quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Copa do Brasil 1990

Cruzeiro e Goiás empataram sem gols, no Mineirão, pelo primeiro jogo da primeira fase da Copa do Brasil de 1990. Na foto o atacante Luiz Gustavo disputa a bola com o goleiro Eduardo observado pelo atacante Édson e pelo meio-campista Roberson.

Carlos Henrique

PRIMEIRA FASE

CRUZEIRO 0 x 0 GOIÁS
22/06/1990 (Sex-20h30) - Mineirão
Ingressos: 5.491 (NCz$ 477.710,)
Arbitragem: João Paulo Araújo/SP (Trajano Conrado/SP e Daniel Fernandes/SP)
Cruzeiro: Paulo César; Balu, Gilson Jader, Adilson e Paulo César Carioca; Ademir, Paulo Isidoro e Roberson; Paulinho, Luiz Gustavo (Ramon Menezes) e Edson (Marcinho). T: Ênio Andrade
Goiás: Eduardo, Wilson Goiano, Richard, Jorge Batata, Lira, Wallace, Fagundes, Luvanor, Niltinho, Túlio (Péricles), Agnaldo (Benevan). T: Sebastião Lapola
CA: Paulo Isidoro (C); Agnaldo (G)

CRUZEIRO 0 x 4 GOIAS
27/06/1990 (Qua-21h) – Serra Dourada (Goiânia, GO)
Ingressos: 6.015 (NCz$ 1.110.200,)
Arbitragem: Osvaldo Santos Ramos (Clóvis Alfini e Marcos Fábio)
Gols: Luvanor 29’, Agnaldo 49’, Agnaldo 56’, Agnaldo 88’
Cruzeiro: Paulo César; Balu, Gilson Jader, Adilson e Paulo César Carioca (Paulão); Ademir, Paulo Isidoro e Careca; Heyder, Ramon Menezes (Paulinho) e Edson. T: Ênio Andrade
Goiás: Eduardo, Wilson Goiano, Richard, Jorge Batata, Lira, Wallace, Fagundes (Josué), Luvanor, Niltinho, Túlio (Benevan), Agnaldo. T: Sebastião Lapola
CA: Ademir, Ramon Menezes (C); Jorge Batata (G)

Classificação Final: 1º Flamengo (Campeão)*; 2º Goiás; eliminados na semi-final: 3º Náutico; 4º Criciúma; eliminados nas quartas: 5º Atlético-MG; 6º São Paulo; 7º Remo; 8º Bahia; eliminados nas oitavas: 9º Taguatinga-DF; 10º Grêmio; 11º Botafogo; 12º Coritiba; 13º Ceará; 14º Santa Cruz; 15º Rio Negro-AM; 16º Operário-MS; eliminados na 1a fase: 17º Juventus-AC; 18º América-RN; 19º Internacional; 20º Mixto-MT; 21º Moto Club-MA; 22º Sergipe; 23º Desportiva-ES; 24º Ríver-PI; 25º São José-SP; 26º Joinville; 27º Cruzeiro; 28º Vila Nova-GO; 29º Vitória; 30º Treze; 31º União Bandeirante-PR; 32º Capelense-AL
*classificado para a Taça Libertadores de 1991
Artilheiro Máximo: Bizu (Náutico) com 7 gols

Critérios de participação:
Participaram os 23 campeões estaduais de 1989, mais os vice-campeões dos 9 estados com melhor média de público em seus campeonatos (Bahia, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo).

Sistema de disputa:
Dividida em 5 fases eliminatórias. Os 32 clubes foram distribuídos em 16 chaves com duas equipes cada. Em cada fase, as equipes se enfrentavam em dois jogos dentro de suas respectivas chaves, sendo cada um em seus respectivos mandos de campo. Avançava para a próxima fase a equipe que somasse o maior número de pontos dentro de sua chave.
Critérios de desempate pela ordem: maior saldo de gols; maior número de gols marcados no mando de campo do adversário; decisão por tiros livres na marca do pênalti.

A pior campanha:
Foi a campanha mais desastrosa do Cruzeiro na competição. O time estrelado, que havia acabado de conquistar o título estadual, foi eliminado da competição, logo, na primeira fase, ao sofrer a maior goleada de sua história na Copa do Brasil, por 4 a 0, para o Goiás, no Serra Dourada. Em grande fase, o time goiano se tornaria o vice-campeão do troféu.
Postar um comentário