1º Cruzeiro, 2º Tupi, 3º Caldense, 4º Villa Nova, 5º Uberlandia, 6º atletico, 7º America, 8º Democrata-SL, 9º Fabril, 10º Nacional-U, 11º Democrata-GV, 12º Esportivo, 13º Rio Branco, 14º Uberaba, 15º Atletico TC, 16º Valerio

DECISÃO
29/07 - Cruzeiro 0 x 0 Atlético (Mineirão)
02/08 - Cruzeiro 2 x 0 Atlético (Mineirão)   
Classificação Final: 1º Cruzeiro (campeão), 2º atletico, 3º Tupi, 4º Uberlandia, 5º America, 6º Uberaba, 7º Esportivo, 8º Caldense, 9º Valerio, 10º Villa Nova, 11º Fabril, 12º Rio Branco, 13º Democrata-SL, 14º Nacional-U, 15º Atletico TC, 16º Democrata-GV
*o Fabril perdeu 5 pontos por ter escalado o jogador Vladimir, que pertencia a Olímpica de Lavras, na vitória de 1 a 0 sobre o Tupi, em 18/03. Julgamento em 14/04.
Artilheiros Máximos: Luizão (Tupi) e Carlos Henrique (Uberlândia) com 12 gols cada

Critérios de Participação
O Campeonato de 1987 foi disputado por 16 clubes. O Atlético Três Corações e o Rio Branco de Andradas, campeão e vice, da divisão de acesso de 1986 substituíram Guarani e XV de Novembro que foram rebaixados.

Sistema de disputa
Dividido em dois turnos distintos. Cada turno teve uma fase de classificação com todos se enfrentando. Os quatro melhores se classificavam para uma fase semifinal: o primeiro colocado enfrentava o quarto colocado e o segundo colocado enfrentava o terceiro colocado. As semifinais foram disputadas em jogo unico no mando de campo da equipe com melhor campanha no turno. Uma prorrogação de 30 minutos estava prevista nos jogos pelas semifinais, caso o empate prevalecesse no tempo normal. O time de melhor campanha tinha a vantagem do empate na prorrogação. Os vencedores dos confrontos da semifinal fizeram a disputa pelo título do turno, também em jogo único. Os vencedores de cada turno disputaram o título estadual em dois jogos.

Rebaixamento
O Conselho Nacional do Desporto-CND determinou que os quatro últimos colocados fossem rebaixados para a divisão de acesso

Sistema 4-3-3:
Gomes, Balu, Gilmar Francisco, Vilmar, Genilson, Ademir, Eduardo (Heriberto), Careca, Robson, Hamilton (Vanderlei), Edson. Técnicos: Carlos Alberto Silva (1), Raul (8), João Avelino (8), Toninho de Jesus (1), Paulinho de Almeida (5), Rui Guimarães (13) 

Quem jogou
Gomes 35
Balu, Édson, Genilson 34
Robson 32
Ademir 31
Careca, Vilmar 26
Eduardo, Hamilton 25
Gilmar Francisco 23
Heriberto 21
Vanderlei 18
Ernani, Gil 16
Eugênio 13
Douglas 10
Catita 8
Ademir Patrício 6
Geraldão 4
Adil, Tito 3
João Batista, Léo Manivela, Ronaldinho 2
Gilmar Padilha, Jordan 1

Quem marcou gols
Ernani, Robson 7
Hamilton, Vanderlei 6
Édson 5
Careca, Eduardo, Gil 3
Heriberto 2
Ademir Patrício, Balu, Genilson, Gilmar Francisco, Vilmar 1

Seis técnicos
O Cruzeiro teve quatro mudanças de treinadores durante a campanha. A primeira delas foi pela convocação de Carlos Alberto Silva para a Seleção Brasileira. Ele comandou o time apenas na primeira rodada. Foi substituído pelo diretor de futebol, Raul Plasmann, até a contratação de João Avelino. Após criticar os jogadores pela derrota na decisão do 1º turno, João Avelino foi dispensado pela diretoria. O preparador físico, Toninho de Jesus, comandou a equipe interinamente, na primeira rodada do segundo turno, até a contratação de Paulinho de Almeida, que durou apenas cinco jogos no cargo. O ex-treinador do júnior, Ruy Guimarães, assumiu o comando técnico da equipe até a conquista do título.

Final tumultuada
O clássico que decidiu o título do Estadual foi o mais tumultuado da história. Uma entrada violenta do lateral Jorge Luiz, do C.a.m., no atacante Vanderlei, do Cruzeiro, nos minutos finais do 1º tempo, acirraram os ânimos entre as equipes. No intervalo ficou constatada uma fratura na perna do atacante, que foi substituído por Hamilton. O Cruzeiro abriu o placar, logo no primeiro minuto, do 2º tempo, com um gol do armador Careca. A partir daí, o jogo sofreu várias paralisações provocadas por desentendimentos entre os jogadores. Ao todo foram 14 minutos para atendimentos de jogadores contundidos, substituições, reclamações e brigas, no tempo normal, e mais 5 minutos, por causa das invasões de campo, no período de descontos. O árbitro Ney Andrade deu 4 cartões vermelhos, sendo 2 para cada lado. Aos 6 minutos dos descontos, o ponta direita Robson marcou o segundo gol. O árbitro cumpriu apenas 12 minutos de descontos e, com o placar praticamente definido, não quis estender o período
Postar um comentário