terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Público da decisão de 1997 entre Cruzeiro e Villa foi o maior da história do Campeonato Mineiro

Por Carlos Henrique
O jogo entre Cruzeiro e Villa Nova pela decisão do Campeonato Mineiro é o maior público da história do futebol mineiro e, consequentemente, do Campeonato Mineiro. O borderô do jogo disputado em 22 de junho de 1997 registrou a passagem de 132.834 torcedores pelas roletas do Mineirão. A massa de cruzeirenses que compareceu a Pampulha, naquela tarde, extrapolou a capacidade máxima do estádio que era de 120 mil torcedores. O Cruzeiro venceu o Villa Nova por 1 a 0, com gol marcado pelo atacante Marcelo Ramos, aos 10 minutos de jogo, e levou o título estadual daquele ano. No entanto, o recorde de público estabelecido pela torcida cruzeirense é mais comemorado e lembrado que a própria conquista do caneco. Outros 9 jogos pelo Campeonato Mineiro registraram públicos acima de 100 mil torcedores, sendo todos eles, pelo clássico Cruzeiro e Atlético e quatro deles extrapolaram a capacidade máxima de público.

A lista com mais de 100 mil torcedores presentes no estádio em jogos pelo Campeonato Mineiro é pequena, apenas 10, e o clássico entre Cruzeiro e Atlético domina a relação. Todos eles compreendem o período em que a capacidade máxima aceita era de 120 mil torcedores. A partir dos anos 2000, “medidas de segurança” absurdas tomadas pela polícia militar e pelo corpo de bombeiros restringiram a capacidade de público para menos da metade sob argumentos nada convincentes. Assim, tornou-se impossível a presença de mais de 100 mil torcedores, novamente, no Mineirão.

Um detalhe que chama a atenção nesta relação de jogos é que a maioria deles não valeram por decisões de título. Isto derruba o mito sustentado pelos que acreditam que os sistemas mata-matas são mais atrativos. Os clássicos de 1968, 1969, 1970, 1980 e 1981, que fazem parte da lista, foram disputados em um momento em que o campeonato estava longe de uma definição. O clássico pelo Estadual de 1981, por exemplo, teve o público motivado pelo “Desafio das Torcidas”. Numa iniciativa de Afonso Celso Raso, administrador da Ademg (autarquia que administrava o Mineirão), os ingressos foram diferenciados para atleticanos e cruzeirenses. A ideia era saber qual seria a maior torcida no estádio. O desafio foi vencido pela torcida cruzeirense com uma diferença de 2.245 bilhetes a mais.

Estádio nasceu desacreditado 
O Mineirão, que é de propriedade do governo estadual, foi inaugurado em setembro de 1965 com capacidade máxima para 120 mil torcedores. As obras começaram em 1958 e os recursos públicos empenhados levaram os deputados da Assembléia Legislativa a criarem uma comissão parlamentar de inquérito-CPI. Os políticos entendiam que o "Estádio Minas Gerais" se tornaria um "elefante branco", pois os times mineiros não tinham um número suficiente de torcedores na cidade. Isto porque, na época, a maioria dos belo-horizontinos torciam para equipes cariocas, devido a influência da Rádio Nacional, com sede no Rio de Janeiro. A audiência da emissora abrangia todo o estado de Minas Gerais. No entanto, o moderno Mineirão e o progresso da imprensa mineira, que viu brotar nos anos 1960 diversas emissoras de rádio e de TV locais, mudou essa relação e, pouco após a sua inauguração, o estádio já recebia multidões em jogos de Cruzeiro e Atlético.
LISTA DOS PÚBLICOS COM MAIS DE 100 MIL TORCEDORES NO CAMPEONATO MINEIRO
Data Jogo Público
22/06/1997 Cruzeiro 1 x 0 Villa Nova 132.834
*74.857 bilhetes vendidos
04/05/1969 Cruzeiro 1 x 0 Atlético 129.377
*123.351 bilhetes vendidos
02/06/1968 Cruzeiro 2 x 1 Atlético 125.000
*110.432 bilhetes vendidos
02/08/1970 Atletico 2 x 1 Cruzeiro 123.409
*106.155 bilhetes vendidos
09/10/1977 Cruzeiro 3 x 1 Atlético 122.534
26/10/1980 Atlético 1 x 0 Cruzeiro 115.983
08/11/1981 Atletico 1 x 1 Cruzeiro 112.919
15/12/1974 Cruzeiro 2 x 1 Atletico 109.363
05/12/1982 Atletico 2 x 1 Cruzeiro 108.935
03/04/1977 Atletico 2 x 0 Cruzeiro 103.725




Postar um comentário